Seguir o O MINHO

Ave

Câmara de Guimarães adjudicou obras a empresa que fez descargas ilegais

em

Segundo revela a coligação Juntos Por Guimarães

A coligação “Juntos Por Guimarães”, formada por PSD, CDS e Movimento Partido da Terra, pronunciou-se esta segunda-feira, em comunicado, sobre a questão das “sucessivas descargas ilegais que têm sido noticiadas ocorrerem para o leito do rio Ave”, a última das quais foi “confessadamente praticada” pela Nicolau de Macedo, empresa que integra o grupo ABB, na semana passada.


“No período compreendido entre a última ocorrência pública e a data presente tivemos a oportunidade de, com calma e serenidade, assistir a diversas e sucessivas intervenções públicas, seja do Sr. Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, seja de outros representantes da autarquia (que não o vereador responsável pela área do ambiente). Refere, em síntese, o Sr. Presidente da Câmara Municipal que a referida pedreira deveria ser “encerrada”. Acrescentando ainda que a Câmara Municipal apesar de tudo ter feito, na pode fazer porque, afinal, não tem qualquer competência no que diz respeito ao tema em questão, competindo a fiscalização à Agência Portuguesa do Ambiente”, começa por dizer a nota enviada pela coligação a O MINHO.

Face a isto, a coligação “Juntos por Guimarães” acusa a Câmara Municipal de Guimarães de “suprema contradição”, sustentando que se, por um lado, esta se diz favorável a um encerramento da pedreira em questão, por outro, acaba por fazer adjudicações diretas à mesma empresa ou a empresas do grupo económico em que a empresa alegadamente infratora se enquadra.

“Ainda no recente dia 23.02.2016 a Câmara Municipal de Guimarães celebrou, por ajuste direto, um contrato de “Empreitada de Obras Públicas”, com a sociedade ABB S.A., relativo “à pavimentação das Ruas da Veiga e do Souto e Minotes em Fermentões e reparação do Ringue da escola EB1 do Motelo, em Fermentões”, pelo preço de €128.953,28 (acrescido de IVA). Tendo em conta o histórico subjacente às descargas de uma empesa integrada no grupo empresarial afigura-se absolutamente incompreensível que, por ajuste direto, o município convide para executar obras promovidas pelo próprio município empresas do mesmo grupo com quem mantém alegados litígios em matérias fundamentais. De igual forma, convém relembrar que já em 16.06.2015 o Município de Guimarães celebrou com a sociedade Nicolau de Macedo S.A. um contrato de aquisição de bens relativo a “materiais inertes”. Ou seja, premiando o alegado infrator e em momento em já se verificavam descargas poluentes cuja origem era imputada à empresa a quem o Município viria adjudicar a referida aquisição de inertes”, acusa a coligação liderada pelo PSD.

A coligação que lidera a oposição em Guimarães recusa aquilo a que chama de “verdadeiros circos mediáticos de cada vez que acontece uma descarga, mas que, passada a espuma mediática, tudo se esquece e tudo fica deliberadamente esquecido”.

A GNR informou na última quinta-feira que “têm sido levantados autos” de contraordenação à pedreira Nicolau de Macedo, em Guimarães, por descargas poluentes para o rio Ave.

A pedreira admitiu160o “incidente”, tendo o caso ganho mais relevo quando se tornou público que o responsável pela empresa é também responsável pela despoluição daquele curso, situação que o presidente da câmara de Guimarães declarou “não entender”.

logo Facebook Fique a par das Notícias de Guimarães. Siga O MINHO no Facebook. Clique aqui

Anúncio

Ave

Menina de 10 anos atropelada em Vizela

Atropelamento

em

Foto: DR

Uma criança de 10 anos sofreu ferimentos na sequência de um atropelamento nesta noite de sábado, em Vizela, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

Pelo que foi possível apurar, a jovem sofreu trauma num dos braços ao ser abalroada por uma viatura, na Rua de Lavandeira, em Santa Eulália de Vizela.

Para o local foi uma ambulância dos Bombeiros de Vizela procedendo à estabilização da vítima. Os ferimentos foram considerados ligeiros.

O alerta foi dado às 22:25 horas.

A menor foi transportada para o Hospital de Braga com edemas e equimoses nos braços.

Duas patrulhas da GNR registaram a ocorrência.

Continuar a ler

Ave

Idoso em estado grave após atropelamento em passadeira na estrada Famalicão-Guimarães

Atropelamento rodoviário

em

Foto: O MINHO / Arquivo

Um homem de 71 anos sofreu ferimentos graves na sequência de um atropelamento na Estrada Nacional 206, em Pousada de Saramagos, concelho de Famalicão, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

A vítima estaria a atravessar uma passadeira quando foi colhido pelo automóvel nesta estrada que liga as cidades de Famalicão e Guimarães.

Para o local foi mobilizada uma ambulância dos Bombeiros de Famalicão apoiada pela equipa médica da Viatura Médica de Emergência e Reanimação do INEM.

A vítima foi transportada para o Centro Hospitalar do Médio Ave.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Guimarães

Guimarães mantém Plano Municipal de Emergência para acompanhar evolução da covid

Covid-19

em

Foto: DR

A Câmara de Guimarães mantém ativo o Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil e, consequentemente, o Centro de Coordenação Operacional Municipal para permitir a coordenação de todas as entidades relativamente à evolução concelhia da covid-19.

A decisão, que foi tomada na sexta-feira após reunião com a Comissão Municipal de Proteção Civil, tem em conta a necessidade de “acompanhamento permanente e estreita coordenação entre as instituições, bem como do devido planeamento, por forma a promover o regresso à normalidade”, refere um comunicado da autarquia.

O presidente da Câmara Municipal, Domingos Bragança, citado no comunicado, avançou a intenção de “estimular o comércio e a restauração, impulsionar a dimensão cultural e de espaços públicos, bem como de aumentar a resposta ao nível da oferta de transportes públicos”, tendo sempre como prioridade “a segurança dos cidadãos”, atendo à possibilidade de “uma nova vaga” de infeções.

Nesse sentido, sublinhou ser “importante a adequação dos Planos de Contingência das diversas instituições, públicas e privadas”, e o cumprimento das indicações das autoridades de saúde” para manter a segurança nesta fase.

Continuar a ler

Populares