Seguir o O MINHO

Barcelos

Aluno do Conservatório de Música de Barcelos vence prémio Ilda Moura no Porto

em

Diogo Gonçalves Carlos, aluno do Conservatório de Música de Barcelos (CMB). Foto: Facebook de Francisco Gomes

Diogo Carlos, aluno do Conservatório de Música de Barcelos, venceu o prémio Ilda Moura, no Porto, na categoria de “Guitarra e Cordas Friccionadas”.


O guitarrista barcelense tem 18 anos e é aluno do professor Francisco Gomes.

Em 2016, Diogo Carlos foi notícia por ter sido admitido na Guildhall School of Music and Drama, em Londres, considerada uma das mais importantes universidades de artes do mundo.

O Prémio Ilda Moura, criado pela Escola de Música Guilhermina Suggia vai na terceira edição e tem como principal objetivo estimular o gosto pela música erudita.

Ilda Moura nasceu no Porto em 1918. Concluiu o curso de música com 22 anos e obteve uma bolsa de estudo para continuar a carreira musical como cantora em Itália, algo que “as guerras que alastravam na Europa impediram”. Destacou-se profissionalmente por ter permanecido como primeira e única meteorologista em Portugal durante 17 anos, conforme pode ler-se na nota biográfica partilhada no site da organização. Morreu no ano 2000.

Anúncio

Barcelos

Surto em lar de Barcelos com nove utentes e quatro funcionários infetados

Covid-19

em

Foto: DR

Há um surto no lar da Casa do Povo de Alvito, em Barcelos, com nove utentes e quatro colaboradores infetados. Não há nenhum hospitalizado. “A situação está controlada”, refere a O MINHO o presidente da instituição, José Silva.

O surto no lar, que tem 29 utentes, teve origem num colaborador externo. Logo que foi detetado o caso a Casa do Povo de Alvito realizou testes rápidos a todos os colaboradores e utentes, que revelaram três positivos.

Depois, foram realizados novos testes, cujos resultados foram conhecidos na quarta-feira: nove utentes testaram positivo, bem como dois colaboradores internos e dois externos.

Os doentes covid estão separados dos restantes e a ser “avaliados diariamente”, sendo que apenas quatro apresentam sintomas de grau ligeiro e os restantes encontram-se assintomáticos.

“Está tudo isolado. Estamos a cumprir todas as regras”, refere José Silva, realçando que a instituição está em contacto permanente com a autoridade de saúde pública, que “tem sindo incansável”.

Entretanto, o Centro de Dia da instituição foi encerrado, “embora estivesse à parte”, não tendo contacto com o lar.

As restantes respostas sociais – Serviço de Apoio Domiciliário, Creche, Pré-Escolar e C.A.T.L. – mantêm o seu normal funcionamento.

A instituição salienta que não existe qualquer tipo de contacto entre as equipas de trabalho destas respostas e os colaboradores do lar.

Notícia atualizada às 18h21 com mais informação.

Continuar a ler

Barcelos

Freguesia mais populosa de Barcelos instala cinzeiros para acabar com beatas no chão

Arcozelo

em

Foto: JF Arcozelo

A Junta de Arcozelo, freguesia com mais população do concelho de Barcelos, instalou 30 cinzeiros de parede em diversos locais com o objetivo de acabar com as beatas no chão. “A ideia é poder reduzir ou mesmo acabar com as beatas espalhadas pelo chão e sermos todos agentes de mudança”, salienta a autarquia.

Em declarações a O MINHO, o presidente da Junta, José Monteiro da Silva, explica que os cinzeiros foram colocados sobretudo na parte urbana da freguesia, embora também se tenha estendido às zonais rurais.

Os locais escolhidos foram postes das passadeiras, as paragens do autocarro urbano Barcelos Bus e junto de estabelecimentos comerciais.

Foto: JF Arcozelo

Os cinzeiros foram colocados na quinta-feira e poderão vir a ser colocados mais. “Vamos fazer uma avaliação e se fizer falta colocaremos mais. É natural que ainda faça falta”, nota o presidente da Junta.

O investimento não foi muito avultado, rondou os 1.200 euros, mas o impacto que poderá ter no asseio e limpeza das ruas de Arcozelo é grande, considera Monteiro da Silva, adiantando já outro projeto que tem em mente.

“Estamos a pensar em colocar casotas com os sacos para [apanhar as fezes] dos cães. Na junta já oferecemos os sacos, mas agora vamos colocá-los nos próprios jardins com o dispositivo total. A ver se temos um Arcozelo mais limpo”, realça o autarca.

Foto: JF Arcozelo

Ainda em relação aos cinzeiros, Monteiro da Silva congratula-se por Arcozelo ter sido uma freguesia pioneira, recordando que a ideia surgiu logo que foi decretada a chamada ‘lei das beatas’, e gostava de ver a iniciativa replicada em Barcelos e noutros concelhos.

A partir de hoje atirar beatas para o chão dá até 250 euros de multa

No passado dia 3 de setembro, entrou em vigor a Lei n.º 88/2019, de redução do impacto das pontas de cigarros, charutos ou outros cigarros no meio ambiente que pune com coimas entre 25 e 250 euros quem atirar beatas para a via pública.

Continuar a ler

Barcelos

Surto em casa de saúde mental em Barcelos com 75 infetados

Covid-19

em

Foto: Vítor Vasconcelos / O MINHO

A Casa de Saúde de S. João de Deus, em Barcelos, tem 63 utentes e 12 colaboradores infetados com o novo coronavírus.

Em comunicado, a instituição acrescenta que cinco utentes foram encaminhados para as unidades de saúde de referência.

Sublinha que na maioria dos casos os infetados estão assintomáticos.

“As pessoas em causa estão em isolamento, de acordo com as indicações das entidades competentes/autoridade de saúde”, diz ainda.

Aquela Casa de Saúde pertence ao Instituto S. João de Deus (ISJD), uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) que presta cuidados em regime de internamento a cerca de 2.000 pessoas nos âmbitos da psiquiatria e saúde mental, cuidados continuados e cuidados paliativos.

O comunicado sublinha que todos os estabelecimentos do ISJD têm implementados planos de contingência, que incluem zonas de isolamento “claramente definidas”.

Acrescenta que os profissionais de saúde estão formados e informados sobre as precauções a tomar e os procedimentos a implementar.

A Casa de Saúde de S. João de Deus tem 160 colaboradores e 300 utentes internados.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 44,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.428 pessoas dos 132.616 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Notícia atualizada às 12h22 com atualização do número de infetados.

Continuar a ler

Populares