Seguir o O MINHO

Desporto

Volta a Portugal chega esta semana ao Minho

em

A Volta a Portugal, que começou na última quarta-feira, chega esta semana ao Minho. A prova, que terá um percurso total de 1578,9 quilómetros, termina com um contrarrelógio em Fafe.

A prova chega ao Minho em Salamonde, Vieira do Minho, e passa por Terras de Bouro, Vila Verde, Barroselas e Vila Franca até chegar em Viana do Castelo.

No dia seguinte, 10 de agosto, a prova começa em Barcelos, vai até Ponte de Lima, Arcos de Valdevez e Ponte da Barca, e regressa ao distrito de Braga por Vila Verde, e passa por Amares, Póvoa de Lanhoso, e enfim chega ao concelho de Braga.

No penúltimo dia da Volta a Portugal, a prova começa em Felgueiras, no distrito do Porto, passa pelo Minho novamente por Celorico de Basto, e termina em Mondim de Bato, no distrito de Vila Real.

A Volta a Portugal termina em Fafe, único concelho do último dia. A prova passa Cepães, Fareja, Arões (Santa Cristina), Arões (São Romão), Golães e Santa Comba de Fornelos antes de encerrar o percurso de 17,3 quilómetros no dia 12 de agosto.

Alarcón defende liderança em etapa ‘rainha’ sem Torre

O espanhol Raúl Alarcón (W52-FC Porto) defende este domingo a liderança da Volta a Portugal em bicicleta, numa quarta etapa com chegada às Penhas da Saúde, mas sem passagem pela Torre.

No sábado, o vencedor de 2017 conquistou a terceira etapa e subiu à liderança, com 28 segundos de avanço sobre o espanhol Vicente García de Mateos (Aviludo-Louletano) e 40 sobre o português Jóni Brandão (Sporting-Tavira).

A organização da prova decidiu no sábado, “atendendo às altas temperaturas que continuam a registar-se e aos elevados níveis de cansaço do pelotão provocados pelo calor”, reduzir “o índice de dificuldade da etapa ‘rainha’, eliminando 27 quilómetros”.

A etapa, que liga a Guarda às Penhas da Saúde, tinha inicialmente 171,4 quilómetros e conta agora 144,3, deixando de ter a passagem da Torre, que será substituída pela subida às Penhas Douradas.

A partida será dada 35 minutos mais tarde, com o início a passar as 13:00, estando a primeira meta de volante agora colocada em Celorico da Beira, logo aos 28,4 quilómetros, mantendo-se a segunda em Gouveia, aos 55,8.

A meta volante de Seia foi eliminada e a primeira subida do dia começa aos 58,7 quilómetros, para as Penhas Douradas, uma contagem de primeira categoria, colocada aos 75,9.

O pelotão desce depois logo para a Manteigas, antes de ter nova contagem de terceira categoria, em Sarzedo, aos 115,3 quilómetros – estava inicialmente prevista para os 142,4.

A meta volante na Covilhã está aos 132 quilómetros, quase em simultâneo com o início para as Penhas da Saúde, uma contagem de categoria especial, coincidente com a meta.

Futebol

Carlos Carvalhal recusou medalha da Taça da Liga por ter sido mal expulso

SC Braga joga amanhã com o Gil Vicente

Foto: DR / Arquivo

O treinador do SC Braga, Carlos Carvalhal, disse hoje que não recebeu a medalha de finalista da Taça da Liga de futebol por não ser “hipócrita” e entender que não houve razão para ter sido expulso.

“Quando se é convidado para uma festa de aniversário e se, sem razão aparente, se é expulso dessa festa por nenhum motivo, colocado ao frio e à chuva, pergunto se se for chamado para soprar as velas, se volta à festa outra vez. Não sou hipócrita, não voltei porque me puseram fora da sala sem qualquer motivo”, explicou.

Carlos Carvalhal disse ainda não estar à espera de ser castigado: “se for… não quero adjetivar”.

O treinador fez um balanço positivo da participação na Taça da Liga, que perdeu na final com o Sporting (1-0), no sábado.

“Há quatro competições no nosso calendário, estamos em todas as frentes, e numa delas fomos até à final com um comportamento muito bom, saímos valorizados. Vencemos o Benfica [na meia-final] e, com menos um dia de recuperação em relação ao nosso adversário [Sporting], estivemos bem, sobretudo na segunda parte, quando foi possível jogar, por causa das condições climatéricas”, considerou.

Carlos Carvalhal elogiou “fortemente” os seus jogadores “pela atitude, comportamento e qualidade”, considerando que eles foram “estoicos”.

“Conheço bem a cidade e o clube e sei que há um sentimento de orgulho muito grande pelo comportamento da equipa”, frisou.

Diante do Gil Vicente, o SC Braga “vai reagir”, assegurou o técnico, alertando, contudo, para o pouco tempo de recuperação entre os jogos e para a necessidade de “mudar de ‘chip’ constantemente”.

“Vamos reagir bem e vamos a jogo diante de um adversário difícil, com um treinador que foi meu jogador e que organiza muito bem as equipas. Vamos ter que ter alguma paciência, mas vamos estar ao nosso melhor nível para ganhar. É uma empreitada muito difícil, muito complicada, mas isso advém de estarmos em todas as competições e não querermos abdicar de nenhuma”, disse.

Jogar apenas três dias depois do jogo com os ‘leões’ na Taça da Liga é, para o técnico, uma vantagem para os vizinhos de Barcelos.

“Parece-me óbvio: uma coisa é ter jogado há nove dias, como o Gil Vicente, outra ter 48 horas para preparar o jogo. São fatores de desigualdade. É normal se todas as equipas estiverem em pé de igualdade, mas estamos a jogar em pé de desigualdade sempre, foi com o Benfica, com o Sporting, vai ser amanhã [terça-feira] e com o Santa Clara [sexta-feira], mas depois do árbitro apitar vamos à luta e com tudo para ganhar”, disse.

Ainda que provisoriamente, os bracarenses foram ultrapassados pelo Paços de Ferreira e têm o Vitória de Guimarães a apenas um ponto.

“Sinceramente não me preocupo com isso, jogámos a final no sábado, chegámos à 01:30, treinámos ontem [domingo] a pensar no jogo de amanhã [terça-feira], só tenho tempo para aferir das condições da minha equipa, não tenho tempo para mais nada, nem para lutos, nem para festas. Vamos de jogar de 72 horas em 72 horas até março se passarmos às meias-finais da Taça de Portugal”, reforçou.

Moura, Rui Fonte e Gaitán são os lesionados do plantel.

SC Braga, quinto classificado, com 27 pontos, e Gil Vicente, 15.º, com 13, defrontam-se a partir das 19:45 de terça-feira, no Estádio Municipal de Braga, jogo que será arbitrado por Manuel Oliveira, da associação do Porto.

Continuar a ler

Futebol

Gil Vicente tem que estar na “plenitude das capacidades” para pontuar em Braga

I Liga

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

O treinador Ricardo Soares afirmou hoje que o Gil Vicente tem de estar na “plenitude das capacidades” para pontuar no reduto do SC Braga, na terça-feira, em jogo da 15.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Desagradado com os últimos três resultados no campeonato – empate com Belenenses SAD (0-0) e derrotas com Farense (3-1) e Marítimo (1-0) -, mas não com a produção da equipa nesses jogos, o técnico realçou que os barcelenses querem ser “iguais a si próprios” frente a um adversário de “muita qualidade”.

“O [Sporting de] Braga é uma das grandes equipas do nosso campeonato. É das equipas mais organizadas e com um modelo de jogo mais vincado no futebol português. Tem jogadores com muita qualidade. Vamos [a Braga]com o objetivo claro de vencer. Temos de estar na plenitude das capacidades para trazer pontos de Braga, que é o nosso objetivo”, disse, na antevisão ao desafio agendado para as 19:45.

O timoneiro ‘gilista’ reconheceu que os seus pupilos podem “tirar algum dividendo” da “densidade de jogos” que os bracarenses têm enfrentado, ao jogarem a final da Taça da Liga no sábado, frente ao Sporting (derrota por 1-0), mas lembrou que o conjunto ‘arsenalista’ tem um “plantel extenso e de qualidade”, estando “habituado” a jogar de três em três dias, fruto da presença na Liga Europa.

“Uma coisa é o Gil Vicente ter um jogo de intensidade alta, com 120 minutos [frente ao Académico de Viseu, para a Taça de Portugal] e, nem 72 horas depois, jogar com o Marítimo [para a 14.ª jornada], que teve um descanso absoluto para preparar o jogo. Outra coisa é o Braga jogar de três em três dias (…). Mas pode existir aquele cansaço habitual”, disse.

Convicto de que os ‘galos’ têm estado a “bom nível” no aspeto defensivo, Ricardo Soares admitiu que a eficácia ofensiva está longe da desejada – segundo pior ataque da I Liga, com 10 golos marcados -, tendo reconhecido que está aberto a mais reforços no mercado de inverno, após as entradas do guarda-redes Beunardeau e do médio Pedrinho.

“A direção sabe o que é preciso para a ideia do treinador e tem feito um esforço. Ficarei feliz se vierem jogadores de acordo com o meu pensamento. Se não vierem, cá estamos para trabalhar os jogadores e fazê-los transcenderem-se. A equipa do Gil já é boa e dá garantias para lutar pelo objetivo definido, a manutenção”, referiu.

Com Pedrinho ainda indisponível para Braga, Ricardo Soares salientou que o reforço contratado ao Riga FC, da Letónia, e oficializado no sábado vai “acrescentar competitividade à equipa”, por reforçar uma posição necessária, a de médio ofensivo, para um campeonato que, doravante, vai ter “muitos jogos de quatro em quatro dias”.

Apesar de focado no duelo minhoto de terça-feira, o técnico reconheceu já ter pensado no ciclo de jogos que se segue, que inclui as receções ao FC Porto, para os quartos de final da Taça de Portugal, na sexta-feira, e ao Paços de Ferreira, na terça-feira, que torna ainda mais necessário o equilíbrio do plantel.

“É importante que todos os jogadores estejam preparados para jogarem, e não só 11, 12 ou 13. É humanamente possível fazermos tantos jogos em tão pouco tempo na situação anormal que vivemos. Uns jogadores já tiveram [a infeção responsável] pela covid-19 e outros podem ter”, avisou.

O Gil Vicente, 15.º classificado da I Liga portuguesa, com 13 pontos, defronta o Sporting de Braga, quinto, com 27, em partida da 15.ª jornada, agendada para as 19:45 de terça-feira, no Estádio Municipal de Braga, com arbitragem de Manuel Oliveira, da Associação de Futebol do Porto.

Continuar a ler

I Liga

FC Porto e Benfica procuram vitórias e aproximação provisória ao líder Sporting

I Liga

Foto: DR / Arquivo

O FC Porto e o Benfica vão procurar vencer hoje o Farense e Nacional, respetivamente, em jogos da 15.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, de modo a aproximarem-se, provisoriamente, do líder Sporting.

Os ‘dragões’, que não perdem há oito rondas – sete vitórias e um empate -, mas não ganharam os últimos dois jogos (1-1 com o Benfica para o campeonato e 1-2 com Sporting nas meias-finais da Taça da Liga), tentam colocar-se a um ponto da frente.

Pela frente, vão ter o Farense, que viu o seu jogo da jornada passada com o Vitória SC ser adiado, e está no 16.ª lugar do campeonato, com 12 pontos. O jogo está agendado para as 20:15 no estádio S. Luís, com arbitragem de Manuel Mota, de Braga.

Os ‘dragões’ contam com o regresso de Otávio, mas não poderão contar com Sérgio Oliveira, Luís Díaz, Evanilson, Nanu e Romário Baró, todos ausentes da lista dos 22 que rumaram a Faro, alegadamente por testes positivos ao novo coronavírus.

Antes, pelas 17:00, o Benfica, que está em igualdade pontual com o FC Porto, recebe na Luz o Nacional, numa partida que tentou adiar, por ter muitos casos positivos, mas não conseguiu, porque os insulares não permitiram. O árbitro será Rui Costa, do Porto.

Os ‘encarnados’, que nos últimos sete jogos na prova somaram cinco vitórias e dois empates, o último no Dragão (1-1), também querem encurtar distâncias para o líder, frente a um Nacional que vem de três derrotas seguidas na prova e está 14.º, com 13 pontos.

O Benfica, que a meio da semana perdeu a meia-final da Taça da Liga frente ao Sporting de Braga, tem sido afetado por um surto do novo coronavírus, com Vlachodimos e Everton, juntando-se a Otamendi, Nuno Tavares, Vertonghen, Diogo Gonçalves, Grimaldo, Gilberto, Waldschmidt e Helton Leite.

Nesta altura, Mile Svilar é o único guarda-redes do plantel principal que o técnico tem disponível. O belga ainda não tem qualquer minuto somado esta época na equipa de Jorge Jesus, mas já jogou ao serviço da equipa B.

Nos outros encontros do dia, o Belenenses SAD (17.º, com 12 pontos) vai receber o Tondela (12.º, com 15), enquanto o Rio Ave (10.º, com 15) enfrenta o Santa Clara, que está um lugar acima na tabela, mas com os mesmos pontos.

O Sporting, que lidera o campeonato, com 36 pontos, apenas entra em campo na terça-feira, deslocando-se ao estádio do Bessa para defrontar o Boavista, que está no último lugar, com 11. No mesmo dia, o SC Braga recebe o Gil Vicente.

Continuar a ler

Populares