Seguir o O MINHO

Região

Chuva, trovoada e vento forte colocam distritos de Braga e Viana sob aviso amarelo

Meteorologia

em

Foto: DR / Arquivo

Os distritos de Braga e Viana do Castelo estão hoje sob aviso amarelo devido à previsão de aguaceiros, por vezes fortes, acompanhados de trovoada frequente e rajadas de vento, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). O aviso entra  em vigor às 18:00 desta sexta-feira e prolonga-se até às 00:00 de sábado.

De resto, todos os distritos de Portugal continental, exceto Bragança, estão sob aviso amarelo devido à previsão de aguaceiros, por vezes fortes, acompanhados de trovoada frequente e rajadas de vento.

O aviso amarelo para os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Vila Real, Viseu, Guarda, Aveiro, Coimbra e Leiria vai estar em vigor até às 00:00 de sábado.

Castelo Branco, Portalegre, Santarém, Lisboa, Setúbal, Beja, Évora e Faro estão sob aviso amarelo devido à previsão de aguaceiros e rajadas de vento até às 21:00 de hoje e trovoada frequente até às 18:00 de hoje.

O IPMA colocou também o arquipélago da Madeira sob aviso amarelo devido à previsão de vento forte com rajadas até 100 quilómetros por hora até às 12:00 de hoje.

O aviso amarelo é emitido pelo IPMA sempre que existe uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

O IPMA prevê para hoje no continente céu geralmente muito nublado e aguaceiros, por vezes fortes, ocasionalmente de granizo e acompanhados de trovoada.

A previsão aponta também para vento fraco a moderado do quadrante leste, por vezes forte no litoral, soprando forte nas terras altas, com rajadas até 90 quilómetros por hora, rodando gradualmente para o quadrante sul.

Está ainda prevista uma pequena subida da temperatura mínima nas regiões Norte e Centro e descida da máxima no litoral oeste.

As temperaturas mínimas no continente vão oscilar entre os 8 graus Celsius (em Bragança) e os 15 (em Faro) e as máximas entre os 12 graus (na Guarda) e os 19 (em Faro).

O IPMA prevê para hoje na Madeira períodos de céu muito nublado e aguaceiros, por vezes acompanhados de trovoada, diminuindo de intensidade e frequência a partir do meio da manhã.

Está também previsto vento moderado a forte de oeste/sudoeste, com rajadas até 80 quilómetros por hora, em especial nas vertentes leste e oeste da ilha da Madeira, e soprando forte, com rajadas até 100 quilómetros por hora, nas terras altas, diminuindo gradualmente de intensidade a partir da tarde e uma pequena subida da temperatura máxima.

No Funchal as temperaturas vão oscilar entre os 15 e os 22 graus e no Porto Santo entre os 15 e os 20.

Alto Minho

Casos ativos descem em Viana, Ponte de Lima e Arcos de Valdevez, mas sobem em Monção e Melgaço

Atualização da ULSAM

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

Há 3.182 casos ativos no Alto Minho, menos 232 do que ontem, segundo o boletim da Unidade de Saúde Local do Alto Minho (ULSAM), atualizado às 20:00 desta quarta-feira.

O distrito de Viana do Castelo soma, desde o início da pandemia, 11.733 casos, mais 552 desde ontem.

Contam-se ainda 8.344 recuperados, mais 774 em relação a terça-feira.

Há a lamentar mais dez óbitos (207 no total desde o início da pandemia: um em Viana do Castelo (total de 55), três em Ponte de Lima (39), um em Valença (10), um em Paredes de Coura (2), dois em Arcos de Valdevez (18) e dois em Monção (25).

Viana do Castelo tem agora 816 907 casos ativos (- 91 do que ontem), Ponte de Lima 612 (- 29), Caminha 340 (- 27), Arcos de Valdevez 380 (- 59), Ponte da Barca 198 (- 51), Valença 155 (- 9), Melgaço 183 (+ 19), Monção 151 (- 2), Paredes de Coura 166 (+ 3) e Cerveira 181 (+ 14).

Continuar a ler

Aqui Perto

Marginais e passadiços de Vila do Conde e Póvoa de Varzim encerrados à circulação pedonal

Covid-19

Foto: CM Póvoa de Varzim / Arquivo

As Câmaras da Póvoa de Varzim e Vila do Conde, cidades vizinhas do distrito do Porto, decidiram hoje encerrar à circulação pedonal as vias marginais e os passadiços nos concelhos, como medida de combate à propagação da covid-19.

Segundo a autarquia vila-condense, passa a ser “proibida a circulação nos passadiços e na frente de mar, assim como a permanência em espaços públicos de lazer, parques ou jardins”, tendo também sido decretada “o encerramento do Parque João Paulo II e das casas de banho públicas”.

A Câmara de Vila do Conde, que tem, atualmente, 1.406 novos casos por 100 mil habitantes, contabilizados nos últimos sete dias, integrando a lista dos concelhos de “Risco Extremo”, garantiu, ainda, “o reforço do policiamento em todo o território”.

Um pouco mais a norte, no município vizinho da Póvoa de Varzim, a autarquia também decidiu “restringir a permanência em espaços públicos, nomeadamente jardins, parques lúdicos e infantis, Parque da Cidade, assim como o acesso aos passadiços e à marginal”.

A Câmara da Póvoa de Varzim, que irá articular com a PSP e a GNR para que se reforce a fiscalização do cumprimento destas normas, anunciou, também, “a restrição da circulação rodoviária na Avenida dos Banhos [principal via da cidade na marginal] entre as 08:00 horas de sábado e as 19:00h de domingo”.

O município poveiro integra, igualmente, a lista de concelhos em “Risco Extremo”, com 1464 novos casos por 100 mil habitantes, registados na última semana.

Portugal registou hoje 219 mortes relacionadas com a covid-19 e 14.647 novos casos de infeção com o novo coronavírus, os valores mais elevados desde o início da pandemia, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 2.058.226 mortos resultantes de mais de 96,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 9.465 pessoas dos 581.605 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Continuar a ler

Alto Minho

Câmara de Ponte da Barca quer fechar escolas após vinte casos positivos

Covid-19

Foto: DR

O presidente da Câmara de Ponte da Barca pediu hoje a suspensão do ensino presencial “face ao agravamento da situação epidemiológica na comunidade escolar”, com 20 novos casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2 detetados em dois dias”.

Em declarações à agência Lusa, no final de uma reunião da comissão municipal de proteção civil, o social-democrata Augusto Marinho explicou que a decisão de pedir à Direção Geral da Saúde (DGS) a suspensão da atividade letiva presencial nos estabelecimentos de educação e ensino do concelho de Ponte da Barca  foi tomada por unanimidade.

Na terça-feira, a Câmara de Ponte da Barca iniciou do rastreio voluntário da comunidade escolar, através de testes rápidos de deteção de antigénio para o Sars-Cov-2.

Segundo o autarca, o agrupamento de escolas é composto por 1.198 alunos, 137 professores e 86 auxiliares de ação educativa.

“Na terça-feira dos 408 testes realizados, dez tiveram resultado positivo, todos alunos. Hoje realizámos 201 despistes, e detetámos oito alunos e dois professores infetados”.

“Na semana passada já tínhamos testado os 86 auxiliares de ação educativa, sendo que dois estão infetados com vírus SARS-CoV-2”, destacou.

Segundo Augusto Marinho, a estes números “acrescem 250 estudantes que já não estão a ir à escola por se encontrarem em confinamento obrigatório ou isolamento profilático”.

“Esses alunos não foram testados”, ressalvou à Lusa no final da segunda reunião da comissão municipal de proteção civil realizada hoje.

“Na quinta-feira vamos realizar os testes que faltam, nomeadamente aos 100 alunos, 28 professores e sete auxiliares na Escola Profissional do Alto Lima (EPRALIMA)”, acrescentou.

Augusto Marinho adiantou que na segunda reunião da comissão municipal de proteção civil participaram o delegado de Saúde do distrito de Viana do Castelo, o diretor do agrupamento de escolas de Ponte da Barca, a presidente da Associação de Pais do agrupamento de escolas de Ponte da Barca e o diretor-geral da Escola Profissional do Alto Lima (EPRALIMA).

“Foi decidido solicitar à Administração Regional de Saúde do Norte, à Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGESTE) e ao Instituto da Segurança Social (ISS) que diligenciem, junto da Direção-Geral da Saúde (DGS), a suspensão da atividade letiva presencial nos estabelecimentos de educação e ensino do Concelho de Ponte da Barca, com efeitos imediatos e até que a mesma se justifique, mediante a monitorização da situação”, referiu.

“Esta é uma medida urgente que deve ser tomada num momento em que ainda é possível controlar uma maior propagação em contexto escolar”, sustentou.

Além do rastreio à comunidade escolar, “integralmente suportado pela Câmara Municipal, na semana passada foram testados os 267 funcionários municipais onde se incluem as auxiliares de ação educativa”.

O presidente da Câmara de Ponte da Barca, retomou a atividade na segunda-feira, após ter recuperado da infeção pelo vírus SARS-CoV-2.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.058.226 mortos resultantes de mais de 96,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 9.465 pessoas dos 581.605 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Continuar a ler

Populares