Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

XIV Encontro Internacional das Artes em Viana do Castelo

Organização do Instituto Politécnico vianense junta participantes vindos da Europa e África

em

Foto: Divulgação

Ao longo de dois dias, 21 e 22 de fevereiro, das 09:30 às 19:30, na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Viana do Castelo vai-se falar sobre “Culturas e Artes no Século XXI: Ruralidades em transição e outras”.

Trata-se da 14ª Edição do Encontro Internacional de artes que, refere a organização, “constitui uma oportunidade de reflexão sobre teorias e práticas artísticas em contextos e países diversificados, tais como Portugal, Alemanha, Áustria, Inglaterra, Malta, Croácia e Cabo Verde”.

O encontro reúne comunicações, palestras, mesas redondas, exposições, performances e workshops sobre temas que se entrelaçam: arte e cultura, arte contemporânea, práticas artísticas, curriculum artístico, cooperação cultural transnacional, diversidade cultural, internacionalização, dando continuidade à proposta educativa comprometida com a ideia que a escola deve e pode transformar a vida e onde a educação significa contribuir para o desenvolvimento cultural, artístico e económico da nossa sociedade.

Trata-se, refere a comissão organizadora, “de um espaço de diálogo entre estudantes e profissionais das artes, de diversos continentes, onde se divulga e partilha tudo o que se vai fazendo anualmente em diversos contextos, conduzindo a um fortalecimento de relações humanas e profissionais, ao envolvimento em projetos nacionais e internacionais sistemáticos, como Rural 3.0: Service Learning for the Rural Development (2018-2021), “Novos Media ao Serviço do Património Cultural do Alto Minho? (2017-2019), e a Revista anual online Diálogos com a Arte-revista de arte, cultura e educação”.

Os Encontros, as publicações e parcerias que daí resultam, incentivam práticas colaborativas, fomentam o associativismo, fortalecem redes de interesse e promovem ligações interterritoriais e interculturais.

“Estes Encontros pretendem ser mais um contributo para o enriquecimento da formação de profissionais críticos e interventivos”, adianta a comissão organizadora do evento, que sublinha outros pontos importantes desta iniciativa.

“Além disso, especificamente, estabelecer o fortalecimento da cooperação intra e interinstitucional, com base no aprofundamento de conhecimentos, competências e atitudes ligados a uma ação de cidadania ativa e responsável, que valorize a diversidade como fonte de enriquecimento humano e como ponto de partida para reflexão sobre a questão da formação de profissionais em todas as áreas que se articulam através das Artes”.

Populares