Seguir o O MINHO

Região

Confinamento parcial em 18 concelhos do Minho a partir de hoje e até 19 de novembro

em

O confinamento parcial entrou hoje em vigor em 121 concelhos de Portugal continental, doze deles no distrito de Braga e seis no de Viana do Castelo, onde há “risco elevado de transmissão da covid-19”, aplicando-se o dever de permanência em casa, exceto para deslocações autorizadas, como compras, trabalho, ensino e atividade física.

Além de medidas específicas para estes concelhos, a resolução do Conselho de Ministros publicada em Diário da República prolonga a declaração de situação de calamidade em todo o território nacional continental até às 23:59 do dia 19 de novembro.

No sábado, após uma reunião extraordinária do Conselho de Ministros, o Governo anunciou a decisão de renovar a situação de calamidade e de aplicar medidas especiais nos concelhos com risco elevado de transmissão da covid-19, referindo que tanto o prolongamento como as restrições nos 121 municípios iriam estar em vigor entre hoje e 15 de novembro.

Esta data foi corrigida para 19 de novembro na resolução, permitindo a vigência durante 15 dias.

Sem justificar a alteração da data, fonte oficial do Governo disse à Lusa que “prevalece a informação publicada em Diário da República”.

Os concelhos do Minho abrangidos pelas medidas são: Amares, Barcelos, Braga, Caminha, Cabeceiras de Basto, Celorico de Basto, Esposende, Fafe, Guimarães, Paredes de Coura, Ponte de Lima, Póvoa de Lanhoso, Valença, Viana do Castelo, Cerveira, Famalicão, Vila Verde e Vizela.

De fora ficam Monção, Melgaço, Arcos de Valdevez, Ponte da Barca, Terras de Bouro e Vieira do Minho.

18 concelhos do Minho em confinamento parcial a partir de 04 de novembro

Aplicando o critério geral do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC) de “mais de 240 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias”, e considerando a proximidade com um outro concelho nessa situação e a exceção para surtos localizados em concelhos de baixa densidade, o Governo identificou 121 concelhos com risco elevado de transmissão da covid-19, inclusive os concelhos capitais de 12 dos 18 distritos de Portugal continental: Viana do Castelo, Braga, Vila Real, Bragança, Porto, Guarda, Aveiro, Castelo Branco, Santarém, Lisboa, Setúbal e Beja. Ficam de fora Viseu, Coimbra, Leiria, Portalegre, Évora e Faro.

Abrangendo 70% da população residente, ou seja, 7,1 milhões de habitantes em Portugal, a lista dos 121 municípios de “risco elevado de transmissão” pode ser consultada em covid19estamoson.gov e será atualizada a cada 15 dias.

Entre as medidas especiais implementadas nestes concelhos destaca-se o dever de permanência no domicílio, exceto para o conjunto de 26 casos de deslocações autorizadas, em que se incluem aquisições de bens e serviços, desempenho de atividades profissionais, obtenção de cuidados de saúde, assistência de pessoas vulneráveis, frequência dos estabelecimentos escolares, acesso a equipamentos culturais, realização de atividade física, participação em ações de voluntariado social, passeio dos animais de companhia, alimentação de animais, exercício da liberdade de imprensa e deslocações necessárias para saída de território nacional continental.

Nestes territórios todos os estabelecimentos de comércio encerram até às 22:00, exceto restaurantes, que têm de encerrar até às 22:30; serviços de entrega de refeições no domicílio (os quais não podem fornecer bebidas alcoólicas no âmbito dessa atividade) que devem fechar à 01:00; equipamentos culturais, que devem encerrar às 22:30; e outras exceções como farmácias, consultórios e clínicas, atividades funerárias e áreas de serviço e postos de abastecimento de combustíveis.

“O horário de encerramento pode ser fixado pelo presidente da câmara municipal territorialmente competente, mediante parecer favorável da autoridade local de saúde e das forças de segurança, desde que cumpridos os limites máximos estabelecidos”, lê-se na resolução do Conselho de Ministros.

Entre as proibições que se aplicam a estes concelhos está a realização de eventos e celebrações com mais de cinco pessoas, exceto se pertencerem ao mesmo agregado familiar, e de “feiras e mercados de levante, salvo autorização emitida pelo presidente da câmara municipal territorialmente competente”.

Nestes 121 municípios, é permitida a realização de cerimónias religiosas e espetáculos, seguindo as regras da Direção-Geral da Saúde (DGS), e a nível laboral torna-se obrigatório o desfasamento horário, bem como a adoção do regime de teletrabalho sempre que as funções em causa o permitam.

Para todo o território de Portugal continental, fica hoje limitado a seis o número de pessoas em cada grupo em restaurantes, salvo se pertencerem ao mesmo agregado familiar.

Portugal contabiliza pelo menos 2.635 mortos associados à covid-19 em 149.443 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da DGS.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Alto Minho

Descoberta de calçada romana obriga a desviar ligação de Paredes de Coura à A3

Formariz

Foto: DR / Arquivo

O traçado inicial da ligação rodoviária do parque empresarial de Formariz, em Paredes de Coura, à Autoestrada 3 (A3), vai ser “ajustado” para garantir a preservação de uma calçada romana encontrada durante a execução da obra.

“A nossa identidade e as nossas raízes, enquanto comunidade, estão intimamente ligadas aos nossos vestígios civilizacionais. Ao preservá-las, cuidamos da nossa memória e conferimos sentido e compreensão à nossa história”, afirmou hoje à agência Lusa o presidente da Câmara de Paredes de Coura.

Em declarações à Lusa, Vítor Paulo Pereira explicou que o achado arqueológico integra “cerca de 45 metros de lajeados de calçada com pequenos muros de contenção e afloramentos rochosos com marcas de entalhes para possibilitar a sua passagem”.

Explicou que a solução encontrada, em articulação com a Infraestruturas de Portugal (IP) e que já recebeu parecer favorável da Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN), “implicará um ajuste ao traçado da nova via neste local, por forma a preservar o lajeado de calçada romana”.

Segundo Vítor Paulo Pereira, a solução representará, “necessariamente, algum esforço financeiro acrescido, que se perspetiva limitado”, sem especificar o montante.

“A Câmara de Paredes de Coura e a IP consideraram fundamental para conseguir o compromisso necessário entre o respeito pelo passado e anseio pelo futuro”, sustentou.

Segundo o autarca socialista, aquela solução “já obteve parecer favorável da Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN) e prevê ainda “um ajuste no restabelecimento inicialmente projetado para o Caminho de Santiago de Compostela”, na Galiza, Espanha.

“Designadamente a colocação de uma passagem superior (ponte) em madeira sobre a nova via, a qual passará, nesta solução, a estar alinhada com o traçado original da Via Romana e Caminho de Santiago e a preservação completa, no mesmo local, dos 45 metros de extensão do lajeado da calçada romana. Implica também a escavação arqueológica, caracterização e valorização deste achado arqueológico”, especificou.

Vítor Paulo Pereira acrescentou que o parecer da DRCN, emitido no dia 18, “implica também a escavação arqueológica, caracterização e valorização do achado arqueológico”.

“A solução encontrada mostra o empenho da IP na salvaguarda e preservação do nosso património, num quadro em que DRCN teve um papel decisivo e muito importante. Estamos muito gratos às duas instituições porque foram ágeis e diligentes numa solução que satisfaz todos os intervenientes”, reforçou.

A construção da ligação rodoviária do parque empresarial de Formariz, em Paredes de Coura, à A3 foi iniciada em junho último e tem conclusão prevista para dezembro.

O acesso rodoviário, reclamado há mais de cinco décadas por autarcas e empresários, tem cerca de 8,8 quilómetros de extensão, e irá ligar o parque empresarial de Formariz à A3, ao nó de Sapardos, em Vila Nova de Cerveira, também no distrito de Viana do Castelo.

O investimento, de nove milhões de euros, é financiado pelo Programa de Valorização de Áreas Empresariais, lançado pelo Governo em fevereiro de 2017.

O “relatório realizado por uma equipa de arqueólogos antes do início da obra identificou vários valores patrimoniais com impacto direto na construção daquela ligação”.

“Entre eles foi identificado, na freguesia de Cossourado, num troço com cerca de 400 metros de extensão, entre a Capela de São Bento e até ao limite do concelho com Valença, numa zona em que é defendido que o Caminho de Santiago de Compostela coincide com a Via Romana XIX, cerca de 45 metros de lajeados de calçada com pequenos muros de contenção e afloramentos rochosos com marcas de entalhes para possibilitar a sua passagem”, explicou.

Vítor Paulo Pereira referiu que, “atendendo à importância deste achado arqueológico, a DRCN pediu que fossem consideradas medidas de proteção que não interferissem com o valor patrimonial daquele local, tendo sido suspensos todos os trabalhos nessa frente de obra”.

“Após várias reuniões que conjugaram esforços da IP, da Câmara e da DRCN, foram apresentadas diversas alternativas de alteração ao projeto – todas com o objetivo de salvaguardar a afetação do lajeado da Via Romana XIX e, simultaneamente, viabilizar a obra da ligação”.

Continuar a ler

Guimarães

Carro completamente destruído pelas chamas em Guimarães

Esta madrugada

Foto: Guimarães Digital

Um carro ficou totalmente destruído pelas chamas, na madrugada desta segunda-feira, na Rua das Tumbas, freguesia da Costa, em Guimarães.

Segundo o Guimarães Digital, do Grupo Santiago, que avança a notícia, o incêndio atingiu ainda uma outra viatura.

O alerta foi dado à 01:20.

Os Bombeiros de Guimarães mobilizaram quatro operacionais e uma viatura.

Desconhecem-se as causas do incêndio.

A PSP registou a ocorrência.

Continuar a ler

Região

Marcelo com 291.554 votos no Minho. Ana Gomes com 55.128 e Ventura com 49.458

Eleições presidenciais 2021

Resultados no distrito de Viana do Castelo. Fonte: MAI

Marcelo Rebelo de Sousa foi o claro vencedor das eleições presidenciais que decorreram este domingo, não só em todo o país, mas também no Minho. O ‘professor’ reeleito obteve 56.937 votos no distrito de Viana e 234.617 no de Braga, totalizando 291.554.

Segue-se uma luta ‘renhida’ entre Ana Gomes e André Ventura, com o segundo lugar a ‘sorrir’ à embaixadora socialista. Ana Gomes obteve 44.780 dos votos no distrito de Braga e 10.348 no de Viana, totalizando 55.128.

Já André Ventura conseguiu 10.177 votos no distrito de Viana e 39.281 no de Braga, totalizando 49.458.

Em quarto lugar, uma surpresa (ou talvez não). Vitorino Silva ‘conquistou’ 13.622 votos no distrito de Braga e 3.583 no distrito de Viana, totalizando 17.205.

Resultados no círculo eleitoral do distrito de Braga

Freguesias apuradas: 347

Freguesias por apurar: 0

Concelhos apurados: 14

Concelhos por apurar: 0

Percentagem dos candidatos

Marcelo Rebelo de Sousa 63,93%

Ana Gomes 12,20%

André Ventura 10,70%

Vitorino Silva 3,71%

Marisa Matias 3,43%

Tiago Mayan Gonçalves 3,25%

João Ferreira 2,78%

Outros dados das eleições Presidenciais 2021 no círculo de Braga

Inscritos: 776.394

% Votos brancos: 1,62%

% Votos nulos: 0,95%

% Votantes: 48,52%

% Abstenção: 51,48%

Resultados no círculo eleitoral do distrito de Braga

Freguesias apuradas: 208

Freguesias por apurar: 0

Concelhos apurados: 10

Concelhos por apurar: 0

Percentagem dos candidatos

Marcelo Rebelo de Sousa 63,66%

Ana Gomes 11,57%

André Ventura 11,38%

Vitorino Silva 4,01%

Marisa Matias 3,69%

João Ferreira 3,19%

Tiago Mayan Gonçalves 2,51%

Outros dados das eleições Presidenciais 2021 no círculo de Viana

Inscritos: 237.890

% Votos brancos: 1,39%

% Votos nulos: 0,93%

% Votantes: 38,49%

% Abstenção: 61,51%

Continuar a ler

Populares