Seguir o O MINHO

País

António Costa considera “excelente indicador” abstenção do PCP

Orçamento do Estado para 2021

em

Foto: Twitter de António Costa

O primeiro-ministro, António Costa, considerou hoje um “excelente indicador” o PCP ter anunciado a abstenção no Orçamento do Estado de 2021 (OE2021) e resultado de um entendimento “para ter um bom orçamento para o próximo ano”.


“É um excelente indicador de que é possível, conversando, procurando pontos de entendimento, trabalhar para ter um bom orçamento para o próximo ano”, afirmou Costa aos jornalistas, à margem de um encontro da revista Visão, na Estufa Fria, em Lisboa.

Na atual situação de “crise muito profunda” causada pela pandemia de covid-19, o chefe do Governo disse ser “fundamental ter um bom Orçamento do Estado” para “reforçar o Serviço Nacional de Saúde”, “aumentar o investimento” e “proteger os rendimentos das famílias”.

Sem se referir diretamente ao Bloco de Esquerda, que no domingo anuncia o sentido de voto, Costa disse que gostaria de ter o apoio dos restantes partidos de esquerda.

E sublinhou que, nos últimos meses, nas negociações com a esquerda e o partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN), já se fez “um bom caminho” e que houve “avanços importantes para os cidadãos”, aliás, valorizados pelo PCP para justificar a sua abstenção na generalidade.

É uma “medida importante” que o Governo tenha aceitado “antecipar” de agosto “para janeiro um aumento das pensões mais baixas em 10 euros”.

António Costa admitiu que “hoje ou amanhã [domingo]” o PAN anuncie o seu sentido de voto no OE2021, que acontece na quarta-feira no parlamento.

Anúncio

País

Covid-19: Mais 72 mortos, 2.401 infetados e 7.935 recuperados no país

Boletim diário da DGS

em

Foto: DR / Arquivo

Portugal regista hoje mais 72 mortos e 2.401 novos casos de infeção por covid-19, em relação a segunda-feira, segundo o boletim epidemiológico diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

1.300 dos novos casos são no Norte.

De acordo com o boletim, desde o início da pandemia até hoje registam-se 300.462 casos de infeção confirmados e 4.577 mortes.

Foram registados 220.877 recuperados, mais 7.935 nas últimas 24 horas.

Continuar a ler

País

Plano de vacinação apresentado na quinta-feira

Anunciou António Costa

em

Foto: DR / Arquivo

O plano nacional de vacinação contra a covid-19 vai ser apresentado na quinta-feira, anunciou hoje o primeiro-ministro, António Costa, que se reúne na véspera com a equipa que está a elaborar este plano.

Hoje, em entrevista à rádio Observador, o primeiro-ministro anunciou que na quinta-feira será apresentado o plano de vacinação de combate à covid-19, rejeitando que Portugal esteja atrasado em relação a outros países por considerar que o país está “bem a tempo”.

À agência Lusa, o gabinete de António Costa adiantou que na véspera desta apresentação, na quarta-feira à tarde, o primeiro-ministro recebe na residência oficial, em Lisboa, a equipa que está a elaborar este plano.

Nesta reunião participam ainda, além da equipa coordenadora do plano, os ministros de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, da Saúde, Marta Temido, da Administração Interna, Eduardo Cabrita, e da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, assim como o secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro, Tiago Antunes.

Continuar a ler

País

Costa avisa: “Passagem de ano vai ter todas as restrições”

Medidas para o Natal são conhecidas no sábado

em

Foto: DR / Arquivo

O primeiro-ministro, António Costa, adiantou hoje que no sábado anunciará as medidas para o Natal “com as melhores condições possíveis”, mas avisou desde já que “a passagem do ano vai ter todas as restrições”.

“O Governo propôs ao Presidente da República, e o senhor Presidente da República aceitou que desta vez, quando anunciarmos a renovação do estado de emergência, possamos anunciar não só as medidas para a próxima quinzena como as medidas para a quinzena seguinte, ou seja, até 6, 7 de janeiro”, revelou hoje António Costa, em entrevista à rádio Observador.

Assim, de acordo com o primeiro-ministro, “é fundamental que as pessoas possam ter uma noção antecipada do que vai ser o Natal”, sendo esta semana decisiva para a decisão sobre essas medidas, que irá anunciar no próximo sábado.

“Vamos todos fazer o esforço para podermos ter o Natal com as melhores condições possíveis, mas logo a seguir, há uma coisa que posso antecipar desde já, é que a passagem do ano vai ter todas as restrições porque aí não pode haver qualquer tipo de tolerância”, avisou.

Continuar a ler

Populares