Seguir o O MINHO

Braga

Chega reafirma “grande objetivo” de ganhar a Câmara de Braga

Eleições autárquicas 2021

em

Foto: Facebook / Chega Braga

A cabeça de lista do Chega à Câmara de Braga considerou hoje que com a campanha conseguiu “chegar às pessoas” e reafirmou que o “grande objetivo” é ganhar a autarquia e “tirar a maioria” ao atual executivo.

Em declarações à Lusa, Eugénia Santos referiu que o balanço da campanha autárquica é “muito positivo” e que a surpreendeu a “pobreza em alguns aspetos” do concelho.

“Fazemos um balanço muito positivo [da campanha]. Quando iniciámos a campanha já íamos com um boa perspetiva mas agora melhor, conseguimos chegar perto das pessoas e conseguimos perceber que a tal ideia que muita gente tinha do Chega não corresponde à verdade”, disse.

Sobre o que retira dos dias de campanha, Eugénia Santos apontou a “proximidade das pessoas” e algumas surpresas.

“Surpreendeu-me em parte a pobreza em alguns aspetos. Não em termos de pobreza propriamente dita, mas de coisinhas pequeninas que aos olhos deste executivo parecem insignificantes e para as pessoas atrasa-lhes muito o dia-a-dia e dificulta-lhes a vida”, explicou.

Para a candidata do Chega, “são coisas fáceis de resolver para quem tem um poder numa autarquia se as ouvir”.

Por outro lado, Eugénia Santos também se surpreendeu com aspetos positivos: “A valorização, que fiquei admirada e confesso que não sabia, que tínhamos em Braga tanta referência em termos de empresas e jovens com tanta capacidade de trabalho fora do normal e é completamente descurado porque se insiste em não ouvir as pessoas”, disse.

A candidata reafirmou ainda os objetivos da sua candidatura: “O grande objetivo, eu sempre disse que é ganhar a Câmara Municipal. O segundo grande objetivo é sem dúvida, tirar a maioria absoluta a este executivo” enumerou.

Nas eleições de domingo, os cabeças de lista à Câmara de Braga são Ricardo Rio (PSD/CDS-PP/PPM/Aliança), Hugo Pires (PS), Bárbara Barros (CDU), Alexandra Vieira (Bloco de Esquerda), Teresa Mota (Livre), Olga Baptista (Iniciativa Liberal), Rafael Pinto (PAN) e Eugénia Santos (Chega).

Populares