Seguir o O MINHO

Ave

Antiga metalúrgica em ruínas dá lugar a escola artística em Famalicão

Antiga metalúrgica Cegonheira

em

Foto: CM Famalicão / Divulgação

Das ruínas da antiga Cegonheira, histórica empresa metalúrgica instalada na cidade famalicense, começou hoje a nascer a nova escola de música da ARTAVE em Famalicão, que vai sedimentar o trabalho artístico que esta instituição tem desenvolvido há três décadas no concelho, foi hoje anunciado.

O novo complexo escolar da ARTAVE e do CCM em Famalicão vai, assim, nascer da reconversão das antigas instalações, mediante um investimento no valor de 3.085.217,02 euros que será materializado pela empresa famalicense Gabriel Couto, divulgou a autarquia, em nota enviada à imprensa.

A primeira pedra do novo equipamento educativo e cultural foi lançada pelo presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha e pelo diretor pedagógico da ARTAVE e do CCM – Centro de Cultura Musical, José Alexandre Reis, na presença de alunos, professores e parceiros da instituição.

A primeira fase de execução, que engloba a construção da parte escolar, tem um prazo de execução de nove meses. Os auditórios, assim como o espaço onde estará instalada a exposição da coleção de instrumentos musicais chineses, doada por Paulo Sá Machado, e o polo dedicado às indústrias criativas, associado ao Made IN, serão construídos na fase posterior.

“Estamos a criar condições para a formação integral das nossas crianças e jovens” referiu o Presidente da Câmara, citado em comunicado. “Queremos que exista em Famalicão um verdadeiro ecossistema educativo, onde as várias dimensões da educação possam interagir, e este equipamento vem dar um importante contributo para isso”, referiu o autarca evidenciado a importância da localização do equipamento, bem no centro da zona escolar da cidade.

“Este é um momento de viragem para um novo patamar”, salientou por sua vez o diretor pedagógico da ARTAVE, José Alexandre Reis. “Começamos em 1989 com cinco salas, entretanto evoluímos para as condições atuais, mas é altura de dar um passo para o futuro, criando condições para melhor ensino e para fortalecermos a dimensão cultural de Famalicão”, disse. E acrescentou: “A nova escola terá condições para uma intervenção maior da ARTAVE na cultura em Famalicão, posicionando-se também como um centro de eventos, tanto a nível cultural e educativo, como a nível mundial”.

As novas instalações terão um total de 63 salas de ensino, biblioteca e zonas administrativas, assim como um auditório com 500 lugares, um segundo com lotação para 200 pessoas e quatro salas de aula que poderão ser transformadas em auditórios de 120 lugares. O valor total do investimento ronda os 6,3 milhões de euros. A Câmara Municipal aprovou um apoio de 1.856.000,00 euros dividido em prestações ao longo dos próximos 19 anos e cedeu àquela entidade o direito de superfície do prédio urbano que detinha naquele complexo por um prazo de 50 anos.

Populares