Seguir o O MINHO

Alto Minho

Agrupamento de Escolas de Freixo recebe prémio da Fundação Ilídio Pinho

em

O Agrupamento de Escolas de Freixo ganhou o 3º prémio no valor de 5.000€, na 12ª edição do projecto ” Ciência na Escola”, promovido pela Fundação Ilídio Pinho.

O projeto vencedor foi apresentado pela turma A5, do 3º ano da Escola Básica de Freixo e intitula-se “MathsFun! Freixo interativo”.

Este projecto, desenvolvido com os alunos, visa revitalizar jogos matemáticos didáticos, que facilitam o desenvolvimento de conceitos científicos sobre as diversas áreas curriculares dos estudantes.

Através da parceria com a empresa We Productise e a Associação Ludus, estes jogos são produzidos em suporte físico, em sala de aula, permitindo aos alunos a experimentação e manipulação dos materiais e um aumento das suas aprendizagens e competências.

Numa fase posterior, estes produtos serão convertidos em aplicações informáticas para uso em diversos dispositivos.

Anúncio

Ponte de Lima

Antiga escola primária em Ponte de Lima transformada em centro cultural e comunitário

Investimento de cerca de 400 mil euros

em

Foto: Google Maps

A antiga escola primária da freguesia de Anais, em Ponte de Lima, vai ser transformada em centro cultural e comunitário num investimento de cerca de 400 mil euros, informou esta sexta-feira a Câmara local.

Em comunicado, a autarquia do distrito de Viana do Castelo adiantou que o auto de consignação da empreitada vai ser assinado no dia 18, na antiga escola primária de Anais.

O objetivo do investimento de 376.632 euros (+ IVA a 6%), passa pela “criação de um equipamento que reúna no mesmo espaço diversas valências e que responda às exigências atuais ao nível do conforto térmico, e do cumprimento da legislação em vigor, em termos de acessibilidades e segurança contra incêndios”.

A proposta de intervenção “visa recuperar o imóvel para fins culturais, recreativos e de associativismo, fazendo alterações significativas ao nível da compartimentação interior e da requalificação da cobertura”.

Continuar a ler

Alto Minho

Valença: Padre Ricardo é notícia no “El País” depois de aparecer em videoclip de rock

Padre portugûes é fenómeno ibérico

em

Foto: Youtube / DR

O Padre Ricardo Esteves, conhecido como o “padre sexy” pela imprensa, foi “descoberto” pela televisão espanhola depois de ter entrado, vestido de anjo, no videoclip de uma banda de rock de Viana do Castelo.

Canais como a Telecinco e La Sexta fizeram até peças informativas sobre Ricardo. O jornal El País frisou o facto do video musical já contar com mais de 50 mil visualizações no YouTube.

Foto: Youtube / DR

Este sacerdote que serviu as suas paróquias durante mais de dez anos e depois se tornou modelo, foi notado em Espanha, não só pela sua aparência, como também pelo seu altruísmo.

O canal Telecinco notou que o “padre aproveita a sua fama para fazer colaborações pagas com diversas marcas e doa todo o dinheiro angariado”.

Em uma das entrevistas que deu por Espanha, este padre, que “enche missas”, referiu não se reflectir no termo “sexy” que lhe é apelidado.

Padre “motard” enche igrejas nas primeiras missas em Valença

Prefere pensar em sí próprio antes como um padre cool que aprecia a sua juventude, organizar festas e divertir-se.

Com 36 anos de idade, o padre Ricardo Esteves está atualmente à frente  de cinco paróquias de Valença: Taião, Sanfins, Boivão, Gondomil, e Gandra.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Viana do Castelo compra ex-pavilhão da AIMinho por 1,3 ME para centro de congressos

Imóvel situado no Campo d’Agonia

em

Foto: Divulgação

A Câmara de Viana do Castelo assinou, esta sexta-feira, com o administrador de insolvência da Associação Industrial do Minho (AIMinho) a escritura de aquisição, por 1,3 milhões de euros, de um antigo pavilhão para o transformar em centro de congressos.

O imóvel, situado no Campo d’Agonia, encontrava-se à venda na sequência de uma decisão judicial que determinou a “liquidação e encerramento” da AIMinho, depois de a assembleia de credores ter rejeitado um plano para recuperar a instituição da insolvência, devido ao voto contra do Novo Banco, que tem um crédito de cinco milhões de euros.

Hoje, em comunicado enviado à imprensa, a Câmara da capital do Alto Minho explicou que o espaço adquirido “é composto por um pavilhão para exposições, um edifício de apoio administrativo, um auditório e de um terreno adjacente ao pavilhão de exposições”.

“A Câmara Municipal de Viana do Castelo pretende refuncionalizar o espaço para criar um centro de congressos com uma sala expositiva para 500 pessoas, um auditório para 150 pessoas e uma sala de exposições”, especifica a nota.

O município liderado pelo socialista José Maria Costa adiantou que “as obras de requalificação das instalações do antigo centro empresarial estão já previstas e orçamentadas no Plano de Atividades e Orçamento para 2020 e 2021”.

Na gestão do futuro edifício, adiantou a autarquia, “permanecerá” a Escola Profissional – ETAP, atualmente instalada naquele edifico, “para o qual será celebrado um protocolo de cooperação de cedência de parte das instalações, bem como o modelo de gestão”.

A Câmara de Viana do Castelo justificou a criação do novo centro de congressos com a necessidade de “dar resposta em termos de disponibilização de espaços às inúmeras solicitações que tem vindo a registar para a realização de eventos e de congressos nacionais e internacionais na cidade”.

O novo espaço de congressos “irá beneficiar da centralidade das instalações, da proximidade de um parque de estacionamento, que permite o acesso rápido ao centro histórico e às diversas unidades hoteleiras, restauração e comércio tradicional da cidade”.

“O equipamento assumirá, assim, um papel importante na dinamização económica e na atratividade do concelho”, sustenta a autarquia.

Em maio, a Câmara aprovou, por unanimidade, a compra, por 1,3 milhões de euros, do pavilhão, através de um empréstimo de 12 anos para financiamento daquela operação.

Além da aquisição do imóvel e da contração do empréstimo, o executivo municipal aprovou ainda, também por unanimidade, uma segunda revisão orçamental “para introdução daquela operação nas contas de 2019” e incluir, “no orçamento de 2020, uma verba de um milhão de euros para a realização de intervenções no imóvel a candidatar a fundos comunitários”.

O imóvel possui uma área de terreno total de 8.600 metros quadrados, uma área do pavilhão de 3.100 metros quadrados, uma área de receção/entrada com 380 metros quadrados e uma área de serviços/gabinetes de 750 metros quadrados.

Em setembro de 2018, o Ministério Público (MP) acusou 126 arguidos, 79 pessoas singulares e 47 empresas, no âmbito de um processo-crime sobre ganhos ilícitos de quase 10 milhões de euros com projetos relacionados com a AIMinho e cofinanciados pela União Europeia.

Os 126 arguidos vão responder por crimes de associação criminosa, fraude na obtenção de subsídios, burla qualificada, branqueamento, falsificação e fraude fiscal qualificada, remontando os factos ao período entre 2008 e 2013.

Continuar a ler

Populares