Seguir o O MINHO

Braga

Bom Jesus avança na candidatura a Património Mundial

em

Foto: DR/Arquivo

O Santuário do Bom Jesus do Monte, em Braga, e o Real Edifício de Mafra passaram à fase seguinte da candidatura a Património Mundial, disse à Lusa a Comissão Nacional da UNESCO.


De acordo com a secretária-executiva da Comissão Nacional da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (mais conhecida pela sigla inglesa de UNESCO), Rita Brito, as candidaturas foram entregues no final de janeiro, seguindo-se agora “um longo processo”.

“Agora vão passar para a fase de avaliação pelo ICOMOS [Conselho Internacional de Monumentos e Sítios]. É um longo processo e a recomendação que vão fazer pode ser de diversos tipos. Só no ano que vem é que serão apresentadas, na melhor das hipóteses, ao Comité do Património Mundial”, afirmou a secretária-executiva da Comissão Nacional da UNESCO.

Entre a apresentação da candidatura e o momento da decisão do comité há, então, um período mínimo de 18 meses.

Em maio de 2016, foi concluído o processo de atualização da lista indicativa de Portugal ao Património Mundial, decorrente, segundo comunicado publicado na altura pela Comissão Nacional, da “recomendação da UNESCO de que as Listas Indicativas dos Estados parte na Convenção do Património Mundial sejam atualizadas a cada dez anos”.

De acordo com a página da UNESCO, foram apresentados 21 bens: o Aqueduto das Águas Livres, os Caminhos Portugueses de Peregrinação a Santiago de Compostela, o Centro Histórico de Guimarães e Zona de Couros (extensão), o Complexo Industrial Romano de Salga e Conserva de Peixe em Troia, o Conjunto de Obras Arquitetónicas de Álvaro Siza em Portugal, a Costa Sudoeste, o Deserto dos Carmelitas Descalços e Conjunto Edificado do Palace-Hotel no Bussaco, a Dorsal Médio-Atlântica, o Edifício-sede e Parque da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, as Fortalezas Abaluartadas da Raia, as Ilhas Selvagens, as Levadas da Madeira, a Lisboa Histórica, a Lisboa Pombalina, Lugares de Globalização, Mértola, Paisagem Cultural de Montado, o Palácio e Tapada Nacionais de Mafra e Jardim do Cerco, a Rota de Magalhães, o Santuário do Bom Jesus do Monte, em Braga, e Vila Viçosa.

Portugal conta atualmente com 15 sítios classificados como Património Mundial pela UNESCO, tendo começado, em 1983, com quatro locais: o Centro Histórico de Angra do Heroísmo, o Mosteiro dos Jerónimos e a Torre de Belém, em Lisboa, num conjunto de proximidade, o Mosteiro da Batalha e o Convento de Cristo, em Tomar.

Mais tarde, vieram a ser classificados o Centro Histórico de Évora (1986), o Mosteiro de Alcobaça (1989), a Paisagem Cultural de Sintra (1995), o Centro Histórico do Porto (1996), a Arte Rupestre do Vale do Côa (1998), a Floresta Laurissilva da Madeira (1999), o Centro Histórico de Guimarães (2001), o Alto Douro Vinhateiro (2001), a Paisagem da Cultura da Vinha da ilha do Pico (2004), a Cidade-Quartel de Elvas e suas Fortificações (2012) e a Alta e Sofia da Universidade de Coimbra (2013).

A UNESCO adotou, em 1972, a Convenção do Património Mundial, Cultural e Natural, com o objetivo de “proteger os bens patrimoniais dotados de um valor universal excecional”, tendo sido criados, quatro anos mais tarde, o Comité do Património Mundial e o Fundo do Património Mundial.

Anúncio

Braga

Faz hoje um ano que o Bom Jesus de Braga foi classificado Património Mundial da UNESCO

Efeméride

em

Foto: DR / Arquivo

Neste dia, 7 de julho, no ano passado, o Santuário do Bom Jesus, em Braga, era classificado como Património Cultural Mundial da UNESCO.

A decisão foi tomada na 43.ª Sessão do Comité do Património, Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), que decorreu em Baku, no Azerbaijão.

Na mesma data, também o conjunto composto pelo Palácio, Basílica, Convento, Jardim do Cerco e Tapada de Mafra também receberam igual classificação.

Santuário do Bom Jesus classificado Património Mundial da UNESCO

A Confraria do Bom Jesus vai assinalar, esta terça-feira, a celebração do primeiro aniversário do Santuário do Bom Jesus como Património Mundial da UNESCO.

Assim, pelas 11:00 horas, dá-se a inauguração do Espaço Museológico do Coro Alto e Torre Sineira, com a presença do arcebispo D. Jorge Ortiga e do presidente da Câmara de Braga. Ricardo Rio.

Foto: O MINHO

Foto: O MINHO

Foto: O MINHO

Foto: DR

Foto: DR

Pelas 12:00 horas, será realizado o toque dos Sinos da Basílica do Bom Jesus. Pelas 18:00 horas, uma sessão de parabéns ao Bom Jesus pelo Coro Académico da Universidade do Minho, com transmissão online.

Santuário do Bom Jesus classificado Património Mundial da UNESCO

Para finalizar as cerimónias, a partir das 18:15 horas, inicia o webinar “Bom Jesus Património Mundial: onde estamos e para onde vamos?”, também com transmissão online.

Continuar a ler

Braga

Juventude Popular de Braga reeleita melhor Concelhia do país

Política

em

Foto: DR / Arquivo

A Juventude Popular de Braga foi distinguida, no último Conselho Nacional, em Ponte de Lima, como a Melhor Concelhia do país, tendo-lhe sido atribuído, pelo segundo ano consecutivo, o Prémio Adelino Amaro da Costa.

Em comunicado, a Juventude Popular de Braga considera que “este prémio é o reconhecimento interno que culmina de um ano de trabalho, espírito de equipa e responsabilidade”.

“A Juventude Popular de Braga agradece a todos os dirigentes, militantes e simpatizantes, que cada dia dão o melhor de si em prol da estrutura, do Partido, da cidade e do país”, refere o comunicado na sua página de Facebook, citando o fundador do CDS, que dá nome ao prémio, Adelino Amaro da Costa: “A Juventude não é instalada”.

Continuar a ler

Braga

Mulher deixa cães do ex-companheiro a passar fome e sede em Vila Verde

Acusada de maus-tratos a animais

em

Foto: Ilustrativa

Tinha cinco cães no quintal de casa, em Vila Verde, mas só tratava de um. Os outros quatro deixava-os sem comida e bebida, nem cuidava da sua saúde e higiene, porque eram do ex-companheiro, que estava no estrangeiro.

O Jornal de Notícias (JN) adianta na edição de hoje (acesso exclusivo para assinantes) que o Ministério Público de Vila Verde acusou a mulher, da freguesia de Cervães, de quatro crimes de maus-tratos a animais de companhia.

O caso foi espoletado em 03 de março de 2019, após denúncia da Associação de Defesa dos Animais e do Ambiente de Vila Verde, tendo uma patrulha da GNR ido ao local onde vivia a mulher, de 30 anos, natural do Luxemburgo.

A GNR deparou-se com cinco cães, quatro deles “subnutridos, maltratados, com sinais de abandono, sem água nem comida, e a carecer urgentemente de tratamento veterinário”.

A mulher alegou que só um dos cães lhe pertencia, sendo os outros quatro de um seu ex-companheiro, que se encontrava no estrangeiro, desde janeiro, tendo ela ficado de os alimentar.

Segundo a acusação, citada pelo JN, foi esta a “versão espontânea” que apresentou à GNR. Para o Ministério Público, a mulher ter-se-á comprometido com o ex-companheiro, de quem tem um filho, a tratar dos animais, mas acabava por só alimentar o dela.

O companheiro acabou ilibado, porque o MP considera, “com base no senso comum e nas práticas do dia-a-dia”, que a mulher teria ficado encarregue de tratar dos animais.

A acusação diz que a arguida se alheou dos quatro animais e que eram os vizinhos que os alimentavam.

Ainda de acordo com o JN, a GNR, depois de interrogar a arguida, transportou os animais ao veterinário, tendo este constatado que estavam em grave estado de subnutrição, desidratação e com doenças várias de pele. Um deles tinha uma lesão num dente, que vai ficar para o resto da vida, por ter ficado com um osso preso a um pré-molar, sem que a dona tivesse tido o cuidado de o retirar.

Continuar a ler

Populares