Seguir o O MINHO

Alto Minho

CDU quer investigação a aluguer de armazém municipal que “lesa” Arcos de Valdevez

Gastos 900 mil euros em rendas

em

Câmara de Arcos de Valdevez. Foto: DR / Arquivo

Os deputados da CDU na Assembleia Municipal de Arcos de Valdevez defenderam hoje uma investigação ao aluguer, pela Câmara local, de um edifício onde funcionam armazéns municipais, por considerarem o arrendamento “gravemente lesivo dos interesses do município”.

Em comunicado enviado às redações, os deputados comunistas Romão Araújo e António Maria Sousa explicam que, com o aluguer daquele edifício, “já foram gastos mais de 900 mil euros em rendas” desde fevereiro de 2003.

“Entendemos que estes factos são de grande importância, pelo que uma investigação seria útil para descortinar qual o motivo de se manter um arrendamento nestes moldes quando seria possível tomar outras opções políticas em prol dos arcuenses. Foi adquirido terreno para se implantar o armazém municipal, sem que tenha havido vontade política de o concretizar. No entretanto, mantém-se um arrendamento que é gravemente lesivo dos interesses do município de Arcos de Valdevez”, sustentam os deputados comunistas.

Para a CDU, este é um exemplo de “má gestão dos dinheiros públicos” por parte da maioria PSD na autarquia.

Contactado pela agência Lusa, o presidente da Câmara de Arcos de Valdevez, João Manuel Esteves, disse que “o contrato de arrendamento referido está em vigor desde o dia 01 de fevereiro de 2003, nos termos da lei”, explicando que “a edificação de um equipamento para os serviços municipais não ocorreu porque não tem havido apoios financeiros para esse fim”.

“Como tal, a autarquia tem investido em outras áreas prioritárias em prol dos arcuenses, como a educação, a ação social, a criação de emprego, a dinamização económica e cultural, as infraestruturas básicas e as acessibilidades”, sustentou o autarca social-democrata.

A CDU lembra que “existiu já um projeto, assim como a aquisição de terrenos, para a construção de armazéns municipais durante o mandato de Francisco Araújo enquanto presidente da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez”.

“Sucede que, com a entrada do executivo de João Esteves, estes projetos não foram levados avante, não obstante ter sido adquirido terreno para o efeito”, sustenta a CDU.

Os deputados municipais querem saber “a quem serve esta situação e quem beneficia com um arrendamento nestes moldes”.

O presidente João Manuel Esteves disse ainda à Lusa que a autarquia “está a desenvolver um projeto que poderá levar à criação de um espaço oficinal” para o município.

“Relativamente às restantes questões não nos pronunciamos, pois não têm qualquer fundamento”, conclui o autarca.

EM FOCO

Populares