Seguir o O MINHO

País

Áustria levanta restrições de viagem com 31 países e mantém com Portugal

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

A Áustria levantará na terça-feira as restrições de viagem com 31 países europeus, mantendo-as com Portugal, Reino Unido, Suécia e Espanha, anunciou hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros austríaco.


“À meia-noite de 16 de junho será levantada a exigência de apresentar um teste negativo ou de se submeter a uma quarentena de duas semanas para os cidadãos que entram na Áustria provenientes de um total de 31 países”, afirmou Alexander Schallenberg, numa conferência de imprensa.

A medida abrange todos os parceiros da União Europeia (UE) e da Associação Europeia de Comércio Livre (EFTA), exceto a Suécia, o Reino Unido, Portugal e Espanha.

Em relação a Espanha, a manutenção das restrições deve-se ao facto de este país manter as fronteiras fechadas até 01 de julho.

O Governo austríaco tinha anunciado anteriormente a abertura das suas fronteiras com a Croácia e todos os seus vizinhos, com exceção da Itália, até meados deste mês.

Hoje decidiu permitir viagens para o sul de Itália sem restrições, mantendo simultaneamente um “alerta” para a região da Lombardia.

“Este não é o último passo, queremos voltar à liberdade total de viajar”, disse o ministro numa conferência de imprensa televisiva.

No que respeita à Espanha, o diplomata austríaco indicou que, em princípio, o plano é agir de forma recíproca, ou seja, levantar as restrições quando o país ibérico também o faz.

“A própria Espanha anunciou que vai manter as suas fronteiras fechadas até 01 de julho. Estamos a reagir a uma medida tomada por outro país. É assim com a liberdade de viajar. Pode-se dizer que são precisos dois para dançar o tango”, acrescentou.

“A mensagem do nosso lado é que será resolvido assim que a Espanha [o fizer]”, referiu o chefe da diplomacia austríaca, que estava confiante de que não haverá problemas, se a atual situação epidemiológica em Espanha continuar.

E acrescentou: “Vamos analisar a questão mais de perto, mas, de acordo com a avaliação atual, podemos abrir (as fronteiras) se a Espanha der esse passo em 01 de julho”.

No entanto, neste momento não é claro quando será possível dar o mesmo passo com a Suécia, o Reino Unido e Portugal, onde a taxa de propagação do coronavírus “neste momento não permite uma abertura”.

Ao tomar estas decisões, o Governo austríaco considera como “o principal parâmetro” que o número de infeções diárias num país não exceda 10 por 100.000 habitantes, afirmou o ministro da Saúde, Rudolf Anschober.

Desde o primeiro surto de covid-19, em março, a República Alpina contabilizou 17.005 infeções de coronavírus, com 26 novos casos nas últimas 24 horas, o que reflete um fator de reprodução diária de 0,2%.

Até agora, 673 pessoas morreram da doença, enquanto 15.910 doentes recuperaram.

Em todo o mundo, a pandemia de covid-19 casou pelo menos 411.588 mortes desde que surgiu o novo coronavírus, em dezembro, na China.

Anúncio

País

GNR encerra em Felgueiras estabelecimento de diversão noturna com 108 pessoas

Estado de calamidade

em

Foto: Ilustrativa / DR

A GNR encerrou na sexta-feira um estabelecimento de diversão noturna na localidade de Pombeiro, concelho de Felgueiras, no distrito do Porto, por funcionar com música ao vivo, reunindo 108 pessoas, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a GNR refere que a operação policial ocorreu no âmbito de uma ação de fiscalização para cumprimento das normas referentes à pandemia de covid-19.

A autoridade policial acrescenta que foram detidos dois homens, de 36 e 49 anos, pelos crimes de desobediência e condução sob o efeito do álcool, respetivamente.

Os militares registaram várias contraordenações, por incumprimento às medidas impostas pela situação de calamidade.

A ação contou com o reforço do Destacamento de Intervenção do Porto.

Os detidos foram constituídos arguidos e o proprietário do estabelecimento de diversão noturna, de 46 anos, foi identificado.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 40 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.198 pessoas dos 101.860 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Continuar a ler

País

Aviso vermelho alargado a oito distritos

Depressão Bárbara

em

Foto: Ilustrativa / DR

Os distritos de Évora, Faro e Beja vão juntar-se aos de Setúbal, Lisboa, Santarém, Castelo Branco e Portalegre que a partir das 12:00 vão estar sob aviso vermelho por causa da chuva, segundo o IPMA.

Os oito distritos estão sob aviso vermelho devido à previsão de chuva por vezes forte e persistente e ocasionalmente acompanhada de trovoada e possibilidade de ocorrência de fenómenos extremos de vento.

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), o aviso vermelho para os oito distritos vai estar em vigor entre as 12:00 e as 18:00 de hoje.

O aviso vermelho corresponde a uma situação meteorológica de risco extremo. Nesta situação, o IPMA recomenda que as pessoas se mantenham ao corrente da evolução das condições meteorológicas e sigam as orientações da proteção civil.

Portugal continental está sob o efeito da depressão Bárbara, que dará origem a precipitação forte, aumento da intensidade do vento com rajadas até 100 quilómetros por hora e até 130 quilómetros por hora nas terras altas e agitação marítima, em especial na costa da região sul.

Continuar a ler

País

Em Portugal 65% das crianças com obesidade sofrem de bullying escolar

Situação agravou-se com pandemia

em

Foto: DR

Sessenta e cinco por cento das crianças com obesidade em Portugal sofrem de bullying escolar, segundo uma sondagem divulgada hoje, que aponta para um agravamento da situação devido ao confinamento provocado pela pandemia de covid-19.

A sondagem foi divulgada hoje, Dia Mundial do Combate ao Bullying, pela Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil (APCOI) e indica também que uma em cada cinco crianças com obesidade em Portugal foi vítima pela primeira vez de um ataque de cyberbulling nas redes sociais durante os meses de confinamento e ensino à distância.

Insultos, alcunhas e comentários inapropriados foram os principais atos discriminatórios cometidos contra crianças com excesso de peso na faixa etária entre os 6 e os 14 anos.

Os episódios de bullying reportados foram, segundo a sondagem, na maioria realizados por colegas da mesma turma (47%), seguindo-se situações com alunos de outras turmas da escola (40%) e ainda ocorrências com professores ou pessoal não docente (13%).

A maioria dos 512 encarregados de educação inquiridos revelou já ter tido que lidar com pelo menos um episódio de bullying escolar ou preconceito relacionado com o peso da criança, nos últimos dois anos letivos.

APCOI adianta que a situação foi agravada pela pandemia da covid-19.

Para alertar sobre os efeitos do bullying, da discriminação e do estigma associados à obesidade, a APCOI juntou-se à Coligação Europeia de Associação de Pessoas com Obesidade (ECPO) na campanha “People First #LivingWithObesity”, que inclui o lançamento de um spot de vídeo, infográficos educativos e ainda um webinar ao vivo em simultâneo em todos os países.

“A APCOI aceitou o convite para participar nesta campanha europeia com o objetivo de pôr fim ao sofrimento não só das crianças, mas de todas as pessoas que em qualquer idade podem desenvolver esta doença crónica e não podem continuar a ser vítimas de estigma e de preconceito”, destaca o presidente da APCOI numa nota.

Mário Silva sublinha que a mensagem da campanha é simples: “não há pessoas obesas, há pessoas que têm uma doença: obesidade”.

Continuar a ler

Populares