Seguir o O MINHO

Braga

Câmara de Braga defende que edifício das Convertidas não deve ser habitação

Intenção do Governo em transformar o edifício em alojamento com renda acessível “não é consentâneo” com a “formatação do espaço”, diz Ricardo Rio

em

Foto: O MINHO (via Google Maps)

O presidente da Câmara de Braga defendeu, na segunda-feira, que a intenção do Governo em transformar o edifício do Recolhimento das Convertidas em alojamento com renda acessível “não é consentâneo” com a “formatação do espaço”.

No final da reunião do executivo camarário, na habitual conversa com os jornalistas, Ricardo Rio afirmou ainda estar “surpreendido” com a intenção do Governo em que aquele edifício seja transformado para aquele fim, dizendo que a autarquia não foi contactada.

Do lado da oposição, o líder do PS, Artur Feio, argumentou que “tem que haver uma solução” para as Convertidas, dando conta da disponibilidade do ministro Pedro Nuno Santos, que tem em mãos o dossier da habitação, em visitar o local “rapidamente”.

O edifício do Recolhimento das Convertidas é da propriedade do Ministério da Administração Interna e faz parte da lista apresentada pelo Governo de edifícios da sua propriedade que devem ser rentabilizados.

“Ficamos surpreendidos porque não fomos contactados e achámos que a topologia do imóvel, a sua classificação, a existência da capela, toda a formatação do espaço não é muito consentâneo para o aproveitamento que está agora a ser preconizado”, disse Rio

O autarca explicou que para o edifício, que chegou a ser equacionado como possível localização para a Pousada da Juventude de Braga, o atual executivo “tinha em mente a utilização para fins culturais”.

Artur Feio destacou que “as Convertidas têm que ter uma solução”.

“O PS tinha uma ideia e o propósito de transformar todo o complexo na Pousada da Juventude e para isso havia financiamento. Esta memória recusou essa visão e entendemos que qualquer que seja a intervenção no edifício é sempre bem-vinda, porque é um edifício com valor histórico que está devoluto no meio da cidade e que faz parte do património histórico de Braga”.

O socialista deu ainda conta da intenção do ministro Pedro Nuno Santos em visitar “rapidamente” o local.

“Estará a ser agendada uma visita técnica ao local com o ministro da tutela da Habitação”, confirmou o presidente da autarquia.

Anúncio

Braga

Homem mata mulher a tiro em Braga

Violência doméstica

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Uma mulher de 54 anos morreu esta sexta-feira em Braga vítima de um tiro de arma de fogo disparado pelo próprio marido.

O homem terá disparado sobre a mulher dentro da residência, localizada na rua da Bugide, freguesia de Pedralva.

Dirigiu-se esta noite ao posto territorial do Sameiro (GNR) onde confessou a autoria do crime.

Ao local acorreu uma ambulância INEM e a VMER de Braga, tendo confirmado o óbito da mulher.

O homem, de 59 anos, encontra-se sob custódia policial. Desconhecem-se ainda os motivos do crime.

Este é já o segundo caso de morte entre casais no distrito de Braga no espaço de seis dias.

No passado domingo, um homem matou a companheira em Gondifelos, Famalicão, pondo termo à vida de seguida.

Continuar a ler

Braga

“Pico” nas urgências reteve ambulâncias no Hospital de Braga. Situação já normalizou

Bombeiros revoltados

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Ambulâncias de várias corporações de bombeiros da região de Braga ficaram esta tarde de sexta-feira retidas durante mais de uma hora junto das urgências do Hospital de Braga, face ao tempo de espera na triagem.

Ao que O MINHO apurou junto de várias corporações da região de Braga, algumas ambulâncias chegaram mesmo a esperar mais de uma hora enquanto os doentes ficavam em macas no serviço de urgências, à espera de serem atendidos na triagem.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Fonte da unidade hospitalar disse a O MINHO que a situação se encontra normalizada, tendo existido um “pico” durante esta tarde, face a algumas situações de última hora que “atrasaram” as ambulâncias.

A mesma fonte indica, contudo, que tem sido dada “prioridade máxima” às macas que chegam nas ambulâncias, de forma a “libertar” as viaturas que são necessárias em outras ocorrências, não podendo ficar “à espera” naquele serviço.

Ao que O MINHO apurou ao final da tarde desta sexta-feira, a situação já se encontra normalizada.

Continuar a ler

Braga

Braga reordena estacionamento em rua do centro da cidade

Na Rua São Geraldo

em

Foto: Divulgação / CM Braga

O estacionamento na rua de São Geraldo, no centro da cidade de Braga, foi reordenado durante o mês de agosto, informou esta sexta-feira a autarquia local.

A intervenção consistiu na a diminuição do número de lugares reservados, revisão da sinalética e pintura das marcações de lugares existentes.

Segundo o vereador João Rodrigues, a intervenção teve como objetivo “assegurar o interesse e o bem-estar dos moradores da Rua de São Geraldo que, de forma empenhada, organizada e participativa, fizeram chegar à União de Freguesias e, posteriormente à Câmara de Braga, todas as suas preocupações”.

Assim, foi reduzido o número de lugares afetos à Junta de Freguesia e implementadas duas zonas ‘Kiss and Go’ junto dos dois estabelecimentos de ensino existentes, podendo agora os moradores estacionar no período noturno.

Foi ainda reduzido em cinco vagas os lugares cativos existentes, libertando esse espaço para estacionamento normal.

“Esta é uma artéria importante na circulação dentro da cidade onde existia uma cativação de lugares excessiva. Depois de reunirmos com os moradores e a União de Freguesias chegámos à conclusão de que esta seria uma solução adequada e pragmática para a reordenação do estacionamento na Rua São Geraldo”, justifica João Rodrigues.

O vereador responsável pela Gestão e Conservação do Espaço Público recorda que o Município de Braga tem vindo a realizar “um conjunto de intervenções com um impacto enorme no dia-a-dia dos bracarenses”.

“Sempre que arranjamos uma rua, procedemos à reparação de um passeio, pintamos um lugar de estacionamento, sinto as pessoas gratas e verifico a importância destes pequenos gestos. São, muitas vezes, as obras e intervenções com maior significado”, conclui João Rodrigues, notando que a principal preocupação do Município é o “bem-estar dos bracarenses, garantindo o conforto, facilidade e acessibilidade na cidade”.

Continuar a ler

Populares