Seguir o O MINHO

Cávado

412 edifícios de Barcelos deixam de despejar esgotos para o rio Cávado

em

A Câmara de Barcelos investiu 300 mil euros na construção da estação elevatória de Barcelinhos, que vai evitar o despejo para o rio Cávado dos esgotos de 412 edifícios, informou esta terça-feira o município.

Em comunicado, o município sublinha que esta obra era da “inteira responsabilidade” da empresa Águas de Barcelos, no âmbito do contrato de concessão da água e saneamento do concelho, aprovado em 2004, por um executivo do PSD.

Acrescenta que, em 2008, o executivo municipal, na altura ainda do PSD, chamou a si a execução de algumas obras previstas no plano de investimentos da Águas de Barcelos, “fazendo diminuir, deste modo, as obrigações da empresa e atirando para cima dos barcelenses custos de vários milhões de euros”.

Entre essas obras, contam-se duas estações de tratamento de águas residuais (cerca de cinco milhões) e alguns sistemas elevatórios, como a central elevatória de Barcelinhos, orçada em mais de 300 mil euros e acabada de executar pelo atual executivo.

Com aquela estação elevatória, os esgotos do núcleo urbano de Barcelinhos deixarão de ser despejados no rio Cávado, “desaparecendo os cheiros nauseabundos e o rego de esgotos a céu aberto” que poluía aquele curso de água.

Naquela bacia de drenagem, existem 603 clientes de saneamento, 524 dos quais domésticos.

No total, serão servidos 412 edifícios.

A nova estação encaminhará a água dos esgotos até à elevatória de Medros, de onde será bombeada para a estação de tratamento de águas residuais de Barcelos, que se situa em Vila Frescainha S. Pedro.

Notificacoes O Minho

Ative as notificações no canto esquerdo do seu ecrã  e receba alertas de notícias de Última Hora.*

* disponível para Google Chrome

Populares