Seguir o O MINHO

Alto Minho

Antigo albergue de Viana passa a acolher peregrinos dos Caminhos de Santiago

em

Hospital Velho

O Hospital Velho em Viana do Castelo, imóvel do século XV que chegou a ser albergue de peregrinos de Santiago de Compostela, funcionará, a partir de abril de 2018, como centro interpretativo do percurso pela costa, anunciou a autarquia.

“Estamos a preparar os conteúdos, e toda a parte tecnológica, porque queremos que seja um espaço não só rigoroso do ponto vista da informação, mas que seja também apelativo, pedagógico e didático. Contamos em abril de 2018, na altura da Páscoa, ter este espaço aberto a quem nos visitar”, afirmou a vereadora da Cultura da Câmara de Viana do Castelo, Maria José Guerreiro.

A responsável, que respondia às questões dos jornalistas no final da apresentação pública do projeto “Valorização dos Caminhos de Santiago”, adiantou que o futuro centro interpretativo “ocupará parte do Hospital Velho”.

Aquele imóvel, onde decorreu hoje a apresentação do projeto, está situado na Praça da Erva e é local emblemático daquele percurso, já que “o apoio aos viajantes era realizado através de uma rede assistencial que assentava no funcionamento de estalagens e hospitais”.

O presidente da Câmara de Viana do Castelo, também presente naquela sessão, adiantou que a adaptação do Hospital Velho a centro interpretativo “vai implicar uma pequena intervenção” que vai ainda permitir mostrar “parte significativa da muralha fernandina de Viana do Castelo”.

“É, provavelmente, a parte de muralha mais bem conservada da cidade. Vai ser um espaço em que os visitantes vão poder conhecer a evolução histórica de Viana do Castelo”, explicou.

A câmara da capital do Alto Minho apresentou hoje o guia do Caminho Português da Costa, “o primeiro produto que resulta da candidatura que dez municípios do litoral norte apresentaram aos fundos comunitários para valorizar um percurso com elevado potencial turístico”.

Em Viana do Castelo, a autarquia pretende valorizar “o mais antigo testemunho dos Caminhos de Santiago de Compostela pela Costa” e que são dois documentos arqueológicos datados do ano 862 que atestam a existência do caminho pelo litoral e que se encontram na Igreja de Santiago, na freguesia de Castelo de Neiva.

Além do Guia do Caminho hoje apresentado, em Viana do Castelo, a vereadora da Cultura disse “estar concluída a sinalética do percurso”.

Iniciativas concretizadas ao abrigo do projeto intermunicipal, dotado de 1,6 milhões de euros, para a valorização dos Caminhos de Santiago, que envolve as autarquias de Porto, Matosinhos, Maia, Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Esposende, Viana do Castelo, Caminha, Vila Nova de Cerveira e Valença.

Nas novas ferramentas, que pretendem orientar, mas também conferir mais segurança à caminhada dos peregrinos, podem ser encontradas explicações sobre o Caminho da Costa, e também do Caminho Central, além de uma divulgação histórica, patrimonial, ambiental e cultural dos dez municípios que integraram o projeto.

EM FOCO

Populares