Seguir o O MINHO

Braga

Braga: Trotinetas vieram para ficar e vão chegar ao interior da UMinho

Empresa quer 400 trotinetas a circular em Braga até final de 2019

em

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

A empresa de aluguer de trotinetas partilhadas CIRC já concluiu o período de quatro semanas de testes na cidade de Braga e o resultado é “muito positivo”, disse esta quarta-feira a O MINHO o diretor-geral, Felix Petersen.

Durante uma apresentação informal aos jornalistas em um dos 25 pontos de partilha deste meio de transporte, foi ainda anunciada a implementação de mais 25 pontos de partilha, como já havia avançado O MINHO em primeira mão, com a novidade de alguns desses pontos ficarem localizados no campus  da Universidade do Minho, em Gualtar.

Atualmente, estão disponíveis cerca de 150 veículos deste tipo, havendo a estimativa que, até novembro, passem a circular em Braga 400 exemplares da CIRC.

Gustavo Silva e Felix Petersen. Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Felix Peterson deixou elogios à cidade e aos utilizadores, adiantando que Braga está no cimo do número de quilómetros de utilização diária entre as 12 cidades onde a empresa implementou este modelo.

O diretor-geral, de nacionalidade alemã, mas radicado em Portugal há vários anos, destaca dois pontos “chave” para que esta implementação esteja a ter um sucesso repentino.

“Estamos a trabalhar em conjunto com a Câmara de Braga e esta tem sido muito rápida a colocar locais de estacionamento ao serviço das trotinetas e isso é importante”, destacou.

João Rodrigues, vereador que tem acompanhado a implementação deste modelo na cidade, publicou, há dias, uma nota nas redes sociais destacando o sistema da CIRC, dando a entender que veio mesmo para ficar.

Outro dos pontos a rodar a favor da cidade dos Arcebispos passa pela experiência (bem sucedida, segundo Felix) da implementação de trotinetas com pneus de ar, com outro tipo de suspensão, “ideal para estradas com pedra de calçada como é o caso do centro de Braga”.

Trotinetas devem deslocar-se pela estrada. Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Felix Petersen destaca ainda o bom comportamento, em termos gerais, dos utilizadores, que têm, na sua grande maioria, estacionado corretamente os veículos nos hotspots disponíveis, embora não sejam ainda suficientes para evitar “algumas falhas”.

Através das redes sociais, foram divulgadas algumas imagens, por diferentes utilizadores, de trotinetas abandonadas em certos locais da cidade, distantes dos pontos de estacionamento.

Todavia, a CIRC conta com uma equipa de 25 elementos que se dedicam à reparação e recuperação das trotinetas, devendo esses avistamentos serem cada vez em menor número na cidade, garante o responsável.

Geolocalização ajuda a encontrar trotinetas ‘perdidas’. Foto: Fernando André Silva / O MINHO

“A partir do final de outubro já devemos ter duplicado os pontos de partilha o que fará com que existam cada vez menos trotinetas perdidas“, assegura.

Outra das novidades anunciadas pelo diretor-geral consiste na criação de uma academia de formação para os utilizadores, onde serão distribuídos capacetes de forma gratuita, mas também para agentes da autoridade, que podem compreender melhor a forma de atuar.

Felix explica que, por ser uma novidade, ainda há alguns utilizadores que não conhecem algumas regras importantes, como é o caso da utilização de capacete ou de que não podem circular em passeios nem nas zonas pedonais da cidade, como é o caso da Rua do Souto ou da Avenida da Liberdade.

O uso de capacete é recomendado. Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Contudo, Felix Petersen acredita que, “em pouco tempo”, os hábitos vão mudando, e que a própria implementação deste sistema de transporte pode ajudar à reformulação da cidade de Braga em termos de mobilidade, com a criação de mais ciclovias, onde é permitida a circulação de trotinetas, e a redução de vias para automóveis.

“Na Holanda, a utilização de bicicleta ou trotineta decorre sem quaisquer problemas, porque as cidades são pensadas para este tipo de transporte, mas em Portugal ainda há a necessidade dessa mudança, e estou em crer que a proliferação deste sistema pode ajudar os responsáveis da cidade a efetuar melhorias”, acrescenta.

Vandalismo

Felix deixa o apelo aos habitantes de Braga para que, caso vejam alguma trotineta a ser vandalizada ou até fora dos locais de estacionamento, denunciem a situação às autoridades.

“É importante que as pessoas percebam que vandalizar uma trotineta é crime, da mesma forma como o é em relação a viaturas automóveis. Se alguém vê uma pessoa a vandalizar um carro, chamam a polícia. E queremos que as pessoas pensem o mesmo em relação às trotinetas, porque isto não é um brinquedo, é um meio de transporte e é propriedade privada”.

O responsável adianta que está prevista uma reunião durante a próxima semana com a PSP para expor algumas situações de trotinetas roubadas. “Mas é importante que as pessoas percebam que é um crime”, vincou.

Instalação na Universidade do Minho e junto a residências universitárias

Gustavo Silva, City Manager da CIRC para o Norte de Portugal, explica que existem já negociações com a UMinho para facultar descontos aos estudantes que utilizem este meio de transporte.

“Hipoteticamente, poderemos ter locais de partilha junto às residências universitárias, mas ainda estamos em negociações”, disse.

Gustavo conta que, para a implementação dos novos pontos, a empresa está “a trabalhar com a Câmara e ainda não existe uma data definida”, mas “tendo em conta que existe cada vez mais procura por parte de estudantes”, o responsável aponta “algumas semanas” para a implementação desses novos espaços.

Atualmente, a CIRC contabiliza cerca de 10.000 quilómetros percorridos nas últimas quatro semanas pelas 150 trotinetas disponíveis, esperando que esse número duplique com a implementação de novos veículos deste género.

Notícia atualizada com a palavra trotineta, erradamente escrita anteriormente como trotinete

Anúncio

Braga

Braga: MP acusa ex-autarca de Guisande do crime de peculato

MP acusa autarca de Guisande do crime de peculato – Condenado por insultos em “manif” mandou pagar duas indemnizações pessoais

em

Adelino Sá, ex-presidente da junta de Guisande. Foto: Facebook de Adelino Sá

O ex-presidente da Junta de Freguesia de Guisande, Braga, foi acusado pelo Ministério Público (MP) de Braga da prática de um crime de  peculato, por ter mandado pagar, com dinheiro da autarquia, duas indemnizações a que fora condenado, a título pessoal, em tribunal.

Ao todo, 3.760 euros liquidados pela junta a um casal da localidade. Mas não houve desvio de dinheiros da autarquia.

O caso remonta a 2012, quando Adelino Sá, eleito pela coligação Juntos por Braga (PSD/CDS) participou numa manifestação popular contra o alegado corte de um caminho público, a Rua da Cal, feito por Manuel Joaquim da Cruz Araújo e mulher, à revelia da autarquia.

A manifestação passou pela rua e, à porta do casal, registaram-se várias altercações verbais, com insultos mútuos. Dias depois, o casal pôs uma queixa em Tribunal contra o autarca e mais dois manifestantes, que acabou na condenação aquela pena de multa.

“Em defesa da população”

Fonte ligada ao processo disse ao MINHO que, em 2013, e quando se tornou secretário da mesma junta, Adelino Sá defendeu no executivo que a condenação ocorreu em defesa da freguesia e enquanto autarca, numa ação em defesa da população. A junta, que entretanto se agregou numa união com a de Oliveira São Pedro, não aceitou a tese e não pagou.

O agora arguido, levou o caso à Assembleia de Freguesia, a qual decidiu, com a abstenção e um voto contra da Coligação e dois a favor do PS que  deveriam ser os cofres da autarquia a assumir as indemnizações.

De seguida, enquanto secretário, mandou pagar a conta. A queixa judicial que se seguiu partiu do próprio casal. Na freguesia, e ao que soubemos, há um clima de mal-estar por causa do corte da via que se mantém apesar de sentenças que a mandam abrir.

O casal em causa tem mais três ações contra a Junta, esta uma em sentido contrário, e várias outras contra familiares e fregueses. Cerca de 20, no total, por causa da rua e de questões de terrenos e  tudo com apoio judiciário.

Continuar a ler

Braga

Aprender a dançar à moda oitocentista? Em Braga já pode, no Museu dos Biscainhos

Danças de Sociedade

em

Foto: Facebook de Danças de Sociedade

O grupo Danças de Sociedade, em parceria com o Museu dos Biscainhos e da Academia de Bailado de Guimarães, está a promover um curso de “baile oitocentista”, que decorre uma vez por mês, naquele espaço cultura na cidade de Braga.

O objetivo, de acordo com a organização, passa por “reviver a magia de um baile romântico”, com músicas célebres de Strauss, entre outros compositores da época.

Com três datas agendadas, o curso decorre nos dias 17 de novembro, 08 de dezembro e 12 de janeiro. No final, está marcado um “grande baile” no salão nobre do Museu dos Biscainhos.

As três datas calham a um domingo, de tarde, entre as 14:30 e as 17:30. Inscrições através do e-mail [email protected]

Continuar a ler

Braga

GNR detém dois suspeitos de mais de 40 assaltos em Braga

GNR

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Dois homens, de 30 e 49 anos, foram detidos por militares do Núcleo de Investigação de Braga da GNR, esta segunda-feira, anunciou a guarda em comunicado.

A investigação policial decorria há seis meses quando, esta manhã, os militares puderam fazer cumprir mandados de detenção a estes indivíduos que são suspeitos, diz a GNR, de 40 crimes de furto dentro de estabelecimentos de restauração e talhos nos concelhos de Amares, Braga, Vieira do Minho e Vila Verde.

Na nota divulgada à imprensa, aquela polícia informa que o método dos suspeitos passava pelo “arrombamento”, introduzindo-se posteriormente nos estabelecimentos com “intuito de furtar dinheiro, álcool, bens alimentares, combustível e eletrodomésticos”.

Os detidos, com antecedentes criminais pelos mesmos crimes, serão presentes ao Tribunal Judicial de Braga nesta terça-feira, para aplicação de medidas de coação.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares