Seguir o O MINHO

Braga

Comércio em Amares pode funcionar até às 23:00

Estado de contingência

em

Foto: DR / Arquivo

A Câmara de Amares ficou as 23:00 como horário limite para o funcionamento de cafés, e outros estabelecimentos, “tendo em conta a necessidade de apoiar a retoma económica e o comércio local”.


Em comunicado enviado hoje à Lusa, a autarquiaapela a uma “atitude cívica” para que “Amares possa continuar a ser um exemplo de boas práticas”.

“O nosso comércio e estabelecimentos tiveram desde o início da pandemia uma atitude de grande responsabilidade e civismo. Estou certo que assim continuará a ser. Desta forma, e atendendo ao facto de que os números de infetados tem estado controlado, vamos avançar com o limite máximo possível no horário que nos é permitido fixar”, aponta no texto o presidente da autarquia, Manuel Moreira.

Na sequência da Resolução do Conselho de Ministros nº 70-A/2020, cabe ao presidente da câmara municipal, mediante parecer da autoridade local de saúde e forças de segurança, fixar o horário de encerramento dos estabelecimentos dentro do intervalo entre as 20:00 e as 23:00.

Anúncio

Braga

Concurso para projeto de obras no Nó de Infias, em Braga, lançado dentro de dias

Obras públicas

em

Foto: Divulgação / CM Braga

A Câmara de Braga e a Infraestruturas de Portugal lançam, dentro de dias, o concurso público, com o preço-base de 200 mil euros, para a feitura do projeto do Nó de Infias, o “cancro do trânsito” da cidade. Esta verba será paga, «a meias» entre a Autarquia e a empresa estatal.

O concurso, disse ontem o presidente do Município, Ricardo Rio, na Assembleia Municipal, é o primeiro passo para a reestruturação do Nó: ”esperámos que o Governo a financiar as obras, cujo custo deve atingir vários milhões de euros”, sublinhou.

O autarca comentava duas interpelações de munícipes, feitas no início da Assembleia, e que visaram o problema do trânsito na zona, com destaque para o corte de acesso à urbanização das Fontainhas a partir do Nó e para a recente edificação de duas zonas comerciais em terrenos de uma outra urbanização vizinha.

Sobre as críticas ao corte do acesso de carros no Nó de ìnfias, Rio explicou que a urbanização era atravessada por viaturas que se dirigiam à zona da Igreja de São Vicente, invadindo o bairro, sem que os condutores lá morassem ou ali fossem trabalhar ou frequentar o comércio: “servia para cortar caminho, o que causava transtornos a quem lá vive”, defendeu.

Sobre o facto, alegado por moradores da zona, de o corte ir causar afunilamentos de trânsito na rotunda de Ínfias, o autarca esclareceu que a recente medida de desfasamento de horários nas escolas, no caso na Sá de Miranda e no Colégio D. Diogo de Sousa, tirou muito do movimento de veículos, desentupindo a zona.

De seguida, o líder municipal abordou os reparos de uma residente no bairro da rua Américo Rodrigues Barbosa sobre a descida da qualidade de vida dos habitantes, com aumento de ruído, perda de vista paisagística e dificuldades de circulação automóvel, na saída e entrada da zona.

Sobre o tema, o edil lembrou que há terrenos aparentemente abandonados que têm direitos de construção inscritos no PDM, que a Câmara não pode legalmente contrariar, sob pena de ter de pagar avultadas indemnizações.

Continuar a ler

Braga

Nove meses depois, passeio que aluiu junto ao estádio de Braga vai ser reparado

Obras públicas

em

Foto: Facebook de Sílvia Lopes

O passeio da Rua de São Martinho, que aluiu há cerca de um ano face a uma intempérie, vai começar brevemente a ser reparado, disse a O MINHO o presidente da Junta de Real, Dume e Semelhe.

Aquela parte do passeio, situado na freguesia de Dume, a poucos metros do Estádio Municipal, cedeu com o mau tempo no passado dia 20 de dezembro de 2019, conforme noticiou O MINHO.

Esta sexta-feira, uma utente da via publicou algumas fotografias nas redes sociais dando conta do estado em que se encontrava o passeio, lamentando que “quem lá passa, tem de ir pela estrada onde os automobilistas não reduzem a velocidade”.

O MINHO contactou Francisco Silva, autarca, que adiantou que a obra de reparação já se encontra em concurso, devendo arrancar durante as próximas semanas.

“Posso adiantar que a reparação desse passeio, que é uma obra ainda com alguma envergadura tendo em conta a cota de terreno e incluir um muro de suporte da via, já estará em concurso público”, assegurou.

O presidente da Junta de Real, Dume e Semelhe explica que foram necessárias várias diligências e um tempo de espera considerável para conseguir chegar a um entendimento sobre de quem seria a responsabilidade.

Francisco Silva avança ainda que fez um pedido à autarquia para que aproveitem esta reparação para requalificar os passeios que vão desde a rotunda do Estádio até quase às portas da cidade.

“É uma zona onde passa muita gente em altura de jogos e os passeios estão muito degradados, é uma vergonha para aquela zona, dada toda a sua envolvência”, vincou o autarca.

Sobre o estado em que o passeio ficou ao longo dos últimos nove meses, Francisco Silva refere que, inicialmente, o local estava vedado, assim como parte da estrada, que é municipal. “Foi feita uma análise técnica e foi garantida a circulação sem prejuízo para a segurança”, acrescentou.

Intervenção na Rua Costa Gomes

Francisco Silva dá nota ainda de duas futuras obras na freguesia de Real que se provam de extrema importância para o contexto urbano de Braga. Uma será a intervenção na variante de Real, na rua da Feira, que irá desde as escolas até à zona do Pópulo. Aquela via será repavimentada.

Também a requalificação da Rua Costa Gomes está nos planos do autarca. Na assembleia municipal de junho, Francisco Silva tinha lamentado os atrasos para o avanço desta obra, mas assegura que agora já estão a ser dados os últimos retoques, uma vez que já está tudo homologado entre Câmara e Infraestruturas de Portugal, por se tratar de uma estrada nacional. “É para ir a concurso o mais rápido possível”.

Continuar a ler

Braga

Bosch está a recrutar para Braga

Emprego

em

Foto: DR

A empresa Bosch Car Multimedia, sediada em Braga, está a recrutar para 20 vagas, pode ler-se na página de recrutamento da multinacional alemã.

A maioria dos postos são na área da engenharia, como engenheiros e técnicos de software, desenvolvimento e design, mas também para estágios.

Para além das ofertas para Braga, o grupo que chegou a estar duas semanas encerrada face à pandemia de covid-19 tem ainda 16 vagas para Ovar, 39 para Aveiro e oito para Lisboa.

A empresa emprega cerca de 4.100 trabalhadores em Portugal, por entre técnicos e engenheiros especializados, funções administrativas e trabalho indiferenciado nas linhas de produção.

As vagas podem ser consultadas aqui.

Continuar a ler

Populares