Seguir o O MINHO

Desporto

“Desporto não é setor pária”

Diz o secretário de Estado da Juventude e do Desporto

em

Foto: DR / Arquivo

O secretário de Estado da Juventude e do Desporto assumiu hoje que o desporto não está à margem do resto da sociedade e que o Governo tem feito tudo para o regresso dos adeptos.


Antes da partida da sexta etapa da Volta a Portugal – Edição Especial em bicicleta, nas Caldas da Rainha, João Paulo Rebelo disse ter “toda a confiança na organização e na capacidade de garantir toda a segurança sanitária” no encontro Santa Clara – Gil Vicente, o primeiro das competições profissionais com adeptos, após a paragem devido à covid-19.

“[A segurança sanitária] Hoje em dia tem de estar acima de tudo. A partir daqui, temos de continuar as nossas vidas. O desporto não é um setor pária da nossa sociedade e, portanto, não pode ficar para trás e é isso que o Governo se tem esforçado por fazer”, assegurou.

O governante lembrou que, além do jogo de hoje nos Açores, já foram anunciados mais dois jogos da II Liga com público, assim como o particular da seleção portuguesa com Espanha e o jogo com a Suécia, da Liga das Nações, ambos no Estádio José Alvalade.

“Nesta fase são jogos testes, são eventos piloto para que se possa avaliar e analisar o que depois pode acontecer. Estou absolutamente confiante na Federação Portuguesa de Futebol e na Liga, na sua capacidade de organização, para que tudo decorra da melhor forma, para que no futuro possamos alcançar o que todos ambicionamos e o que é merecido para os atletas, os artistas no desporto”, disse.

Anúncio

Futebol

Maradona, José Bastos e Reinaldo Teles homenageados nos jogos da I e II ligas

Homenagem

em

Foto: Ilustrativa / DR

Os próximos jogos da I e II ligas portuguesas de futebol vão ser antecedidos de um minuto de silêncio, em memória de Diego Maradona, José Bastos e Reinaldo Teles, falecidos esta semana, anunciou hoje a Liga de clubes.

“A Liga Portugal vai decretar um minuto de silêncio em todos os jogos da Liga NOS e da Liga Portugal SABSEG, realizados na próxima jornada, o qual se destina a homenagear a memória de Reinaldo Teles, emblemático dirigente do FC Porto, José Bastos, glória do SL Benfica, e Diego Maradona, lenda do futebol mundial”, infirmou o organismo, em comunicado.

A homenagem começará a ser feita hoje, no arranque da oitava jornada da I Liga, nos jogos Paços de Ferreira-Famalicão (19:00) e Tondela-Vitória (20:30), e prosseguirá pelos restantes encontros do fim de semana, incluindo os da 10.ª ronda da II Liga.

A Liga de clubes considera que “o futebol português e mundial ficou mais pobre na última semana”, com os desaparecimentos do “emblemático dirigente do FC Porto” Reinaldo Teles, da “glória do Benfica” José Bastos e da “lenda” do futebol mundial Diego Armando Maradona.

José Bastos, o guarda-redes que defendeu a baliza do Benfica em toda a caminhada rumo à histórica conquista da Taça Latina, na época 1949/50, morreu na terça-feira, aos 91 anos.

Na quarta-feira, Reinaldo Teles, histórico dirigente do FC Porto e administrador não-executivo da SAD portista, também faleceu, aos 70 anos, poucas horas antes de ser anunciada a morte de um dos melhores futebolistas da história, Diego Armando Maradona, aos 60 anos.

Continuar a ler

Futebol

César Peixoto classifica jogo com Sporting de “dificuldade máxima”

I Liga

em

Foto: DR / Arquivo

O treinador César Peixoto garantiu hoje que o Moreirense está preparado para um jogo de “dificuldade máxima” no estádio do Sporting, no sábado, a contar para a oitava jornada da I Liga de futebol.

“Estes são os jogos mais fáceis de preparar. É natural que todos queiram jogá-los, porque dão mais motivação e visibilidade. Contudo, também são difíceis e temos de saber gerir a equipa no plano emocional. Isso depende da forma como cada um aborda a pressão de jogar em Alvalade”, referiu o técnico, em conferência de imprensa.

Recuperado da infeção pelo novo coronavírus, que provoca a covid-19, César Peixoto reintegrou hoje os treinos e vai estrear-se no comando técnico dos minhotos, afirmando “não ter receio nenhum” da exigência da I Liga, após experiências no segundo escalão.

“Cheguei a um clube estável e ao patamar que queria desde o início. Estou perfeitamente preparado para isso. É verdade que as coisas não correram bem aqui e ali nos projetos em que estive, mas há muitas condicionantes para que, às vezes, isso aconteça. Neste momento, importa estar focado no Moreirense e saber o caminho que quero”, explicou.

O sucessor de Ricardo Soares foi oficializado em 10 de novembro e está a procurar encaixar as suas ideias de jogo com a identidade do Moreirense, visando uma “época tranquila, a potenciar jogadores, a entrar sempre para vencer e a praticar bom futebol”.

“A minha ideia de jogo é uma equipa que sabe o que quer. Os atletas devem ter noção dos seus comportamentos e querer ser protagonistas. Vamos ter alguma dificuldade e teremos de saber sofrer, mas, com bola, tentar apresentar qualidade para jogar e ser corajosos. Acima de tudo, proporcionar que os jogadores se divirtam”, observou.

Apesar das “boas condições de trabalho” encontradas, César Peixoto orientou poucos treinos e notou algum défice físico no plantel, que esteve em isolamento no início do mês, devido ao surto de covid-19 registado no emblema da vila de Moreira de Cónegos.

“Foi difícil nos 10 dias em que estive em confinamento, mas arranjámos sempre forma de estarmos presentes à distância. A equipa tem adquirido processos e é natural que ainda não esteja tudo trabalhado. Estamos numa fase de aprendizagem gradual, mas, com o tempo, não duvido que vamos fazer um bom trabalho aqui”, apontou.

O treinador falhou o triunfo diante do Merelinense (1-0), na Taça de Portugal, e fará uma “gestão a três jogos” nos próximos sete dias, esperando “uma equipa competitiva” frente ao Sporting, que permita acalentar esperanças quanto à presença na Taça da Liga.

“O adversário está confiante, forte e com processos assimilados. Todos os jogadores sabem bem o que têm de fazer em campo. Isso é sinal do trabalho fantástico do Rúben Amorim, que também está demonstrado na tabela. O Sporting é um justo primeiro classificado, em função daquilo que tem feito neste início de época”, analisou.

O Moreirense, no 11.º posto, com oito pontos e um jogo em atraso, visita o Sporting, líder isolado, com 19, num duelo da oitava jornada da I Liga, no sábado, às 20:30, no Estádio José Alvalade, em Lisboa, com arbitragem de Vítor Ferreira, da associação de Braga.

Continuar a ler

Futebol

Gil Vicente quer pontuar frente a Rio Ave de “qualidade”

I Liga

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

O treinador Ricardo Soares afirmou hoje que o Gil Vicente quer fazer “um bom jogo” e “conquistar pontos” diante de um Rio Ave com “qualidade”, em jogo da oitava jornada da I Liga portuguesa de futebol, no domingo.

Duas semanas depois de ter substituído Rui Almeida, o técnico frisou que o plantel, ainda com o “processo de jogo” em fase de assimilação, está mais preparado para o duelo com os vila-condenses do que para o jogo da semana passada, que marcou a sua estreia, perante o Oleiros, na terceira eliminatória da Taça de Portugal – os gilistas venceram 4-2 no desempate por grandes penalidades.

“O Rio Ave não nos vai surpreender, porque a sua qualidade é evidente. Mas o mais importante é o nosso processo, e não abdicamos dele. Queremos fazer um bom jogo, mas, fundamentalmente, queremos conquistar pontos. Vamos entrar em campo com essa ambição”, disse, na antevisão ao desafio, agendado para as 15:00 de domingo, no Estádio Cidade de Barcelos.

Ricardo Soares defrontou a formação da foz do Ave há um mês, na última partida em que liderou o Moreirense – derrota por 2-0 – e afirmou ter um “conhecimento total” sobre uma equipa que, habitualmente, “assume o controlo do jogo” e “tem mais posse de bola do que os adversários”.

O treinador prometeu, contudo, que os homens de Barcelos vão “dividir” a iniciativa, tendo perspetivado duas equipas a “lutarem pela vitória até ao último segundo”, independentemente de a exibição gilista ser “bem conseguida” ou não.

“Temos vindo a incidir o nosso trabalho numa organização defensiva que nos possa dar confiança para manter o resultado em aberto. Sempre lutaremos pela vitória. Espero um jogo bem conseguido. Se não for bem conseguido, espero pontos”, esclareceu.

O Gil Vicente, reconheceu o treinador, vai demorar “três ou quatro semanas” a adquirir uma atitude que lhe permita “assumir os jogos” regularmente, devido à “falta de rotinas” que permita à equipa executar “em ‘piloto automático'”.

“Nós, treinadores, vivemos de resultados. Temos de fazer tudo para vencer, não ultrapassando um processo que nos leva mais vezes a ganhar. Estamos a introduzir ideias e os atletas têm de pensar para executar. No futuro, vamos ser muito melhores”, projetou.

Elogioso para com o desempenho dos jogadores nos treinos, quer pela “qualidade” demonstrada, quer pelo “empenho, dedicação e compromisso”, Ricardo Soares adiantou que o Gil Vicente pretende, durante os jogos, alternar o sistema tático 3x4x3, trabalhado por Rui Almeida, com o 4x3x3.

“É importante dar corpo a esta ideia de jogo que se transforma em dois sistemas [táticos]. Mas as dinâmicas de jogo nada têm a ver com sistemas. Quero uma equipa eficaz a defender e concretizadora no ataque”, explicou.

O Gil Vicente, 17.º e penúltimo classificado da I Liga, com cinco pontos, recebe o Rio Ave, sétimo, com 10, em jogo da oitava jornada, agendado para as 15:00 de domingo, no Estádio Cidade de Barcelos, com arbitragem de Luís Godinho, da Associação de Futebol do Évora.

Continuar a ler

Populares