Seguir o O MINHO

Ponte de Lima

Votação na Assembleia divide PSD de Ponte de Lima

Pedro Salvador pede demissões, Filipe Lima não quer dividir o partido

em

Pedro Salvador foi candidato à Assembleia Municipal nas últimas eleições. Foto: Divulgação / Arquivo

“Se a situação fosse comigo, já tinha tomado uma atitude”. É assim que Pedro Salvador, candidato PSD de Ponte de Lima à Assembleia Municipal nas últimas autárquicas, comenta a situação política interna no partido, aludindo ao voto favorável do presidente e do vice-presidente da Comissão Política ao Plano de Atividades e Orçamento para 2019, na última sessão daquela assembleia. Isto depois de a Comissão Política ter aconselhado o voto contra. Salvador não fala em demissão, mas as suas palavras deixam concluir que era isso que faria.


Sucede que, quer Filipe Lima, presidente da concelhia, quer Filipe Amorim e Manuel Felgueiras, vice-presidentes, lideram as freguesias de Seara, Rebordões Souto e Poiares, o que pode justificar o voto favorável.

Para Pedro Salvador, que anunciou o voto contra na Assembleia e viu, depois, os três votarem a favor, a situação tornou o partido alvo de chacota e troça na vila limiana: “falam de nós em termos de anedota política”, afirma.

Lista à Assembleia Municipal nas eleições de 2017. Foto: Divulgação

Salvador, que liderou a bancada do PSD na Assembleia, cargo de que se demitiu, pediu à Comissão de Jurisdicação Nacional dos social-democratas o afastamento ou mesmo a expulsão dos três dirigentes.

Diz que os militantes estão “incomodados” com esta atitude e perguntam se vai ou não passar impune: “houve um claro incumprimento das decisões da Comissão Política, o que deixou os membros da Assembleia confusos e mesmo estupefactos”, disse.

Filipe Lima é presidente da Junta da Seara, desde 2013, e presidente do PSD/Ponte de Lima, desde 2018. Foto: Divulgação

Contactado por O MINHO, o presidente da concelhia Filipe Lima disse que “teria muito a dizer sobre o assunto, mas não o faz porque as questões internas não devem ser debatidas na praça pública”.

O dirigente partidário lembra que “há plenários concelhios de três em três meses, onde todas as questões são debatidas e o mesmo pode suceder sobre este tema, no próximo plenário”.

“Fomos eleitos em março último e temos trabalhado com todos os militantes e autarcas em prol do concelho e do partido”, disse, nada mais dizendo para “não dividir”.

Anúncio

Alto Minho

“Há dez anos que venho de férias para Ponte de Lima”

Leonor Poeiras

em

Foto: Facebook

Leonor Poeiras é mais uma figura mediática que escolheu o Minho para passar férias. Mas no caso da apresentadora, de 40 anos, recentemente dispensada pela TVI, não é uma questão de moda e a sua paixão pela vila limiana já terá uma década.

“Há dez anos que venho de férias para Ponte de Lima. Este braço do rio Lima, que passa frente às janelas da sala, é um sonho”, escreveu Leonor Poeiras na sua página de Facebook.

Este verão têm sido muitos os famosos que escolheram o Minho como destino de férias, entre os quais Cristina Ferreira, Rita Pereira, Sara Sampaio ou Nilton.

Continuar a ler

Alto Minho

Bebé cai de varanda em Ponte de Lima

Acidente

em

Foto: O MINHO / Arquivo

Um menino com cerca de um ano sofreu ferimentos na sequência de uma queda de uma varanda de uma habitação, ao início da noite deste domingo, em Ponte de Lima.

Ao que apurou O MINHO, o acidente ocorreu na Rua da Tanquinha, na freguesia de Gandra.

Fonte dos bombeiros indicou que à chegada, a criança encontrava-se reativa e cooperante.

No local estiveram os Bombeiros de Ponte de Lima e a ambulância de Suporte Imediato de Vida de Ponte de Lima, pertencente ao INEM.

A criança, considerada “ferido leve”, foi transportada para o Hospital de Braga

Continuar a ler

Alto Minho

Aveleda responsável pela redução de caudal de rio em Ponte de Lima, conclui APA

Estorãos

em

Foto: DR

A Agência Portuguesa do Ambiente (APA) concluiu que a redução do rio Estorãos, em Ponte de Lima, está relacionada com a captação para a exploração vinícola da Aveleda.

Apesar de estar a cumprir as condições da licença de captação, a empresa já foi notificada da “necessidade de adequar o regime de exploração constante da mesma” e garantiu que irá acatar as recomendações.

Questionada por O MINHO, a APA começa por referir que “todos os anos o rio Estorãos sofre uma redução de caudal nos meses de agosto e setembro em consequência da época de estiagem. No entanto, este ano essa redução foi mais acentuada”.

Após denúncias, a APA contactou a equipa do SEPNA, da GNR de Arcos de Valdevez, para averiguação no terreno das situações relatadas.

“Esta equipa fez diligências no local, tendo percorrido as secções do rio Estorãos a montante e a jusante da captação superficial licenciada, cujo titular é a empresa Aveleda S.A., tendo verificado que há uma redução do caudal do rio após a captação”, refere a resposta enviada a O MINHO.

Rio em Ponte de Lima está quase seco. Aveleda garante não ser a causa do problema

“Assim, na sequência das condições verificadas no local, e embora estejam a ser cumpridas as condições impostas na licença de captação, a APA comunicou ao titular da licença a necessidade de adequar o regime de exploração constante na mesma, em resultado da alteração das circunstâncias de facto existentes à data da emissão do título, nomeadamente a degradação das condições do meio hídrico”, acrescenta aquela entidade, concluindo que, após a comunicação, “a empresa informou que irá dar seguimento ao solicitado”.

Como O MINHO noticiou, o rio Estorãos em Ponte de Lima está com um caudal de água muito reduzido.

A exploração vinícola de 100 hectares na freguesia de Cabração, propriedade da Aveleda, vinha sendo apontada como a responsável.

Em declarações a O MINHO, António Guedes, administrador da Aveleda, garantiu que a empresa cumpre os requisitos da licença de captação, mas que se a APA concluísse que a empresa era a responsável pela secura do rio, encontraria uma solução para resolver o problema.

“Estamos aqui para construir, não para destruir. Qualquer problema que haja, estamos dispostos a construir uma solução”, reforçou o administrador.

O tema chegou à Assembleia da República pelo Bloco de Esquerda, que questionou o governo sobre as razões da “redução drástica” do caudal do rio Estorãos e que medidas o Governo iria tomar para garantir “uma condição essencial para a preservação daquele ecossistema fluvial”.

Continuar a ler

Populares