Seguir o O MINHO

Cávado

Arrenda apartamento em Esposende, sai sem pagar e ainda leva móveis e eletrodomésticos

Proprietário apresentou queixa na GNR

em

Foto: O MINHO

Era suposto tratar-se de mais um negócio de arrendamento de férias normal, mas acabou por se tornar um pesadelo para o proprietário de um apartamento nas Marinhas, em Esposende, que acabou sem receber o valor acordado e com o recheio da casa roubado.


Em março, no início da pandemia de covid-19, uma mulher na casa dos 40 anos, que será de Braga, contactou, através do Facebook, o proprietário do referido apartamento, alegando que desejava passar uma temporada, com a filha, que terá entre 10 e 13 anos, num local com jardim e piscina, comprometendo-se a pagar 500 euros por 15 dias.

Ao que O MINHO apurou junto de fonte próxima da vítima, ao entrar na casa, alegou ter perdido o cartão multibanco e, portanto, só nos dias seguintes poderia fazer o pagamento acordado. Foi a primeira de muitas desculpas dadas ao longo de várias semanas.

Com a entrada do país em estado de emergência, a alegada burlona terá protelado a saída, chegando mesmo a alegar que a filha estaria infetada com covid-19. Terá, inclusivamente, mostrado documentos falsos para o tentar provar.

As semanas foram passando, até que o proprietário do apartamento deu um prazo definitivo para a saída e pagamento das rendas em dívida: 10 de junho.

A mulher terá saído do apartamento no dia 8 de junho, mas levando com ela todos os móveis (sofá, mesa de jantar e cadeiras, uma cama e colchões, entre outros), bem como louças, eletrodomésticos e objetos de decoração.

A casa terá ficado praticamente vazia, ascendendo o prejuízo a cinco mil euros, ao qual acresce o valor de renda que ficou por pagar que chega aos três mil euros.

Para além disso, conforme a mesma fonte contou a O MINHO, a alegada burlona foi recebendo e abrindo o correio do proprietário, inclusive cartões de multibanco, os quais tentou utilizar, mas sem sucesso.

Aos vizinhos do prédio, terá dito que teria comprado o apartamento e lhe tinham sido oferecidos os móveis. Terá, também, ganhado confiança com alguns deles e pedido dinheiro, supostamente para comer, através da filha menor. E ter-se-á apoderado de um portátil que uma vizinha lhe emprestara para a filha assistir às aulas online.

A vítima apresentou queixa na GNR de Esposende, confirmou a O MINHO fonte oficial do Comando Distrital de Braga, acrescentando que o inquérito segue agora os trâmites legais.

Anúncio

Barcelos

Homem em estado crítico após acidente de trator em Barcelos

Acidente

em

Foto: Vítor Vasconcelos / O MINHO (Arquivo)

Um homem de 74 anos ficou em estado crítico depois de sofrer um acidente com o trator que conduzia, esta manhã, em Barcelos, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

A vítima procedia a trabalhos agrícolas numa propriedade privada situada na Rua de Fiteiro, na freguesia de Fragoso, acabando por ficar debaixo da viatura.

Para o local foram acionados os Bombeiros de Barcelos com cinco viaturas e dez elementos, procedendo ao desencarceramento do idoso.

A vítima foi assistida no local com ajuda da equipa médica da VMER de Viana e foi considerado um ferido “em estado crítico”.

Foi transportado para o Hospital de Braga.

A GNR registou a ocorrência.

O alerta foi dado às 10:20.

Continuar a ler

Barcelos

Barcelos volta a perder na batalha judicial contra a linha de muita alta tensão

Linha de Muita Alta Tensão

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

O Supremo Tribunal Administrativo (STA) manteve o indeferimento da providência cautelar interposta pelo Município de Barcelos para travar a construção de uma linha de muito alta tensão no concelho, segundo acórdão a que a Lusa hoje teve acesso.

No acórdão, datado de 02 de julho, o STA decide não admitir o recurso, considerando que o município não foi “persuasivo” nos argumentos que usou para defender que o avanço da linha poderá conduzir a prejuízos de difícil reparação.

Para o STA, os prejuízos supostamente advindos da construção da linha, ligados à remoção de terras, à destruição de vegetação e de solos e à produção de ruídos e de incómodos, “sempre seriam facilmente indemnizáveis”.

Quanto aos danos resultantes do funcionamento da linha, o STA sublinha que o próprio município não os concretizou, dizendo que não são traduzíveis em “factos concretos”, mas apenas em «receios» que considera “fundados”.

“Ora, é difícil argumentar melhor em prol do acórdão de que se recorre”, acrescenta o STA.

Interposta em setembro de 2019, no Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga (TAFB), a providência cautelar pede o embargo de obra e a abstenção de qualquer conduta ou operação material que se relacione com a construção da linha, bem como a suspensão da eficácia da declaração de impacte ambiental e a suspensão da eficácia do despacho que concedeu a licença de construção.

O TAFB julgou improcedente a providência cautelar, mas a Câmara interpôs recurso para o TCAN, que também não lhe deu razão.

Agora, foi a vez de o STA não aceitar o novo recurso.

A Câmara alega que o traçado da linha vai penalizar nove freguesias do concelho, com particular incidência em Perelhal, Vila Seca e Macieira de Rates, onde passará por “zonas populacionais importantes”.

A Câmara diz ainda que não se lhe pode pedir que concretize os potenciais riscos decorrentes da instalação da linha, considerando que faltam estudos e regulamentação.

Acrescenta que, neste momento, o grande perigo da instalação da linha é colocar “toda uma população sob efeitos que se desconhecem da exposição aos campos elétricos e magnéticos derivados de linhas de muito alta tensão, pois inexistem estudos e normas sobre os níveis da exposição humana máxima admitidos a campos eletromagnéticos”.

Em maio, o Ministério do Ambiente e da Ação Climática referiu que a linha já está em construção e que a suspensão dos trabalhos “não será opção do Governo”, dada a “sua importância para o Sistema Elétrico Nacional”.

Em resposta a uma pergunta apresentada por três deputados do Bloco de Esquerda (BE), o ministério acrescenta que a linha terá um total de 107 postes, já tendo sido iniciados trabalhos em cerca de 40%, incluindo no concelho de Barcelos.

“Esta linha em concreto faz parte dos Projeto de Interesse Comum e está relacionada com a integração de elevada produção de fontes renováveis de energia, nomeadamente da bacia do Cávado. Está igualmente relacionada com a nova interligação entre Portugal (Minho) e Espanha (Galiza), aumentando a integração entre os dois países no mercado ibérico de eletricidade (MIBEL) e deste com o mercado europeu, promovendo, assim, a concorrência”, acrescenta.

Segundo o Ministério do Ambiente, “Portugal dispõe de legislação que garante a total segurança de pessoas e bens debaixo e na vizinhança imediata das linhas” de muito alta tensão, “conforme as mais recentes recomendações de organizações internacionais de saúde”.

Diz ainda o ministério que foram estudadas alternativas de traçado, “mas que tinham impactos negativos sobre as pessoas mais elevados do que os impactos que a linha em construção terá”.

Continuar a ler

Barcelos

Bombeiros de Barcelos recebem nova viatura de combate a incêndios

Entregues divisas a 18 novos bombeiros

em

Foto: O MINHO

Os Bombeiros Voluntários de Barcelos receberam uma nova viatura de combate a incêndios, na terça-feira, dia em que a corporação assinalou 137 anos sobre a sua fundação numa cerimónia interna.

O novo veículo VFCI, adquirido pelos órgãos sociais, substituiu outro já “com 40 anos”, como explica a O MINHO o segundo comandante dos Bombeiros de Barcelos, António Moreira: “Fizemos uma troca. A nossa política – da direção e do comando – em relação à frota é a de fazer trocas diretas de veículos”.

Foto: O MINHO

Foto: O MINHO

Esta nova viatura representa uma “melhoria substancial”. “Tem o dobro da capacidade de armazenamento de água – a antiga tinha capacidade para 1.800 litros, esta tem para 4.000. E além disso é todo-o-terreno, enquanto a outra não era”, realça o segundo comandante, acrescentando que a viatura foi apadrinhada pelo sub-chefe José Ricardo.

António Moreira explica que este dia 4 de agosto é dedicado ao corpo de bombeiros e as cerimónias decorreram internamente, sem convidados.

Neste dia, foram ainda entregues as divisas a 18 novos bombeiros. E foi também prestada homenagem aos bombeiros falecidos no último ano: comandante António Costa e bombeiro Francisco.

Continuar a ler

Populares