Seguir o O MINHO

Alto Minho

Assembleia Municipal de Viana pede ao Governo revogação de anulação de acordos com APPACDM

em

A Assembleia Municipal de Viana do Castelo aprovou na sexta-feira, por maioria, uma moção que pede ao ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social a revogação da anulação de acordos celebrados com uma associação de apoio à deficiência.

O documento, que recolheu duas abstenções, foi proposto por todos os partidos com assento naquele órgão autárquico reunido, na sexta-feira à noite, em sessão ordinária.

Além de apelar ao governante para que revogue a nulidade dos acordos celebrados em 2013 entre a Segurança Social e a Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM), a Assembleia Municipal pede a Pedro Mota Soares que mantenha em funcionamento os dois Centros de Atividades Ocupacionais (CAO) que a instituição detém no Cabedelo.

Em causa está um imóvel situado no Cabedelo cedido em 1991, em regime de comodato, pela Segurança Social à APPACDM, para funcionar como centro infantil.

Em 2013, após a celebração de novos acordos entre as partes, foram criados dois CAO abertos desde 2014, atualmente com 31 utentes e 15 funcionários.

Este foi um investimento de cerca de 350 mil euros, suportado pela associação de apoio à deficiência.

No início de agosto, a APPACDM recebeu um ofício do Instituto da Segurança Social (ISS), a que a agência Lusa teve acesso, que declara a nulidade daqueles protocolos, alegando “não ter competência para decidir o encerramento” do centro infantil, “alterar o fim inicial” a que destinava o imóvel e para homologar as novas áreas.

No documento pede-se ainda, “com a maior brevidade possível, a restituição do imóvel” que “havia sido cedido à instituição por um período de 20 anos”.

Na sexta-feira à tarde, cerca de duas mil pessoas participaram numa manifestação em favor da APPACDM, convocada na sequência da anulação de apoio aquelas duas respostas sociais.

Na moção a enviar a Pedro Mota Soares, a Assembleia Municipal de Viana do Castelo afirmou que a APPACDM “é considerada a maior e mais antiga instituição do distrito a trabalhar nesta área, com um trabalho altamente meritório que merece por toos o maior respeito e consideração”.

Aquele órgão autárquico declarou ainda “estar incomodado pela falta de sensibilidade demonstrada pelo ISS na resolução do conflito com a instituição”, acusando-o de “não utilizar a via do diálogo”.

“A nulidade dos acordos e despejo de que está a ser alvo a APPACDM é inaceitável e revela total ausência de dignidade, e respeito pelo direito à diferença”, lê-se no documento aprovado.

Na segunda-feira, em comunicado o ISS revelou ter participado da APPACDM ao Ministério Público (MP) e ao Conselho de Prevenção da Corrupção, por “indícios da prática de factos que integram eventuais ilícitos criminais”.

No documento, disse ter interposto uma providência cautelar, junto do Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga (TAFB), “com o propósito de ver restituído o Estabelecimento Integrado designado “Centro Infantil do Cabedelo”.

Na semana passada, a APPACDM também anunciou duas providências cautelares, a interpor junto do TAFB para travar a anulação de acordos que celebrou, em 2013, com a Segurança Social e para impedir a devolução daquele imóvel.

Anúncio

Viana do Castelo

Procissão voltou a ir ao mar em Viana do Castelo

Romaria d’Agonia

em

Foto: DR

Os barcos tradicionais voltaram a sair para as águas da costa de Viana do Castelo em mais uma edição da Procissão ao mar, inserida na Romaria d’Agonia, festas típicas do concelho de Viana do Castelo.

Foto: Romaria d’Agonia

Foto: Romaria d’Agonia

Foto: Romaria d’Agonia

Foto: Romaria d’Agonia

Foto: Romaria d’Agonia

Foto: Romaria d’Agonia

Foto: Romaria d’Agonia

Foto: Romaria d’Agonia

Foto: Romaria d’Agonia

Foto: Romaria d’Agonia

Foto: Romaria d’Agonia

Foto: Romaria d’Agonia

Estas festividades remontam a 1772, em honra da padroeira dos pescadores, Senhora da Agonia. Desde sempre, a ela acorreram homens do mar vindos do litoral português e também da Galiza. São declaradas como feriado municipal, encerrando a dia 20.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Tapetes de sal dão cor a ruas de Viana no último dia da Romaria d’Agonia

FOTOGALERIA

em

Fotos: Facebook de Romaria d'Agonia

Após uma noite longa de trabalho, Viana do Castelo acordou, esta terça-feira, vestida de sal, com os tapetes a colorirem várias ruas, no último dia da Romaria d’Agonia.

O ouro e o poema “Havemos de ir a Viana” inspiram o tapete em honra da Senhora d’ Agonia que os moradores na rua principal da ribeira criaram de ontem para hoje.

No total, segundo números da VianaFestas, entidade que organiza a Romaria d’ Agonia, são utilizadas mais de 30 toneladas de sal na confeção dos tapetes.

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Foto: Facebook de Romaria d’Agonia

Como manda a tradição, é por estes tapetes que o andor da Senhora d’ Agonia irá passar no regresso da também típica procissão ao mar e ao rio.

Continuar a ler

Alto Minho

Despiste e capotamento faz um ferido grave em Arcos de Valdevez

Na EN 101.

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Três pessoas ficaram feridas na sequência de um despiste durante a madrugada desta terça-feira em Aguiã, Arcos de Valdevez. Uma das vítimas, de 42 anos, sofreu ferimentos considerados “graves”.

Ao que O MINHO apurou, a viatura terá entrado em despiste seguido de capotamento na Estrada Nacional 101, com os três ocupantes da viatura a sofrerem ferimentos.

O alerta foi dado pelas 04:52 e ao local acorreram os Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez, SIV de Arcos de Valdevez e a VMER de Viana do Castelo.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares