Seguir o O MINHO

Alto Minho

Cruzamento ‘mortal’ em Monção dá lugar a rotunda

Para os últimos seis meses do ano

em

Foto: DR

O Bloco de Esquerda anunciou esta terça-feira ter sido informado pelo Governo que o projeto para a construção de uma rotunda em São Pedro, Monção, será aprovado no início do segundo semestre deste ano.

Em causa está a pretensão, reclamada há vários anos pela Câmara de Monção junto das Infraestruturas de Portugal (IP), de transformação do cruzamento de São Pedro, na Estrada Nacional 202 (EN 202), numa rotunda. Trata-se de uma zona de reta que se apresenta em plano inclinado e com pouca visibilidade para quem tenta aceder à estrada nacional.

Vários acidentes, entre os quais atropelamentos com as vítimas a sofrerem ferimentos graves, foram compilados numa peça jornalística da Rádio Vale do Minho, que terá pesado para o acelerar desta decisão governativa.

Em comunicado hoje enviado à imprensa, o Bloco de Esquerda(BE) explicou que, em resposta a um requerimento do partido, o Ministério das Infraestruturas e Habitação informou que aquela obra faz parte do projeto designado “Melhoria das Condições de Segurança do distrito de Viana do Castelo”, a ser desenvolvido pela Infraestruturas de Portugal (IP).

Na resposta hoje enviada ao BE, o Ministério tutelado por Pedro Nuno Santos explica que aquele projeto “contempla a reformulação geométrica do cruzamento da EN 202”, prevendo a sua “aprovação no início do segundo semestre do presente ano”.

Em dezembro de 2019, na pergunta que dirigiu ao Ministério das Infraestruturas e Habitação, o BE sublinhava a necessidade de “resolução de um problema de sinistralidade rodoviária no cruzamento de São Pedro, por se tratar de uma via “com muito tráfego”.

O partido explicava ter recebido “inúmeras queixas sobre a perigosidade do cruzamento, resultando em muitos acidentes com feridos e até vítimas mortais”.

“A estrada nacional é principal via de ligação entre os concelhos de Melgaço, Monção e Valença, com um fluxo de trânsito considerável. A segurança rodoviária deve ser uma propriedade para as Infraestruturas de Portugal, para que haja uma diminuição da sinistralidade”, reforçava o BE no requerimento.

Em março de 2013, o ex-presidente da Câmara de Monção, José Emílio Moreira, chegou a ameaçar liderar um corte da EN 202 caso ocorresse algum acidente mortal naquele local.

“Infelizmente, parece que só desta forma é que se resolvem as coisas em Lisboa”, afirmou, na altura, o ex-autarca socialista.

Na resposta à ameaça do autarca, a Estradas de Portugal (EP) admitiu reformular o cruzamento.

“Apesar de este local registar um reduzido índice de sinistralidade, não deixa de merecer a atenção desta empresa, que tem prevista, no Plano de Proximidade, a reformulação da intersecção, visando a melhoria da fluidez do tráfego e de segurança de circulação no local”, explicou, na ocasião, a EP, em comunicado enviado à agência Lusa, mas sem adiantar datas para a concretização desta alteração.

Anúncio

Alto Minho

Todas as casas de Merufe, em Monção, acordaram com gel desinfetante e luvas à porta

Covid-19

em

Foto: Divulgação / JF Merufe

Os cerca de 1.024 habitantes da freguesia de Merufe, no concelho de Monção, acordaram na passada sexta-feira com um saco à porta, contendo gel desinfetante, luvas, um saco reutilizável para compras e um panfleto informativo sobre o novo coronavírus.

A ação foi levada a cabo pela junta de freguesia, de forma a prevenir a propagação da covid-19, depois de se ter registado o primeiro caso positivo naquela freguesia.

A autarquia liderada por Márcio Alves resolveu entregar estas ofertas de forma a proteger a população local, num concelho que regista hoje 7 casos confirmados da nova doença infeciosa, segundo dados publicados este domingo pela DGS.

Continuar a ler

Alto Minho

Arcos de Valdevez com uma morte, dois curados, cinco internados e 16 a recuperar em casa

Covid-19

em

Foto: Divulgação

A delegada de saúde responsável por Arcos de Valdevez divulgou hoje o ponto de situação no concelho, avançando 24 casos confirmados por infeção do novo coronavírus, que provoca a doença covid-19.

Segundo Zulmira Afonso, até ás 15 horas deste sábado, o concelho arcoense tinha cinco utentes internados com prognóstico mais complicado, um no Hospital de Santo António, no Porto, dois no Hospital de Braga e outros dois no Hospital de Viana.

De acordo com a mesma fonta, dois casos de internamento já tiveram alta hospitalar, estando recuperados.

Em isolamento domiciliário, com sintomas menores (ou até assintomáticos), estão 16 infetados.

Há registo de um óbito, de uma mulher que faleceu na passada terça-feira.

Continuar a ler

Alto Minho

Covid-19: Ponte de Lima disponibiliza mais 75 camas, 285 no total

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CM Ponte de Lima

Ponte de Lima irá dispor de mais 75 novas camas para apoiar as unidades de saúde durante a fase exponencial da pandemia covid-19, ficando no total com 285, foi ontem anunciado.

A estas novas somam-se as 160 camas já disponíveis, de acordo com o Plano Operacional Municipal para o Coronavírus (POMCov) e das 50 da Pousada da Juventude

Para além das camas de retaguarda, a autarquia tem disponibilizado “um conjunto de alojamentos destinados a grupos de reforço ou grupos adaptados para as mais variadas situações”.

As novas 75 camas instaladas no Pavilhão Municipal de Arca e Ponte de Lima funcionarão como “estruturas de apoio de retaguarda para apoiar as unidades de saúde do concelho, e criar espaços adequados para receber utentes ou outros que necessitem de ficar em quarentena”.

Deste conjunto de 75 camas, 25 foram doadas pela Dream Argument, Lda, empresa de fabricação de mobiliário de madeira para outros fins, constituída em 2014 e a laborar na freguesia de S. Pedro de Arcos, informa a autarquia.

Continuar a ler

Populares