Seguir o O MINHO

Futebol

Diogo Gonçalves ‘bisa’ e deixa Famalicão em zona europeia

I Liga

em

O Famalicão venceu hoje o Vitória de Setúbal, por 2-1, no Estádio do Bonfim, em jogo da 32.ª jornada da I Liga de futebol, resultado que permite ao conjunto nortenho ascender à quinta posição.


Diogo Gonçalves, autor dos dois golos do Famalicão, o último deles obtido aos 89 minutos, foi o herói do encontro, que veio agravar a crise dos setubalenses, que somaram a sexta derrota consecutiva e o seu 14.º jogo sem vencerem na prova e, assim, podem ser ‘apanhados’ pelo Portimonense na luta pela manutenção.

Em relação ao jogo da ronda anterior com o Benfica, o Famalicão, que entrou em campo a saber do empate (0-0) do Rio Ave com o Marítimo e que, em caso de triunfo em Setúbal, ascenderia isolado ao quinto lugar, entrou melhor no encontro e cedo começou a criar problemas à defesa vitoriana.

No primeiro remate que fez à baliza do guarda-redes georgiano do Vitória de Setúbal, aos 15 minutos, o conjunto nortenho colocou-se em vantagem. Diogo Gonçalves, assistido por Toni Martínez, rematou com o pé direito no coração da área fazendo o 1-0 para a sua equipa.

Em desvantagem no marcador e já depois de ter perdido o avançado Guedes por lesão – substituído por Berto aos 20 minutos –, o Vitória de Setúbal reagiu e conseguiu repor a igualdade, aos 24 minutos. Depois de um primeiro aviso em que Éber Bessa viu Roderick desviar para canto, os setubalenses marcaram logo a seguir num remate acrobático de Jubal.

O 1-1 permitiu à equipa de Lito Vidigal ganhar ânimo no jogo. Aos 38 minutos, a falta de pontaria de Zequinha não deu a melhor sequência a um contra-ataque dos anfitriões, que só no tempo de compensação voltaram a permitir que o Famalicão voltasse a ameaçar a sua baliza.

Aos 45+2, Fábio Martins viu Makaridze opor-se de forma superior a um remate cruzado e, aos 45+6, Diogo Gonçalves, na cobrança de um livre direto em zona frontal, rematou a centímetros do poste direito da baliza, mantendo-se o 1-1 no final do primeiro tempo.

Após o intervalo, o Vitória de Setúbal entrou pressionante e, aos 47 e 49 minutos, acercou-se com perigo da baliza de Vaná Alves. Primeiro, foi Zequinha a quase aproveitar uma saída em falso do guarda-redes e, logo a seguir, Berto permitiu que um defesa travasse um remate seu à ‘boca’ da baliza.

Numa partida com muita luta e faltas, o Famalicão continuou a ter mais posse de bola, mas foi o Vitória de Setúbal a voltar a ameaçar marcar. Aos 71 minutos, Zequinha cruzou na direita, mas nem Semedo, nem Pirri conseguiram chegar à bola a tempo de desviar para a baliza.

A muralha sadina só cedeu aos 89 minutos, altura em que Diogo Gonçalves, assistido por Anderson, rematou com o pé direito fazendo o 2-1 que permitiu ao Famalicão conquistar os três pontos em Setúbal e subir ao quinto posto, que dá acesso à Liga Europa, agora com 52 pontos, mais um do que o Rio Ave.

Já o Vitória de Setúbal complicou as contas da manutenção: embora mantenha o 16.º lugar, com 30 pontos, pode ser igualado na terça-feira, caso o Portimonense, 17.º e primeira equipa abaixo da linha de despromoção, vença na receção ao Boavista.

Ficha de jogo

Jogo no Estádio do Bonfim, em Setúbal.

Vitória de Setúbal – Famalicão, 1-2.

Ao intervalo: 1-1.

Marcadores:

0-1, Diogo Gonçalves, 15 minutos.

1-1, Jubal, 24.

1-2, Diogo Gonçalves, 89.

 Equipas:

– Vitória de Setúbal: Makaridze, João Meira, Jubal, Pirri, André Sousa, Semedo (Leandrinho, 90+1), Carlinhos (Mathiola, 90+1), Éber Bessa, Zequinha, Mansilla (Alex Freitas, 66) e Guedes (Berto, 21).

(Suplentes: João Valido, Leandrinho, Leandro Vilela, Nuno Valente, Montiel, Mathiola, Alex Freitas e Berto).

Treinador: Lito Vidigal.

– Famalicão: Vaná Alves, Ivo Pinto, Roderick, Nehuén Pérez (Riccieli, 81), Coly (Alex Centelles, 70), Gustavo Assunção, Uros Racic, Pedro Gonçalves (Guga, 85), Diogo Gonçalves, Fábio Martins (Walterson, 81) e Toni Martinez (Anderson, 82).

(Suplentes: Defendi, Guga, Walterson, Rúben Lameiras, Riccieli, João Neto, Alex Centelles, Anderson e Patrick William).

Treinador: João Pedro Sousa.

Árbitro: Hélder Malheiro (AF Lisboa).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Pirri (08), Uros Racic (37), Carlinhos (37), Gustavo Assunção (38), Diogo Gonçalves (40), Makaridze (69), Zequinha (87) e Vaná Alves (90+5).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

Anúncio

Futebol

Defendi despede-se do Famalicão

Futebol

em

Foto: DR

guarda-redes Defendi despediu-se hoje, nas redes sociais, do Famalicão, clube que terminou no sexto lugar da I Liga de futebol, deixando uma mensagem emocionada.

O brasileiro, de 36 anos, que na época passada foi decisivo na subida de divisão dos famalicenses, ao fazer todos os jogos da edição de 2018/19 da II Liga, teve também um papel de destaque para alcançar o sexto lugar, tendo disputado 19 jogos.

“Obrigado FC Famalicão, por estes dois anos maravilhosos. Foi um enorme prazer vestir esta camisola e sentir este amor de perdição. Obrigado a todos pelo apoio e carinho”, escreveu o guarda-redes no Instagram.

Rafael Defendi antes do Famalicão jogou quatro épocas no Paços de Ferreira e antes, já tinha tido uma passagem por Portugal, quando em 2008 representou o Desportivo das Aves.

Continuar a ler

Futebol

Jorge Jesus vai ser apresentado como treinador do Benfica na segunda-feira

Ex-treinador de Vitória SC, Moreirense e SC Braga

em

Foto: DR / Arquivo

Jorge Jesus vai ser apresentado como treinador da equipa de futebol do Benfica na segunda-feira, informou hoje o clube da Luz, no dia seguinte à derrota na final da Taça de Portugal, que encerrou a temporada 2019/20.

Em comunicado divulgado no site oficial, os ‘encarnados’ anunciaram que a apresentação do técnico vai ter lugar no centro de estágios do clube, Benfica Campus, no Seixal, a partir das 17:00, e contará igualmente com a presença do presidente das ‘águias’, Luís Filipe Vieira.

A cerimónia de apresentação acontecerá dois dias depois de as ‘águias’ terem perdido a final da Taça de Portugal para o FC Porto (2-1), em Coimbra, no encontro que fechou oficialmente a época futebolística em Portugal.

Jorge Jesus, de 66 anos, está de regresso ao clube da Luz cinco anos depois de ter saído para o Sporting, tendo sido técnico principal do Benfica entre 2009/10 e 2014/15, período em que conquistou 10 títulos, nomeadamente três campeonatos, uma Taça de Portugal, uma Supertaça e cinco edições da Taça da Liga.

Nas seis épocas em que comandou o Benfica, tornou-se no treinador com mais jogos (325) e mais vitórias (229) na história do clube.

Jesus começou a carreira no Amora, em 1989/90, e, depois, passou por Felgueiras, União da Madeira, Estrela da Amadora, Vitória de Setúbal, Vitória SC, Moreirense, União de Leiria, Belenenses e SC Braga, antes de chegar à Luz.

Depois de se tornar o mais titulado treinador dos ‘encarnados’, que também levou a duas finais da Liga Europa, perdidas para Chelsea (2012/13) e Sevilha (2013/14), rumou ao Sporting, tendo passado ainda pelo Al-Hilal antes de chegar ao Flamengo, no qual arrecadou seis troféus em pouco mais de um ano, entre os quais o campeonato brasileiro e a Taça Libertadores.

Neste regresso à Luz, Jorge Jesus vai substituir o técnico interino Nélson Veríssimo, que assumiu o comando da formação benfiquista após a demissão de Bruno Lage.

Continuar a ler

Futebol

FC Porto vence Taça de Portugal

Vitória sobre o Benfica

em

Foto: Arquivo

O FC Porto somou hoje a oitava ‘dobradinha’ da sua história, ao conquistar em Coimbra a final da 80.ª edição da Taça de Portugal, frente ao Benfica (2-1), depois de já ter arrebatado o campeonato.

A formação comandada por Sérgio Conceição, que ganhou a edição 2019/20 do campeonato com mais cinco pontos do que os ‘encarnados’, reeditou algo que os ‘dragões’ não conseguiam desde 2010/11, então comandados por André Villas-Boas.

Nessa temporada, os portistas ganharam o título invictos, com 27 triunfos e três empates, e, no Jamor, golearam o Vitória de Guimarães por 6-2, em 22 de maio de 2011, quatro dias após o triunfo na Liga Europa, também num jogo decisivo face a um conjunto minhoto, o Sporting de Braga (1-0).

Em 2010/11, os ‘azuis e brancos’ arrebataram ainda a Supertaça Cândido de Oliveira, a abrir a época, em Aveiro, ao baterem o Benfica, de Jorge Jesus, por 2-0.

Quanto a ‘dobradinhas’, a selada no Jamor pelo ‘onze’ de André Villas-Boas, com tentos de James Rodríguez, autor de um ‘hat-trick’, Silvestre Varela, Rolando e Hulk, foi a sétima do clube ‘azul e branco.

Antes, o FC Porto já tinha conquistado o campeonato e a Taça de Portugal na mesma época em 1955/56, 1987/88, 1997/98, 2002/03, 2005/06 e 2008/09.

A primeira aconteceu sob o comando do brasileiro Dorival Yustrich, que ganhou o campeonato em igualdade pontual com o ‘vice’ Benfica e, na Taça, bateu na final o Torreense, nessa altura primodivisionário, por 2-0, com um ‘bis’ de Hernâni.

Trinta e dois anos depois, com o jugoslavo Tomislav Ivic ao comando, os ‘dragões’ impuseram-se facilmente no ‘nacional’, somando mais 15 pontos do que os ‘encarnados’, que também superaram nas meias-finais da Taça (1-0 em casa).

No Estádio Nacional, um golo de Jaime Magalhães, aos 83 minutos, selou a segunda ‘dobradinha’ dos ‘dragões’, face ao Vitória de Guimarães (1-0).

A terceira chegou 10 anos depois e foi a primeira conseguida por um treinador português. Com António Oliveira ao ‘leme’, o FC Porto selou o ‘tetra’ com mais nove pontos do que o Benfica, e, na final do Jamor, com Sérgio Conceição no ‘onze’, impôs-se ao Sporting de Braga por 3-1.

Os ‘dragões’ voltaram a ganhar as duas principais provas do calendário luso em 2002/03, época em que, liderados por José Mourinho, somaram mais 11 pontos do que o Benfica na I Liga e superaram a União de Leiria por 1-0 na final da Taça de Portugal, graças a um tento do ex-leiriense Derlei.

Na primeira temporada completa de ‘Mou’ nas Antas, o FC Porto já chegou ao Jamor com dois troféus, pois também arrecadou a outra competição que disputou, a Taça UEFA, ao bater em Sevilha o Celtic por 3-2, após prolongamento.

Os portistas ‘tomaram-lhe o gosto’ e conseguiram mais duas ‘dobradinhas’ com intervalos de três anos, a primeira em 2005/06, liderados por Co Adriaanse.

Mesmo derrotado duas vezes no campeonato pelo compatriota Ronald Koeman (0-2 no Dragão e 0-1 na Luz), o holandês levou o FC Porto ao título com mais sete pontos do que o Sporting e 12 face ao Benfica, para fechar a época com um 1-0 ao Vitória de Setúbal, graças a um golo do brasileiro Adriano.

Em 2008/09, a penúltima ‘dobradinha’ foi selada sob o comando de Jesualdo Ferreira, que somou mais quatro pontos do que o Sporting na I Liga e bateu o Paços de Ferreira por 1-0 (golos de Lisandro López) no Jamor.

Hoje, em Coimbra, à porta fechada devido à pandemia de covid-19, um ‘bis’ de Mbemba fez o FC Porto voltar às ‘dobradinhas’ e reforçar o segundo lugar do ‘ranking’, a três do recordista Benfica e com mais duas do que o Sporting.

Os ‘dragões’, que não venciam a Taça desde 2010/11, quando tinha feito a última ‘dobradinha’, somou o 17.º troféu e igualou o Sporting, ficando a nove do Benfica, que é o recordista de troféus.

Ficha de Jogo

Final da Taça de Portugal
80.ª edição
SL Benfica 1-2 FC Porto
Estádio Cidade de Coimbra.

Marcadores: 0-1, Mbemba (47″); 0-2, Mbemba (59″); 1-2: Vinicius (83″, penálti)

Árbitro: Artur Soares Dias.

SL Benfica: Vlachodimos; André Almeida, Ruben Dias, Jardel e Nuno Tavares; Weigl (Vinicius, 60″), Gabriel, Pizzi (Jota, 76″) e Cervi; Chiquinho (Taarabt, 60″) e Seferovic (Dyego, 76″).
Suplentes: Svilar, Tomás Tavares, Ferro, Florentino, Taarabt, Rafa, Jota, Dyego Sousa e Vinicius.

FC Porto: Diogo Costa; Manafá, Pepe, Mbemba e Alex Telles; Danilo e Uribe (Loum, 88″); Corona (Sérgio Oliveira, 80″), Otávio (Diogo Leite, 73″) e Luis Díaz (expulso aos 38″); Marega.
Suplentes: Marchesín, Diogo Leite, Romário Baró, Aboubakar, Loum, Sérgio Oliveira, Soares, João Mário e Vítor Ferreira.

Cartões amarelos: Luis Díaz (9″ e 38″), Ruben Dias (12″), Jardel (44″), Weigl (46″), Vinicius (75″), Alex Telles (90″).
Cartão vermelho: Luis Díaz (38″)

Continuar a ler

Populares