Seguir o O MINHO

Desporto

Volta a Portugal já passou no Minho

Luís Gomes vence primeira etapa

em

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Depois de ter arrancado no domingo, com prólogo em Fafe, a primeira etapa da Volta a Portugal cumpriu-se esta segunda-feira com início em Montalegre e final em Santa Luzia, Viana do Castelo.


Luís Gomes (Kelly-Simoldes-UDO) venceu a primeira etapa da edição especial da Volta a Portugal em bicicleta, no alto de Santa Luzia, em Viana do Castelo, com Gustavo Veloso (W52-FC Porto) a conservar a camisola amarela.

Gomes, de 26 anos, cumpriu os 180 quilómetros, a mais longa tirada cronometrada, entre Montalegre e Viana do Castelo, em 4:25.41 horas, batendo ao ‘sprint’ dois ‘dragões’: Daniel Mestre, segundo, e o camisola amarela, terceiro.

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Na geral, Veloso tem agora Mestre como mais próximo perseguidor, a um segundo, enquanto Daniel Freitas (Miranda-Mortágua) subiu ao terceiro posto, a quatro segundos, seguido de uma dupla da Efapel: António Carvalho é quarto, a seis, e Jóni Brandão quinto, a sete.

Na terça-feira, o pelotão enfrenta a segunda de oito etapas, além do prólogo do último domingo, uma ligação entre Paredes e o ‘mítico’ alto da Senhora da Graça, no Monte Farinha, com 167 quilómetros e quatro contagens de montanha, três delas de primeira categoria.

Os 98 ciclistas que compõem o mais pequeno pelotão dos últimos 36 anos tiveram pela frente 180 quilómetros entre Montalegre e o alto de Santa Luzia, em Viana do Castelo, naquela que é a tirada mais longa desta edição.

Antes da chegada, coincidente com uma contagem de terceira categoria, os corredores encontraram uma meta volante em Salamonde (Vieira do Minho), aos 60,3 quilómetros, antes de rumarem à primeira contagem de montanha deste ano, uma terceira categoria instalada no alto de Covide (88,1).

Depois de passar duas metas volantes, a primeira em Vila Verde (115,9) e a segunda em Barroselas (146,5), o pelotão evitou o centro de Viana do Castelo, na aproximação aos quatro quilómetros da subida a Santa Luzia.

A segunda etapa começa em Paredes e termina, depois de ultrapassados 167 quilómetros, no alto da Senhora da Graça, em Mondim de Basto.

Nesse dia 29 de setembro, o pelotão irá ainda enfrentar, antes da subida ao ponto mais alto do monte Farinha, outras duas outras contagens de primeira categoria, na serra do Marão (aos 96 quilómetros) e no Barreiro (131,7).

Os ‘sprinters’ deverão ter uma oportunidade no final dos 171,9 quilómetros da terceira tirada, entre Felgueiras e Viseu, um dia teoricamente ‘tranquilo’ para os homens da geral, antes da jornada que poderá ser a mais decisiva na luta pela amarela: na quarta etapa, há 148 quilómetros para percorrer entre a Guarda e o ponto mais alto de Portugal Continental, a Torre.

A meta, coincidente com um prémio de montanha de categoria especial, será alcançada pela vertente que muitos consideram a mais exigente da serra da Estrela, a subida de 20,2 quilómetros desde a Covilhã, com passagem pelas Penhas da Saúde. A escalada de segunda categoria nas Penhas Douradas (ao quilómetro 72,5) e a subida de terceira categoria em Sarzedo (111) completam a ‘ementa’ montanhosa do dia.

A quinta etapa, que vai ligar Oliveira do Hospital a Águeda, ao longo de 176,3 quilómetros, dará nova hipótese de vitória aos mais velozes, na véspera de a Volta a Portugal assinalar o cinquentenário da primeira vitória de Joaquim Agostinho, num périplo de 155 quilómetros na região Oeste, entre as Caldas da Rainha e Torres Vedras.

Loures, onde a República foi declarada um dia antes do resto do país, a 04 de outubro de 1910, assinala a efeméride com o arranque da sétima etapa, que terminará em Setúbal, já depois de uma subida de segunda categoria na Arrábida, a 13,4 quilómetros da chegada, e de percorridos 161 quilómetros.

No dia em que se celebram oficialmente 110 anos da Implantação da República Portuguesa, Lisboa vai coroar o vencedor da Volta a Portugal de 2020. O dono da camisola amarela será encontrado no final do contrarrelógio de 17,7 quilómetros, que parte da Avenida Ribeira das Naus para chegar na Praça do Comércio, depois de percorridas algumas das artérias mais simbólicas da zona ribeirinha e da baixa da cidade.

Em tempos de pandemia de covid-19, a Federação Portuguesa de Ciclismo preferiu detalhar o percurso da prova rainha do calendário nacional em comunicado, abdicando de uma apresentação física da edição que terá o seu cunho.

A Volta a Portugal de 2020 estava originalmente agendada para o período entre 29 de julho e 09 de agosto, mas foi adiada devido à pandemia do novo coronavírus, assumindo a federação a realização desta edição especial.

Anúncio

Futebol

Ministro italiano classifica atitude de Ronaldo de “arrogante e desrespeitosa”

Covid-19

em

Foto: FPF

Vincenzo Spadafora, ministro italiano do desporto, classificou hoje a atitude do futebolista português Cristiano Ronaldo de “arrogante e desrespeitosa”, depois de o avançado da Juventus assegurar que não infringiu nenhum protocolo respeitante à covid-19 e que é “tudo mentira”.

No dia de hoje, o capitão da seleção portuguesa de futebol, deixou claro, num direto nas sua redes sociais, que teve o cuidado de fazer “as coisas bem, com autorizações”, salientando que se sente bem e assintomático, apesar do teste positivo ao novo coronavírus.

“O fato de alguns jogadores serem conhecidos não os autoriza a serem arrogantes, desrespeitosos com as instituições e a mentir. Além disso, quando uma pessoa é conhecida, deve ter a responsabilidade de pensar e de ser um exemplo”, disse Spadafora, em declarações à imprensa transalpina.

O ministro do desporto preferiu “não continuar a falar sobre este assunto”, desejando apenas que todos os jogadores da Juventus infetados “recuperem o quanto antes”.

Na quinta-feira, Spadafora referiu que o jogador português pode ter violado o protocolo de covid-19, ao vir para Portugal e ao regressar a Itália infetado pelo novo coronavírus.

Também na quinta-feira, o presidente da ‘Juve’, Andrea Agnelli, remeteu esclarecimentos para as entidades competentes.

“Não tenho o protocolo do governo, têm de ligar para o Ministério da Saúde e do Interior, que aplica as leis do Estado, e eles explicam o que foi violado, porque sinceramente não sei”, respondeu, então, Agnelli, à comunicação social.

Já na quarta-feira, a campeã italiana deu conta que Cristiano Ronaldo “regressou a Itália num voo médico autorizado pelas autoridades sanitárias competentes, a pedido do jogador, e continuará o seu isolamento em casa”.

O capitão da seleção portuguesa estava desde terça-feira em isolamento na Cidade do Futebol, em Oeiras, depois de ter testado positivo ao novo coronavírus.

Ronaldo estava no estágio da seleção portuguesa, depois de ter defrontado a Espanha (0-0), em jogo particular, em 07 de outubro, em Lisboa, e a França (0-0), no domingo, em Saint-Denis, para a Liga das Nações, tendo sido dispensado do encontro diante da Suécia.

Continuar a ler

Futebol

FC Porto e Benfica disputam Supertaça no Estádio Municipal de Aveiro

Supertaça Cândido de Oliveira

em

Foto: DR

O FC Porto e o Benfica vão disputar a Supertaça no Estádio Municipal de Aveiro em 23 de dezembro, anunciou hoje a Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Os ‘dragões, vencedores da I Liga e da Taça de Portugal, defrontam os finalistas vencidos da Taça pelo direito de erguer a Supertaça, que habitualmente abre a temporada futebolística em Portugal, mas foi este ano adiada devido à pandemia de covid-19.

Nesse mesmo estádio vão decorrer outros dois jogos relativos a provas da FPF, com o dia 13 de dezembro a albergar a final da Taça feminina de 2019/20, entre Benfica e Estoril Praia ou Sporting de Braga, seguido da final da Taça da Liga feminina, de novo entre as ‘águias’ e o Sporting de Braga, no dia 16.

Segundo a FPF, esta última data pode ainda ser alterada “dependendo do desempenho da equipa do Benfica na Liga dos Campeões feminina”, passando o jogo para o dia 06 de janeiro de 2021.

Continuar a ler

Futebol

Equipa do Famalicão “está pronta para ser muito forte”

João Pedro Sousa

em

Foto: DR

O treinador do Famalicão salientou hoje a importância da paragem da I Liga portuguesa de futebol para preparar a equipa e garantiu que o grupo “está pronto para ser muito forte”.

João Pedro Sousa disse estar à espera de dificuldades na partida com o Farense, último classificado, ainda sem pontos, mas garantiu que a equipa parte para o jogo “com uma grande ambição”.

“As últimas semanas foram muito importantes para nós, não só por ter fechado a janela de transferências, mas foram duas semanas importantes para recuperarmos jogadores que vinham de lesão, outros que necessitam de melhorar os índices físicos e, portanto, estamos muito fortes e precisamos de competir. Sabemos que é um adversário forte, independentemente de sabermos que precisa de ganhar, a nossa ambição é muito grande. Estamos prontos para sermos uma equipa muito forte, independentemente do adversário”, frisou o técnico.

O técnico famalicense revelou-se ainda muito satisfeito com as contratações e afirmou que agora conta com “um plantel forte e com várias soluções”.

“Com a exceção do Anderson, que recupera da intervenção cirúrgica, todos estão disponíveis. Estou muito contente com a forma como o mercado fechou para nós. Não escondemos que nos atrasámos um pouco, negócios que se atrasaram um pouco no tempo, mas nós, Famalicão, temos esta regra, se não era isso que queríamos, não podíamos avançar para os negócios. Temos um plantel forte, eu tenho várias soluções para as diversas posições, com jogadores com grande polivalência e que nos dão garantias”, vincou.

João Pedro Sousa disse ainda estar muito satisfeito com a renovação de Gustavo Assunção, um jogador que defende “ser à imagem do clube”.

“O Gustavo é um jogador à imagem deste clube, um profissional 24 horas por dia, com enorme ambição e fiquei muito contente por ele e pelo clube. É a referência do nosso clube. A renovação está feita, mas foi o que eu disse ao Gustavo, o próximo passo é jogar num clube maior, porque ele tem muita qualidade para isso. Porém, sublinho, não é só o Gustavo, há muitos que podem chegar a esse patamar”, salientou.

O Famalicão, sétimo classificado, com quatro pontos, desloca-se este domingo ao Algarve para defrontar o Farense, último classificado, sem pontos, numa partida da 4.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Continuar a ler

Populares