Seguir o O MINHO

Região

Criado “projeto inovador” para “promover mobilidade e sustentabilidade” do novo circo

Cultura

em

O Teatro da Didascália e quatro estruturas culturais da Dinamarca, França e República Checa criaram o Circuslink, um “projeto colaborativo inovador”, que pretende “promover a mobilidade, diversidade e sustentabilidade” do novo circo na Europa.

A estrutura, apresentada hoje, em Guimarães, junta, além do Teatro da Didascália, as companhias de novo circo Gasparo, da República Checa, a DYNAMO, da Dinamarca, a ArChaos, de França, e a Baltic Nordic Circus Network, uma entidade que junta 17 organizações oriundas dos países bálticos, da Escandinávia e de outras regiões do Norte da Europa, dedicadas ao circo contemporâneo.

O projeto abrange quatro festivais de circo contemporâneo: o Vaudeville Rendez-Vous (Portugal), a BIAC (França), o Dynamo Circus Festival (Dinamarca) e o certame Letni Letna (República Checa).

“O nosso principal objetivo é promover a circulação de artistas e companhias de uma forma mais sustentável. Cada país escolheu uma companhia que vai circular entre estes festivais de uma forma articulada, fazendo com que os custos de viagens sejam distribuídos entre os festivais”, explicou a responsável pelo Teatro da Didascália, Cláudia Berkeley.

A presença do Circuslink já se vai fazer sentir na edição de 2021 do Festival Vaudeville Rendez-Vous, que arranca esta noite e decorre até dia 24, com 28 apresentações de 13 espetáculos programados, dos quais, cinco são estreias nacionais e dois estreias absolutas, entre Braga, Guimarães, Vila Nova de Famalicão e Barcelos.

“É neste âmbito que acolhemos esta noite a estreia absoluta do espetáculo ‘Váld’, da companhia sueca Right Way Down, e é também a partir deste projeto que faremos circular internacionalmente o espetáculo ‘Otus’, da companhia portuguesa Oliveira&Bachtler”, explicou a responsável.

O CircusLink, além da circulação de artistas, tem como objetivo, “através da programação de espetáculos, encontros de profissionais e promoção de boas práticas”, desenvolver uma “plataforma digital para agregar e facilitar a articulação entre artistas e programadores”.

Esta nova ferramenta vai ser apresentada na Bienal das Artes do Circo de Marselha, em 2022, onde estarão presentes as quatro companhias do projeto.

Populares