Seguir o O MINHO

Cávado

Começou esta semana a requalificação dos passadiços na Apúlia

Obras públicas

em

Foto: Divulgação / CM Esposende

A requalificação dos passadiços da frente marítima de Apúlia, em Esposende, arrancou esta semana, uma obra orçada em 21 mil e 200 euros e que terá a duração de três semanas, anunciou hoje a autarquia.


Em comunicado enviado à Lusa, a Câmara Municipal de Esposende, no distrito de Braga, explica que a intervenção prevê “a substituição do ‘deck’ de madeira existente por betão poroso, no percurso entre os aprestos dos pescadores e o edifício do Instituto de Socorros a Náufragos, idêntico ao utilizado na Ecovia do Cávado e na Ecovia do Litoral Norte”.

A autarquia explica que aquela intervenção enquadra-se no “plano de requalificação dos passadiços da responsabilidade” da câmara municipal, ao abrigo do qual estão também já a ser intervencionados os passadiços da zona ribeirinha de Esposende, seguindo-se os restantes.

“Ao assegurar o bom estado das infraestruturas e equipamentos concelhios, o município está a contribuir para a promoção de uma imagem de qualidade de Esposende, concelho que se destaca pelo desenvolvimento do território e por garantir qualidade de vida às populações”, lê-se.

Anúncio

Barcelos

Pároco de Barcelos que morreu com covid-19 é sepultado amanhã em Famalicão

Óbito

Foto: DR

Carlos Mário Ferreira Gomes, pároco de quatro freguesias do concelho de Barcelos que morreu, aos 48 anos, ontem à noite, devido a complicações causadas pela covid-19, vai a sepultar este sábado, em Famalicão, informou a Arquidiocese de Braga.

A missa exequial será celebrada amanhã, às 15h00, em Roriz, Barcelos. Irá depois a sepultar em S. Tiago de Antas, Famalicão.

As cerimónias vão decorrer de acordo com as restrições impostas pela DGS.

Nascido a 6 de Abril de 1972 em S. Tiago de Antas, Famalicão, foi ordenado sacerdote a 19 de Julho de 1997.

Após a sua ordenação foi nomeado Vigário Paroquial de Vizela (São Paio) e Tagilde (Divino Salvador, ambas no Arciprestado de Guimarães e Vizela.

De 1997 a 2011 foi Administrador Paroquial de Argivai (São Miguel) e Touguinhó (Divino Salvador), no Arciprestado de Vila do Conde/Póvoa de Varzim.

Em 2011 foi nomeado pároco de Campo (Divino Salvador), Roriz (São Miguel), Tamel (São Pedro Fins) e Couto (São Tiago), em Barcelos, onde exercia o seu ministério quando faleceu.

Como O MINHO noticiou, o padre Mário Ferreira Gomes morreu depois de ter sido hospitalizado na sequência de um desmaio e lhe ter sido diagnosticado covid-19.

Padre de Barcelos morre aos 48 anos com covid-19

Ao que apurou O MINHO, o pároco sofria de várias comorbidades que foram agravadas com a infeção pelo novo coronavírus, acabando por falecer ao início da noite de quinta-feira, no Hospital de Braga.

O pároco de Campo, Couto, Roriz e Tamel S. Pedro Fins, apresentava já alguns sintomas de constipação no domingo à noite, mas só na segunda, quando estava prestes a perder os sentidos, ligou aos serviços de emergência.

Os Bombeiros de Barcelos encontraram a vítima inconsciente no apartamento onde residia, transportando-o de urgência para o Hospital de Barcelos.

No próprio dia, acabou por ser transferido para Braga em “estado crítico”, para a unidade de cuidados intensivos para doentes covid.

Acabou por sofrer paragem cardiorrespiratória após falência de vários órgãos provocada pelo SARS CoV-2.

Continuar a ler

Barcelos

Padre de Barcelos morre aos 48 anos com covid-19

Óbito

Foto: DR

Morreu o padre Mário Ferreira Gomes, aos 48 anos, depois de ter sido hospitalizado na sequência de um desmaio e lhe ter sido diagnosticado covid-19, confirmou O MINHO junto de fonte próxima da família.

Ao que apurou O MINHO, o pároco sofria de várias comorbidades que foram agravadas com a infeção pelo novo coronavírus, acabando por falecer ao início da noite de quinta-feira, no Hospital de Braga.

Mário Ferreira Gomes, pároco de Campo, Couto, Roriz e Tamel S. Pedro Fins, apresentava já alguns sintomas de constipação no domingo à noite, mas só na segunda, quando estava prestes a perder os sentidos, ligou aos serviços de emergência.

Os Bombeiros de Barcelos encontraram a vítima inconsciente no apartamento onde residia, transportando-o de urgência para o Hospital de Barcelos.

No próprio dia, acabou por ser transferido para Braga em “estado crítico”, para a unidade de cuidados intensivos para doentes covid.

Acabou por sofrer paragem cardiorrespiratória após falência de vários órgãos provocada pelo SARS CoV-2.

Ainda não são conhecidas as datas para as cerimónias fúnebres.

Continuar a ler

Barcelos

Vereador julgado por uso indevido de viaturas da Câmara de Barcelos

Domingos Pereira era deputado do PS na Assembleia da República

Foto: DR / Arquivo

Um juiz de instrução criminal de Braga decidiu levar a julgamento o ex-deputado socialista Domingos Pereira, pela alegada utilização abusiva de viaturas do município de Barcelos em deslocações entre esta cidade e a Assembleia da República.

Segundo nota hoje publicada na página da Procuradoria-Geral Regional do Porto, o juiz de instrução confirmou a acusação do Ministério Público (MP), imputando ao arguido os crimes de peculato de uso e de abuso de poder.

Na altura dos factos, Domingos Pereira era deputado na Assembleia da República e também vereador e vice-presidente da Câmara de Barcelos, em regime de não permanência.

O MP considerou indiciado que Domingos Pereira, entre novembro de 2015 e março de 2016, “utilizou para se deslocar entre a Câmara Municipal de Barcelos e a Assembleia da República, e regresso, três viaturas automóveis que estavam afetas exclusivamente aos membros do executivo da autarquia, assim como os serviços do respetivo motorista funcionário da Câmara Municipal de Barcelos”.

De acordo com a acusação, estas deslocações ocorreram, “exclusivamente”, no âmbito do exercício do mandato como deputado e não por motivo de serviço para a Câmara Municipal de Barcelos.

A acusação sublinha ainda que o arguido, enquanto vereador em regime de não permanência, “não tinha direito ao uso de viatura municipal, nem a motorista, quando a sua utilização não fosse por motivo de serviço da autarquia ou para assistir às reuniões ordinárias e extraordinárias dos respetivos órgãos”.

Sublinhando que o arguido, enquanto deputado, “sempre recebeu” o subsídio relativo às deslocações entre a residência e a Assembleia da República, o Ministério Público acrescenta que Domingos Pereira, com a sua conduta, causou com um prejuízo de 1.749 euros à Câmara de Barcelos.

A Lusa contactou Domingos Pereira, que disse estar “de consciência completamente tranquila”, adiantando que “no julgamento será desmontada toda a acusação”.

Domingos Pereira desfiliou-se, entretanto, do PS e abandonou o lugar de deputado na Assembleia da República.

Fundou o movimento independente Barcelos, Terra de Futuro, pelo qual foi eleito vereador nas últimas autárquicas.

Continuar a ler

Populares