Seguir o O MINHO

Legislativas 2022

Comunista João Oliveira diz que é preciso confiar nos portugueses

Política

em

Foto: DR / Arquivo

O dirigente comunista João Oliveira considerou hoje que “há todas as condições para” para que o ato eleitoral decorra sem constragimentos quer para os isolados quer para os restantes eleitores, afirmando que é preciso confiar nos portugueses

“Há regras para cumprir para que todos possamos exercer o nosso direito de voto, em condições de segurança, quer as pessoas que não estão isoladas, quer as pessoas que estão em isolamento”, disse João Oliveira, à margem de um contacto com trabalhadores de uma fábrica de baterias, no âmbito das eleições legislativas, em Castanheira do Ribatejo, concelho de Vila Franca de Xira (Lisboa).

O comunista, que é durante esta semana o rosto da CDU na campanha eleitoral em substituição do secretário-geral do PCP, acrescentou que “há todas as condições” para que o ato eleitoral decorra sem constrangimentos por causa dos eleitores em isolamento e que é preciso confiar nos portugueses.

Por isso, a mensagem tem de ser “de tranquilidade”, disse.

João Oliveira acrescentou que é preciso desmistificar os isolamentos, até porque a situação já não é a mesma de há um ano.

“Acho que é preciso desdramatizar algumas coisas. Se as pessoas estão confinadas também têm de sair de casa para ir a consultas médicas, inclusivamente às próprias consultas médicas de acompanhamento da situação em que estão, para a realização de testes. Já há circunstâncias em que isso tem de acontecer”, concretizou.

Os eleitores que se encontrem em isolamento devido à covid-19 podem sair de casa para votar no dia 30 de janeiro, anunciou hoje a ministra da Administração Interna, adiantando que o Governo recomendará uma hora específica.

“O período mais adequado será, provavelmente, a última hora, entre as seis [da tarde] e as sete”, declarou Francisca Van Dunem.

A decisão do Governo surge após ter chegado ao Ministério da Administração Interna o parecer do conselho consultivo da Procuradoria-Geral da República (PGR) sobre o voto dos eleitores em isolamento devido à covid-19 nas eleições legislativas antecipadas.

Populares