Seguir o O MINHO

Guimarães

“Você já fala português?”. Associação denuncia xenofobia em restaurante de Guimarães

Duas clientes gozaram com sotaque brasileiro da proprietária e pediram-lhe para falar inglês

em

Foto: Google Maps

A Associação Vimaranense de Hotelaria (AVH) denunciou, esta quinta-feira, um ato de “xenofobia e racismo” de que foi vítima a proprietária de um restaurante no centro histórico de Guimarães por parte de duas clientes.

Tudo terá acontecido no passado dia 09 de agosto, pelas 21:00, no restaurante Garfo X Faca. Uma das clientes, apresentando-se como professora de inglês, terá gozado com o português da proprietária e chefe de sala, que a servia, e exigido que esta falasse inglês consigo.

Segundo a queixa de Elisa Ribeiro, também mulher do proprietário do restaurante e tapearia Garfo & Faca, nessa noite, duas mulheres entraram no restaurante e logo se sentaram a uma mesa. Quando lhes foi perguntado se tinham reserva, “expressaram indignação e ultraje”.

Elisa Ribeiro explicou que era altura de verão, época alta, e que, por isso, o restaurante funcionava sobretudo por reserva. “Após a explicação questionaram o porquê de eu ser brasileira, sendo que se encontravam num restaurante espanhol”, conta a proprietária, que, de seguida, explicou que “o cozinheiro/chefe era espanhol e por isso a ementa apresentava pratos típicos de Espanha”.

“Esta explicação racional foi motivo de gargalhadas e troça e foi então que uma das senhoras pediu-me para falar em inglês, uma vez que a mesma era professora de inglês”, recorda, acrescentando: “Tentei chamar a senhora à razão, que estávamos em Portugal, ela era portuguesa e eu brasileira, logo a comunicação era simples e facilitada e não havia necessidade de falar em inglês”.

No entanto, pode ler-se na queixa a que O MINHO teve acesso, “a senhora troçou novamente”. E continua: “A senhora professora chama a minha atenção de uma forma odiosa pois pretendia que lhe explicasse o confecionamento não de um prato outro e sim de toda a ementa”. Elisa Ribeiro estranhou mas continou a explicação. Escolheram amêijoas à bulhão pato e dois panachés. “Perguntei se estavam do agrado das mesmas, repetiram a minha deixa de uma forma ironizada e satírica”, relata.

De seguida, a tal professora chamou a atenção da outra funcionária e perguntou-lhe: “Você já fala português?”. Ao que aquela respondeu que era portuguesa e que a chefe era brasileira, mas a língua era a mesma.

Ato contínuo, “a senhora em voz alta e alcoolizada, chamou de forma a toda a sala conseguir ouvir e pediu uma choriça”. “E logo em seguida ironizou aos risos e perguntou se era assim que nós os brasileiros falávamos, ‘chourixa’, e disse que era porque nós falávamos tudo errado”, acrescenta.

Foi então que Elisa Ribeiro pediu “educadamente e com a voz baixa para pagarem a conta e retirarem-se do restaurante”, no que foi secundada pelo marido. As clientes acabaram por ir embora “com a atitude que tinham razão” e com “toda a sala a olhar”.

“Intolerável no século XXI”

A AVU salienta que “há testemunhas que corroboram a versão dos lesados, neste caso os proprietários” e condena a situação.

“É intolerável, na sociedade do século XXI, passar por situações como esta. Guimarães é uma cidade acolhedora e pacata, não pode haver lugar para xenofobia, racismo ou outras formas de agressão/abuso”, salienta a Associação.

E acrescenta: “É fulcral actuar, e fazer algo para a erradicação destes problemas. Estamos absolutamente solidários com os proprietários do estabelecimento e queremos condenar, publicamente, o que se passou. Estamos, de igual modo, a ponderar processar as pessoas que protagonizaram o incidente”.

A AVH completa que as duas clientes, “não contentes, procuraram difamar os proprietários no Tripadvisor (tendo sido, de pronto, censuradas por quem assistiu a tudo, nomeadamente outros clientes que se encontravam no local)”.

Nessa crítica no Tripadvisor, as clientes dizem que sua “boa disposição” deixou a proprietária “incomodada”. “Na opinião dela, fomos racistas e tinhamo-la discriminado desde que entrámos no seu espaço. Ficámos atónitas. Tentamos explicar-lhe que havia algum mal entendido, mas chamou o marido que, tal como ela, nos forçou a sair. Ameaçaram com a polícia, sem qualquer razão”, pode ler-se.

Crítica das clientes no Tripadvisor

Resposta do proprietário

Comentário de outro cliente no Tripadvisor

Mas, de seguida, um outro utilizador afirma que estava ao lado dessas clientes e que “gozaram a funcionária ao ponte de a fazer chorar com comentários racistas e a gozar com a maneira de falar da funcionária dizendo que tinha de aprender a falar português”.

EM FOCO

Populares