Seguir o O MINHO

Desporto

Associação de Lisboa contraria FPF sobre fim dos campeonatos de formação

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

O presidente da Associação de Futebol de Lisboa (AFL) contrariou hoje a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e negou o cancelamento dos campeonatos lisboetas dos escalões de formação da época 2019/20, devido à pandemia de covid-19.


Num vídeo divulgado na rede social Facebook e dirigido aos clubes filiados, Nuno Lobo afirmou que “o que está escrito no comunicado da FPF, designadamente, no ponto oito, não é verdade, no que concerne à AFL”, e que apenas na próxima semana será tomada uma decisão, “tendo sempre em atenção a integridade física, a saúde e a vida de todos”.

Nuno Lobo referia-se ao facto de a FPF ter anunciado hoje o cancelamento dos campeonatos de futebol e futsal dos escalões de formação da época 2019/20, numa decisão que, segundo aquela entidade, foi “acompanhada pelas 22 associações distritais e regionais, que vão igualmente dar sem efeito as suas competições destinadas aos escalões de formação de futebol e futsal”.

“Ao contrário do que diz esse comunicado, em Lisboa não há qualquer decisão para esses escalões. Estamos a acompanhar e a monitorizar diariamente esta pandemia que assola todo o mundo. Tudo está a ser analisado internamente, na nossa associação, mas também com as outras 21 associações distritais e regionais de futebol”, observou Nuno Lobo.

A AFL vai reunir-se “na próxima semana” para tomar uma “posição final e definitiva acerca desta problemática”, sendo que, por enquanto, vai manter “a suspensão, por tempo indeterminado, de todos os escalões, de formação ao sénior”, de acordo com o líder da associação.

“Qualquer decisão não poderá ser tomada de ânimo leve e ao sabor de qualquer outro fator que não seja o interesse efetivo dos clubes, tanto financeiros como desportivos”, salientou Nuno Lobo.

A FPF anunciou hoje o cancelamento de todos os campeonatos de futebol e futsal dos escalões de formação da época 2019/20, devido à pandemia da covid-19.

“Devem dar-se por concluídas as competições nacionais de todos os escalões de formação de futebol e futsal, masculinas e femininas, não resultando das mesmas qualquer efeito desportivo imediato”, anunciou, em comunicado, a FPF, acrescentando que “não serão atribuídos títulos nas referidas competições, nem aplicado o regime de subidas e descidas”.

As competições nacionais dos escalões de formação tinham sido suspensas por duas semanas, em 10 de março, dois dias antes de a FPF ter decidido suspender todas as competições, incluindo as seniores, que assim permanecem.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou cerca de 572 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 26.500. Dos casos de infeção, pelo menos 124.400 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, que está em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril, registaram-se 76 mortes e 4.268 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde.

Anúncio

Futebol

Vitória, Gil Vicente, Famalicão e Moreirense apelam a adeptos que cumpram regras de segurança

I Liga

em

Foto: DR / Arquivo

Os presidentes do Vitória SC, Gil Vicente, Famalicão e Moreirense apelaram hoje aos adeptos que cumpram todas as regras definidas pelas entidades de saúde, na defesa de um regresso seguro do futebol.


Miguel Pinto Lisboa, do Vitória SC, diz que o futebol vai regressar sem os que lhe dão sentido: os adeptos.
“Sem eles, não há golos de levantar os estádios. No entanto, é a pensar nos vitorianos que todos os dias trabalhamos para que, mesmo à distância, possamos festejar juntos”, conclui.

Miguel Ribeiro, do Famalicão, concorda que os adeptos devem cumprir as regras, afirmando que o regresso dos jogos não implica “desleixo perante o contexto atual”.

Do lado do Gil Vicente, Francisco Dias da Silva garante que o clube está pronto para regressar à competição, cumprindo todas as medidas das autoridades de saúde.

“Não é preciso apenas realçar que os jogos se disputarão à porta fechada. É preciso realçar e alertar para a necessidade de não se criarem aglomerados ou grupos de pessoas no exterior do Estádio Cidade de Barcelos ou de qualquer estádio onde o Gil Vicente FC esteja a jogar. Pela saúde de todos nós, peço que apoiem a nossa equipa a partir das vossas casas ou em locais devidamente seguros”, disse.

Vitor Magalhães, do Moreirense, defende que a retoma do futebol tem de ser acompanhada pela responsabilidade, apelando também aos adeptos para que “se mantenham em segurança e não se desloquem para as imediações dos estádios em dias de jogo”.

Outros presidentes de clubes da I Liga fizeram o mesmo apelo.

Frederico Varandas, do Sporting, defendeu que todas as associações desportivas foram, nestes últimos meses, obrigadas a readaptar-se e a lidar com as consequências da pandemia da covid-19, com impactos na sociedade e no futebol.

“A nível económico e desportivo o regresso da I Liga é encarado pelo Sporting CP com grande otimismo e revestido de extrema importância, nunca esquecendo que esta ‘nova normalidade’ requer adaptação e cuidados especiais, de forma a salvaguardar, sempre, a saúde dos nossos atletas, colaboradores, sócios e adeptos”, refere a mensagem do presidente dos ‘leões’, divulgada pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP).

Frederico Varandas garante que o Sporting vai entrar em campo “demonstrando o seu esforço, dedicação e devoção, características que sempre fizeram parte do seu ADN e assume-se preparado para as vitórias”.
“Contamos com o apoio dos nossos sócios e adeptos e apelamos a que a ‘Família Sportinguista’ tenha em conta toda as indicações e normas definidas pelas entidades de saúde pública, salvaguardando e bem-estar e saúde pública”, salienta.

Já Vitor Murta, do Boavista, afirmou que todos estão com saudades de ver a bola rolar nos relvados, mas explicou que é tempo de se seguirem as regras.

“O melhor apoio que nos podem dar, agora, é manterem-se seguros, para que daqui a uns tempos possamos ouvir-vos no Bessa e pelos estádios do nosso país. Não podemos ter aglomerações nos estádios nem qualquer tipo de manifestação de apoio que vos ponha em risco, ou aos vossos. Nós sabemos que todos vocês, em casa, nos estarão a apoiar”, salientou.

Já Wei Zhao, do Desportivo das Aves, referiu que nesta altura “tudo tem de ser gerido de forma diferente”, frisando que todos os intervenientes, de profissionais a adeptos, devem adotar “comportamentos responsáveis” e seguir as regras definidas pelas autoridades.

“A todos os nossos adeptos pedimos que sejam agentes de saúde pública, que tenham comportamentos adequados e se mantenham como um exemplo de civismo para que o futebol continue a ser uma festa”, defendeu.
David Belenguer, do Tondela, defendeu que vai haver tempo para festejar nas bancadas, mas que agora é altura de todos serem responsáveis.

“Temos de manter as recomendações da Direção-Geral da Saúde e da Liga. Vamos desfrutar e acompanhar os jogos em nossas casas. Ainda que não vos vejamos, vamos sentir a vossa presença. Ainda que não vos oiçamos, vamos escutar os vossos cânticos. Não duvidem, vamos sentir o vosso calor, a vossa paixão”, defendeu.

Já António da Silva Campos, do Rio Ave, explica que o respeito das regras é essencial para “um mais célere” regresso à normalidade, pedindo para que se evitem deslocáveis aos estádios, aglomerados e para que assistam aos jogos pela televisão em segurança.

Os açorianos do Santa Clara, que vão disputar os seus jogos em casa na Cidade do Futebol, em Oeiras, reiteram os mesmos apelos, pela voz de Rui Cordeiro, defendendo que o futebol deve ser um exemplo.
Paulo Gomes, do Vitória de Setúbal, frisa que a equipa sadina vai “lutar, ainda com mais ambição, garra e coragem” para no final da época poder festejar, explicando que sabe que os adeptos, mesmo à distância, vão continuar a torcer pelo clube.

A I Liga vai ser reatada, sob fortes restrições e sem público nos estádios, na quarta-feira, com o encontro entre Portimonense e Gil Vicente, naquele que vai ser o primeiro dos 90 jogos das últimas 10 jornadas, disputadas até 26 de julho.

Além do principal escalão, também a final da Taça de Portugal, entre Benfica e FC Porto, integra o plano de desconfinamento face à pandemia de covid-19, ainda em data e local a designar.

Continuar a ler

Futebol

Vizela contrata médio Marcos Paulo, ex-Académica de Coimbra

II Liga

em

Foto: FC Vizela / Facebook

O Vizela, clube que foi promovido à II Liga portuguesa de futebol, anunciou hoje a contratação do médio brasileiro Marcos Paulo, que alinhava na Académica de Coimbra.


O médio ofensivo, de 31 anos, que esta temporada participou em 23 jogos e apontou um golo pelos ‘estudantes’, assinou agora um contrato válido por uma temporada com o emblema minhoto.

“É um clube novo para mim, do qual tenho boas referências e onde procurarei dar o meu melhor em prol do grupo. As expectativas são as melhores possíveis. É um novo momento para o clube, que acaba de subir à II Liga, uma prova muito competitiva. Espero poder agregar a minha experiência, e potencial, com a dos meus companheiros”, disse o médio em declarações ao site do clube.

Além da Académica de Coimbra, que representou por quatro épocas, Marcos Paulo conta ainda, no futebol português, com uma passagem pela União de Leiria, além de experiências internacionais nos franceses do Le Mans e nos gregos do Panetolikos.

O médio é a segunda contratação dos vizelenses para a próxima época, depois de terem assegurado o lateral-esquerdo Richard Ofori, ex-Fafe.

O clube minhoto também já garantiu as renovações de contrato do guarda-redes Ivo Gonçalves, dos avançados Diogo Ribeiro, Tavinho e Kiko Bondoso, dos médios Ericsson, Zag e André Soares e dos defesas Kiki e João Pedro.

O Vizela, a par do Arouca, foi indicado pela Federação Portuguesa de Futebol para a subida à II Liga Portuguesa de Futebol, depois do Campeonato Portugal, onde militava, ter sido interrompido, devido à pandemia de covid-19.

À data da suspensão da prova, o Vizela liderava a Série A com 60 pontos (mais oito que o segundo classificado Fafe), enquanto o Arouca estava em 1º lugar na Série B com 58 pontos (mais oito que o Lusitânia de Lourosa).

Continuar a ler

Futebol

SC Braga sem Abel Ruiz e Tormena para defrontar Santa Clara

I Liga

em

Tormena. Foto: DR

Abel Ruiz e Tormena estão lesionados e são baixas no SC Braga para a deslocação de sexta-feira ao reduto do Santa Clara, da 25.ª jornada da I Liga de futebol, informaram hoje os ‘arsenalistas’.


O jovem avançado espanhol sofreu uma lesão no reto femoral direito, enquanto o defesa central brasileiro apresenta uma contusão na coxa esquerda.

Após o treino de hoje, a comitiva ‘arsenalista’ voltou a concentrar-se em estágio numa unidade hoteleira da cidade até ao jogo com a equipa açoriana.

Sporting de Braga, terceiro classificado, com 46 pontos, e Santa Clara, 10.º, com 30, defrontam-se a partir das 19:00 de sexta-feira, na Cidade do Futebol, em Oeiras.

Continuar a ler

Populares