Seguir o O MINHO

Cabeceiras de Basto

Câmara diz que cumpre plano acordado com Iberdrola e acusa junta de Cavez de “intoxicação”

em

A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto pronunciou-se sobre a manifestação em frente ao Município esta segunda-feira promovida pela Junta de Freguesia de Cavez, acusando o seu presidente de “promover uma campanha de intoxicação dos Cavezenses, porque baseada em informações falsas, que não correspondem à verdade, com objetivos pouco claros mas que não se distanciam muito da política de populismo tão em voga nos dias que correm”.

A população da vila de Cavez manifestou-se em frente à Câmara em protesto contra a não aplicação na freguesia de uma verba de 2,7 milhões de euros paga pela Iberdrola por causa da construção da barragem de Daivões.

“A Câmara lamenta que a Junta promova ações de rua que não resolvem coisa nenhuma, servindo apenas para agitar e fazer folclore à volta de assuntos tão sérios como são o processo de desenvolvimento dos territórios”, afirma a Autarquia, em comunicado.

A autarquia “lamenta, ainda, que a Junta seja tão pouco solidária com os demais territórios do concelho querendo egoisticamente que todo o investimento se faça na sua freguesia sem ter em conta a coesão territorial do concelho”.

O presidente da Junta de Freguesia, Paulo Guerra disse ao O MINHO que a empresa elétrica espanhola se comprometeu a dar aquele montante, pago em parcelas anuais, até 2023, para compensar o impacto que a barragem teve na pista de pesca, cuja ampliação, prevista no orçamento municipal, se tornou inviável com a empreitada.

“Só em 2023 é que voltámos a ter a pista de pesca. A Iberdrola combinou com a Câmara pagar uma compensação à freguesia, mas a Autarquia está a investir o dinheiro noutras obras e noutros locais”, sublinhou, frisando que, além da pista, a zona de Cavez está a sofrer outros impactos negativos, como os da destruição de estradas e caminhos com a passagem de camiões.

O autarca diz que protestou “inúmeras vezes” na Câmara e na Assembleia Municipal contra o “desvio” das verbas e pedindo a sua aplicação na zona, mas a maioria socialista chumbou sempre as iniciativas nesse sentido.

“Como não nos ouvem, temos que nos fazer ouvir e vamos protestar junto da Câmara”, acentuou.

No comunicado, o Município lembra que chegou a acordo com a Iberdrola para gerir aquela verba, a aplicar num Plano de Ação para o Desenvolvimento Socioeconómico e Cultural da Bacia do Tâmega e salienta que, “até ao momento a Câmara afetou ou cativou 73% das verbas do referido acordo para obras nos territórios afetados pela construção da barragem”.

Estes investimentos – acentua – envolvem a requalificação do centro urbano da Vila de Cavez; a renovação das redes, fecho do sistema e extensão do serviço de abastecimento de água/águas residuais nas freguesias de Cavez, Gondiães e Vilar de Cunhas; a beneficiação do sistema de abastecimento de água à freguesia de Cavez (1ª fase); e o apoio para arrelvamento do campo de futebol do Grupo Desportivo de Cavez.

Os projetos envolvem, também,o apoio para a requalificação do edifício sede do Rancho Folclórico “Os Camponeses de Arosa”, Cavez; o saneamento nas Cerdeirinhas e Ribeiro do Arco (1ª fase), em Cavez; a reformulação das zonas de abastecimento de água de Gondiães e Vilar de Cunhas; e a ampliação da rede de saneamento de Cavez.

Anúncio

Cabeceiras de Basto

Homem detido por tráfico de droga em festival de música em Cabeceiras de Basto

Foram também elaborados 18 autos de contraordenação por infrações rodoviárias

em

Foto: Divulgação

A GNR deteve um homem de 27 anos em Cabeceiras de Basto por tráfico de estupefacientes, no âmbito de uma operação de prevenção criminal num festival de música que decorreu no fim de semana, anunciou hoje aquela força.

Em comunicado, a GNR acrescenta que foram ainda elaborados 12 autos de contraordenação por posse/consumo de estupefacientes.

A operação resultou na apreensão de 129 doses de haxixe, 69 doses de canábis (folhas) e um comprimido de metadona.

Foram também elaborados 18 autos de contraordenação por infrações rodoviárias.

Continuar a ler

Cabeceiras de Basto

PJ detém suspeito de atear três fogos em Cabeceiras de Basto

Homem de 58 anos

em

Foto: DR / Arquivo

A Polícia Judiciária (PJ) deteve um homem de 58 anos por suspeitas de ter ateado esta semana três incêndios florestais em Cabeceiras de Basto, no distrito de Braga, anunciou hoje aquela polícia.

Em comunicado, a PJ explica que o detido, desempregado, é suspeito de ter ateado três fogos, dois ocorridos na noite de segunda-feira e um na manhã de quarta-feira, numa freguesia de Cabeceiras de Basto.

O homem, residente em Cabeceiras, regista antecedentes criminais pela prática de incêndios florestais de natureza dolosa, adianta.

“Os incêndios consumiram principalmente área florestal e sobrante, não tendo atingido outras proporções devido à pronta intervenção dos bombeiros cabeceirenses que impediram a sua propagação”, refere a PJ.

Identificado e detido fora de flagrante delito, o suspeito vai ser hoje presente a primeiro interrogatório judicial, acrescenta a PJ.

Continuar a ler

Ave

Fafe, Cabeceiras de Basto e Celorico de Basto em risco muito elevado de incêndio

Vários concelhos dos distritos de Braga e Viana do Castelo apresentam risco elevado

em

Imagem: IPMA

Fafe, Cabeceiras de Basto e Celorico de Basto, no distrito de Braga, fazem parte de uma lista de mais de 60 concelhos de 12 distritos de Portugal continental que apresentam hoje um risco muito elevado de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O IPMA colocou, ainda, em risco muito elevado de incêndio mais de 60 concelhos dos distritos de Faro, Portalegre, Santarém, Castelo Branco, Leiria, Coimbra, Guarda, Vila Real, Viseu, Porto e Bragança.

Há também vários concelhos dos 18 distritos do continente em risco elevado de incêndio.

Arcos de Valdevez, Caminha, Monção, Paredes de Coura, Ponte da Barca e Vila Nova de Cerveira, no distrito de Viana do Castelo, e Amares, Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho, Vila Verde e Terras de Bouro, no distrito de Braga, encontram-se em risco elevado.

De acordo com o instituto, o risco de incêndio vai aumentar progressivamente até sábado, dia em que a quase totalidade do território continental apresentará um risco elevado, muito elevado ou máximo.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo, sendo o elevado o terceiro nível mais grave.

Os cálculos para este risco são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

O IPMA prevê para hoje no continente céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade e com neblina ou nevoeiro nas regiões Norte e Centro até início da manhã.

Está também previsto vento fraco a moderado do quadrante norte, temporariamente do quadrante oeste na região Sul, soprando moderado a forte, com rajadas até 65 quilómetros por hora, no litoral oeste e terras altas, em especial a partir da tarde.

A previsão do IPMA aponta ainda para uma pequena descida da temperatura mínima e subida da temperatura máxima nas regiões Centro e Sul.

As temperaturas mínimas no continente vão oscilar entre os 13 graus Celsius (em Coimbra) e os 19 (em Faro) e as máximas entre os 24 (em Aveiro) e os 36 (em Castelo Branco).

Continuar a ler

Populares