Artur Jorge diz que vitória frente ao Benfica foi “justíssima” e lamenta “ruído”

Para o treinador, “há uma tentativa de desvalorizar” a vitória do SC Braga.

O treinador Artur Jorge lamentou hoje o “ruído” criado pelas críticas do Benfica à arbitragem do jogo da Taça de Portugal de futebol, na quinta-feira, frisando que “ninguém vai tirar o mérito” à vitória do SC Braga.

No final dessa partida dos quartos de final, que os minhotos venceram no desempate por grandes penalidades (5-4, após 1-1 no final do tempo regulamentar e do prolongamento), o treinador e presidente do Benfica, Roger Schmidt e Rui Costa, respetivamente, teceram duras críticas à arbitragem de Tiago Martins.

“Lamento que haja algum ruído em demasia quanto ao jogo anterior, mas podem fazer o ruído que quiserem, ninguém vai tirar o mérito à nossa vitória, à capacidade que a equipa teve e como se comportou e ao trabalho dos jogadores”, disse o técnico na conferência de imprensa de antevisão da deslocação ao terreno do Marítimo, domingo, da 20.ª jornada da I Liga.

Para o treinador, “há uma tentativa de desvalorizar” a vitória do SC Braga.

“Nós e os nossos adeptos seguramente não nos deixaremos influenciar ou afastar do nosso caminho e podem continuar a fazer o ruído que quiserem, ninguém tira o mérito de uma vitória justíssima do Braga frente a um Benfica forte, mas fomos mais competentes”, reforçou.

Artur Jorge disse que “a equipa está animicamente muito forte e motivada” pela vitória diante dos ‘encarnados’, mas avisou para o facto do Marítimo estar a procurar “sair da posição desconfortável em que se encontra [penúltimo]” e, por isso, espera um adversário “muito forte e aguerrido”.

“Teoricamente, face à classificação, é fácil” concordar que os minhotos são favoritos, referiu o treinador: “mas, quero ser mais contido e relembrar a dificuldade que tivemos para ganhar na casa do Paços de Ferreira, último classificado. Vai ser um jogo muito exigente, tão exigente como com o Benfica, porque o Marítimo quer sair da posição desconfortável em que está”, disse.

Já fisicamente, o jogo de quinta-feira deixou “alguma mossa”, revelando que a equipa técnica e outros departamentos do clube terão um “trabalho suplementar na recuperação dos jogadores para os ter nas melhores condições” diante dos insulares.

Al Musrati e Iuri Medeiros, castigados, são ausências certas, jogadores que o técnico considerou “importantes”.

“Mas, encaro isso com normalidade porque temos um plantel capaz e com soluções para continuarmos a ser uma equipa competente, estou seguro que essas baixas não se não sentir”, disse.

Na quinta-feira, o Braga recebe os italianos da Fiorentina, na primeira mão do play-off de acesso aos oitavos de final da Liga Conferência Europa, calendário apertado, sobretudo este mês, que o técnico aceita.

“Vai haver sempre uma distância muito curta entre os jogos e é preciso uma gestão física e emocional para lidar com os sucessos e, eventualmente, algum insucesso”, disse.

Niakaté saiu com queixas diante dos ‘encarnados’, mas o treinador revelou que foi uma questão de fadiga e que o central francês está disponível, como todo o grupo, com exceção de Gorby, lesionado, e dos castigados.

Sporting de Braga, terceiro classificado, com 43 pontos, e Marítimo, 17.º, com 13, defrontam-se a partir das 20:30 de domingo, no Estádio do Marítimo, no Funchal, jogo que será arbitrado por Rui Costa, da associação do Porto.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Prestes a celebrar 96 anos, Ruy de Carvalho apresenta hoje em Barcelos a "história devida"

Próximo Artigo

Um "amor medido pelo tamanho da herança" para ver em Fafe

Artigos Relacionados
x