Seguir o O MINHO

Braga

Cávado mantém-se como a sub-região com melhor esperança de vida no país

Braga, Barcelos, Vila Verde, Amares, Terras de Bouro e Esposende é onde se vive até mais tarde

em

Foto: O MINHO

A esperança média de vida continua a aumentar em Portugal, atingindo já a marca global de 80,8 anos, divulgou esta quinta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).


A sub-região do Cávado, que engloba Braga, Barcelos, Vila Verde, Amares, Terras de Bouro e Esposende, continua a ser o local do país onde a esperança de vida global é maior, cifrando-se a média global nos 81,81 anos.

No Cávado, e à semelhança do resto do país, as mulheres vivem mais tempo, com uma esperança de vida de 83,77, enquanto que os homens chegam, em média, aos 78,25 anos.

A nível nacional, as médias são ligeiramente mais baixas, com as mulheres a situarem-se nos 83,43 anos e os homens nos 77,78.

Se grande parte do distrito de Braga é onde mais se vive, no pólo oposto estão as ilhas e o baixo Alentejo, com três anos de diferença.

Um bebé que nasça na Madeira vive em média menos cinco anos do que um recém-nascido em Braga, por exemplo.

Uma criança nascida no baixo Alentejo, vive em média menos três anos que uma nascida na sub-região do Cávado.

Segundo as conclusões do INE, nos últimos três anos a esperança média de vida aumentou ligeiramente e a diferença entre homens e mulheres tem-se vindo a esbater.

Ao longo dos últimos 50 anos, a esperança de vida em Portugal aumentou em mais de 10 anos, e para isso contribuiu as melhorias na assistência médica, o acesso a outro tipo de cuidados médicos e a melhoria das condições económicas em termos gerais.

Anúncio

Braga

Hospital de Braga está a recrutar enfermeiros

Emprego

em

Foto: DR / Arquivo

O Hospital de Braga abriu concurso público para a constituição de bolsa de recrutamento de enfermeiros.

O processo de recrutamento tem em vista o preenchimento de necessidades que possam vir a ocorrer, tratando-se de regime celebração de contratos de trabalho sem termo, a termo resolutivo certo e/ou a termo resolutivo incerto, correspondente a uma carga horária semanal de 35 horas, em regime de trabalho por turnos.

A seleção decorrerá em duas fases. A primeira é de avaliação curricular, tendo em conta as dimensões das habilitações académicas, formação profissional na área de Enfermagem, experiência profissional, bem como outros elementos relevantes; a segunda fase decorrerá a entrevista profissional.

As candidaturas devem ser feitas através de formulário online.

Os requisitos e outras informações podem ser consultados no site do Hospital de Braga.

Continuar a ler

Braga

Feira do Livro virtual de Braga regista cinco mil visitas

Cultura

em

Foto: Divulgação

A Feira do Livro de Braga, que arrancou virtualmente na sexta feira, dia 03, contou já com a visita de mais de cinco mil pessoas. A este número juntam-se ainda 500 pessoas que assistiram, nestes primeiros seis dias, às várias sessões do programa cultural promovido pelo Município e pelo mecenas do evento, o dstgroup.

Fonte da empresa municipal InvestBraga adiantou, hoje, que a programação cultural da 29.ª edição conta com várias “Conversas em streaming” com autores nacionais e estrangeiros, passatempos, ofertas de livros e também iniciativas da responsabilidade do patrocinador principal, há mais de 25 anos, o dstgroup, dirigido por José Teixeira.

Nesta edição digital, e para o mundo, é possível visitar entre livrarias, editoras e alfarrabistas, 20 expositores presentes na feira através de um Virtual Tour, e adquirir diversos os produtos a partir da plataforma de vendas online, Dott, que conta com mais de cinco mil livros.

A viagem virtual pela feira inicia-se numa «street view» das avenidas onde a feira tinha usualmente lugar e é nesse espaço que é possível entrar em cada um dos stands dos diferentes expositores para consultar os seus catálogos de livros. Nessa fase, os  visitantes são direcionados para a loja online da Feira, onde podem efetuar todo o processo de compra dos produtos escolhidos. A entrega das encomendas fica, por sua vez, a cargo dos CTT.

De referir que a Feira do Livro é uma organização do Município de Braga e da InvestBraga em estreita colaboração com a Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, com a The Book Company | Booktailors, os CTT e a DOTT e com o mecenato da dst group.

A feira virtual está disponível desde o dia 3 e prolonga-se até ao dia 03 de setembro de 2020.

Continuar a ler

Braga

Advogados querem que brasileira detida na Cairense deixe de se apresentar na PSP

Provas de que se prostituía são “meras conjeturas”

em

Imagem via Google Maps

O Tribunal Central Administrativo do Norte rejeitou um recurso do SEF e confirmou a decisão do Administrativo de Braga de suspender a expulsão de uma cidadã brasileira, a qual não chegou a sair de Portugal, devido à interposição de uma providência cautelar.

A imigrante havia sido detida, em dezembro, com outras sete mulheres, numa operação policial na Residencial Cairense em Braga. Agora, o seu advogado de defesa, João Magalhães que representa, ainda, outra cidadã brasileira detida na mesma noite na Cairense, pediu à juíza que anule a obrigatoriedade de as duas se apresentarem semanalmente na PSP.

‘Rusga’ em ‘casa de alterne’ de Braga termina com identificação de 28 mulheres e 50 clientes

No requerimento, o jurista lembra que, e conforme o MINHO noticiou, o Administrativo de Braga já considerara, na sua sentença, não ter ficado provado que a mulher trabalhasse no alterne ou na prostituição já que foi encontrada a tomar café naquela unidade hoteleira.

O Tribunal do Norte, a segunda instância, confirmou esta versão e diz que o SEF a expulsou com base em “meras conjeturas, não demonstradas e apenas com provas indiciárias”.

Embora o advogado não o especifique, a verdade é que, se a medida de coação de apresentações semanais na Polícia não for revogada, as duas imigrantes terão de ali se deslocar ao longo de vários anos, já que, como é sabido e não se prevê que tenha alteração a breve prazo, um processo no Tribual Administrativo de Braga pode durar seis a dez anos a ser decidido, por falta de juízes e de salas.

“É inaceitável e inconcebível que o Estado Português e o Tribunal continue a tratar a aqui Requerente , como uma prostituta. Quando, na verdade, a mesma, tem uma Sentença do Tribunal Administrativo Fiscal de Braga e um Acórdão do Tribunal Central Administrativo do Norte, que prova, inegavelmente, que a mesma não se encontra em território português a prostituir-se. Encontrando-se sim, à procura de emprego, na tentativa de se estabilizar profissional e economicamente”, lê-se no requerimento.

Continuar a ler

Populares