Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

XIV Encontro Internacional das Artes em Viana do Castelo

Organização do Instituto Politécnico vianense junta participantes vindos da Europa e África

em

Foto: Divulgação

Ao longo de dois dias, 21 e 22 de fevereiro, das 09:30 às 19:30, na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Viana do Castelo vai-se falar sobre “Culturas e Artes no Século XXI: Ruralidades em transição e outras”.

Trata-se da 14ª Edição do Encontro Internacional de artes que, refere a organização, “constitui uma oportunidade de reflexão sobre teorias e práticas artísticas em contextos e países diversificados, tais como Portugal, Alemanha, Áustria, Inglaterra, Malta, Croácia e Cabo Verde”.

O encontro reúne comunicações, palestras, mesas redondas, exposições, performances e workshops sobre temas que se entrelaçam: arte e cultura, arte contemporânea, práticas artísticas, curriculum artístico, cooperação cultural transnacional, diversidade cultural, internacionalização, dando continuidade à proposta educativa comprometida com a ideia que a escola deve e pode transformar a vida e onde a educação significa contribuir para o desenvolvimento cultural, artístico e económico da nossa sociedade.

Trata-se, refere a comissão organizadora, “de um espaço de diálogo entre estudantes e profissionais das artes, de diversos continentes, onde se divulga e partilha tudo o que se vai fazendo anualmente em diversos contextos, conduzindo a um fortalecimento de relações humanas e profissionais, ao envolvimento em projetos nacionais e internacionais sistemáticos, como Rural 3.0: Service Learning for the Rural Development (2018-2021), “Novos Media ao Serviço do Património Cultural do Alto Minho? (2017-2019), e a Revista anual online Diálogos com a Arte-revista de arte, cultura e educação”.

Os Encontros, as publicações e parcerias que daí resultam, incentivam práticas colaborativas, fomentam o associativismo, fortalecem redes de interesse e promovem ligações interterritoriais e interculturais.

“Estes Encontros pretendem ser mais um contributo para o enriquecimento da formação de profissionais críticos e interventivos”, adianta a comissão organizadora do evento, que sublinha outros pontos importantes desta iniciativa.

“Além disso, especificamente, estabelecer o fortalecimento da cooperação intra e interinstitucional, com base no aprofundamento de conhecimentos, competências e atitudes ligados a uma ação de cidadania ativa e responsável, que valorize a diversidade como fonte de enriquecimento humano e como ponto de partida para reflexão sobre a questão da formação de profissionais em todas as áreas que se articulam através das Artes”.

Anúncio

Viana do Castelo

Caminhada noturna usa mistério de 6.ª feira 13 e mostra património de Viana

Vila de Punhe

em

Foto: CM-Viana / DR

Tirar proveito do mistério da sexta-feira 13 para divulgar o património da Vila de Punhe em Viana, é o objetivo da caminhada noturna que, em março, levará 500 pessoas até ao moinho do Inácio, informou, esta quarta-feira, a organização.

Em causa está um engenho de transformação de cereais em farinha que entrou em funcionamento em 1837, servido pelo regato de Roques, na bacia hidrográfica do rio Neiva, localmente conhecido como o moinho do Inácio, nome dos antigos proprietários.

Segundo o presidente do Núcleo Promotor do Auto da Floripes 05 de agosto, Pedro Rego, “cerca de 500 pessoas estão inscritas para a caminhada noturna do dia 13 de março”, que terá 4,5 quilómetros de extensão, começa às 21:30, no adro da igreja de Vila de Punhe e termina, cerca das 23:30, junto aquele engenho, situado no lugar dos Regos, próximo do monte da Infia (Barreiras).

“A caminhada noturna aproveita o misticismo que envolve a sexta-feira 13 para, num ambiente de convívio, juntar aventura com cultura. Esta iniciativa denominada de “Queimada no Moinho”, será a XIII edição”, explicou.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Governo anuncia redução de até 40% nas portagens da A28

Portagens

em

Foto: DR / Arquivo

As portagens da A28 vão sofrer uma redução de preço, mas só a partir dos primeiros sete dias de cada mês, anunciou hoje o Governo.

De acordo com Ana Abrunhosa, ministra da Coesão Territorial, a medida está prevista para julho deste ano e, para além da estrada que liga Porto a Viana, irá abranger outras seis autoestradas do país.

A governante explica que esta medida serve para beneficiar os utentes regulares desta via, com os descontos a serem aplicados apenas a partir dos primeiros sete dias do mês. Entre o oitavo e o décimo quinto dia, os utilizadores beneficiam de um desconto de 20%. Entre o dia 16 e o final do mês em vigor, os descontos são de 40%.

“Vamos conseguir implementar no terceiro trimestre deste ano um sistema de redução de portagens, privilegiando as portagens do interior. É um desconto de quantidades, que privilegia os utilizadores frequentes, quer sejam residentes quer trabalhem nestes territórios ou que os visitem regularmente”, disse a ministra à Rádio Renascença.

De acordo com a ministra, estima-se uma poupança de mais de 1.000 euros por ano para um veículo de Classe 1 e que, diariamente, utilize as autoestradas para trabalhar.

Para além da A28, também A22-Algarve, A23-IP, A23-Beira Interior, A24-Interior Norte, A25-Beiras Litoral e Alta, A4-Subconcessão AE transmontana, A4-Túnel do Marão, A13 e A13-1 – Subconcessão Pinhal Interior vão ser beneficiadas.

Apesar de ser uma medida para as vias do interior do país, a A28 e a Via do Infante também estão abrangidas por não existirem alternativas.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Cadáver de baleia-comum removido de praia em Viana

Praia Norte

em

Foto: José Flores

O cadáver de uma baleia comum com cerca de seis metros de comprimento e 2,5 toneladas de peso começou, esta quarta-feira, a ser removido da Praia Norte, em Viana do Castelo, disse à Lusa o comandante da capitania local.

Segundo o capitão do porto de mar e comandante da Polícia Marítima (PM) de Viana do Castelo, Sameiro Matias, o animal deu à costa, na terça-feira, cerca das 17:42, ainda com “alguns sinais de vida.

Sameiro Matias adiantou que, “sob orientação de uma bióloga do CRAM – Centro de Reabilitação de Animais Marinhos, em Quiaios, na Figueira da Foz, foram realizadas tentativas para afastar o mamífero, que acabou por morrer nas pedras da praia”.

Os trabalhos de remoção do cadáver da baleia começaram cerca das 09:00 com a participação da PM, de cinco operacionais e duas viaturas dos Bombeiros Sapadores de Viana do Castelo, e meios dos Serviços Municipalizados de Viana do Castelo (SMSBVC).

Continuar a ler

Populares