Seguir o O MINHO

Ave

Vizela vai atribuir prémios em dinheiro às melhores recuperações de edifícios

Três melhores projetos

em

Foto: Divulgação / CM Vizela

A Câmara de Vizela vai distinguir com prémios pecuniários os três melhores projetos de recuperação das fachadas de edifícios realizadas por particulares, disse hoje à Lusa o presidente da autarquia.

Segundo Vitor Hugo Salgado, o melhor projeto receberá 4.000 euros, o segundo classificado terá direito a 2.000 euros e ao terceiro será atribuído o valor de 1.000 euros.

O autarca referiu que o prémio será realizado anualmente e visa estimular nos privados a renovação das fachadas dos imóveis, bem como qualidade dos projetos, complementando o Programa e Regeneração Urbana Sustentável que a câmara tem em curso.

Para o presidente, é importante que os privados também participem no esforço da câmara no sentido de modernizar a cidade, tornando-a mais atrativa para quem a visita.

Além deste prémio, o município introduziu alterações em sede fiscal e de Plano Diretor Municioal, mais vantajosas, para incentivar os particulares na recuperação dos edifícios.

Nesta fase, paralelamente, prosseguem os vários investimentos na modernização de diferentes arruamentos da cidade, compreendendo 14 obras, no âmbito de um programa que representa cerca de 3,5 milhões de investimento público.

Algumas das empreitadas, anotou o autarca, já foram concluídas, como a Rua das Termas, a Rua da Rainha e o Parque das Termas.

A mais emblemática das intervenções, anunciada para Praça da República e Jardim Manuel Faria, no centro da cidade, vai avançar formalmente em janeiro, encontrando-se o processo atualmente em apreciação pelo Tribunal de Contas. A componente das infraestruturas já foi, entretanto, iniciada, concluiu.

Anúncio

Ave

Covid, o cachorro que afinal é uma raposa resgatado em Famalicão

Resgate animal

em

Foto: CM Famalicão / Facebook

O Centro de Recolha Animal de Famalicão foi contactado, no dia 1 de abril, para a captura de um cachorro sinalizado como um cão de grande porte, mas tratava-se, afinal, de uma raposa. O animal, entretanto batizado de Covid, esteve sob os cuidados médico-veterinários do Centro de Recolha Animal mais de um mês. Foi no dia 8 de maio entregue ao Centro de Recuperação de Fauna Selvagem do Parque Nacional da Peneda Gerês, que o vai preparar para ser devolvido ao seu habitat natural.

Foto: CM Famalicão / Facebook

A história com final feliz é contada na página de Facebook do Município de Famalicão. Após ter procedido à recolha do animal, “uma raposinha do sexo masculino com cerca de um mês e uma semana, um pouco desnutrida, mas sem quaisquer ferimentos visíveis”, foi tentado devolvê-la à progenitora.

“De acordo com o procedimento aquando da captura destes animais selvagens, procedeu-se de imediato à procura de tocas ou leiras de raposas nas imediações de forma a devolver de imediato a cria à progenitora. Porém, como as buscas se demonstraram infrutíferas, o animal foi levado para o Centro de Recolha Animal de Famalicão para aí ter todos os cuidados médico-veterinários que necessitava dada a sua idade e condição frágil”, refere a nota.

“Aí permaneceu durante um mês e oito dias num local específico onde só contactava com os tratadores e a médica veterinária. Foi alimentado e cuidado sempre atendendo à sua espécie com características diferentes de um animal de companhia. Tendo em conta, a situação de pandemia em que vivemos, o animal foi batizado de Covid”, explica o Município de Famalicão.

Prestados os cuidados iniciais, foi contactado o Centro de Recuperação de Fauna Selvagem do Parque Nacional da Peneda Gerês, “que é a entidade que trata destes assuntos no território onde se encontra Famalicão” e a quem foi entregue no dia 8.

Foto: CM Famalicão / Facebook

“Estará em cativeiro durante o tempo que os tratadores do centro assim o entenderem necessário. Neste Centro, o animal vai ser sujeito a vários testes, vai aprender a capturar presas para se alimentar e vai ser preparado para se defender de possíveis predadores”, esclarece a publicação.

Foto: CM Famalicão / Facebook

Quando o pequeno Covid estiver capacitado para ser libertado na natureza, os serviços de Defesa Animal do Município serão contactados para agendar a sua libertação no seu habitat natural de origem, ou seja, nas imediações de onde foi encontrado.

Continuar a ler

Ave

Bombeiro de Famalicão recupera e sai de coma após luta contra a covid

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

Um operacional dos Bombeiros Famalicenses saiu de estado de coma induzido e ventilação mecânica em que se encontrava no Hospital de Braga depois de ter sofrido complicações de saúde devido ao vírus da covid-19, disse a O MINHO fonte da corporação.

O bombeiro foi um dos oito elementos do quartel a contrair infeção do coronavírus no início de abril, encontrando-se já recuperado da doença após dois testes negativos. “Já fala, já conhece as pessoas e está estável”, disse a fonte.

Com 56 anos, o bombeiro estava a recuperar em casa quando, em meados de abril, viu o quadro clínico agravar-se com dificuldades respiratórias. Acabou por dar entrada na ‘ala covid’ da Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital de Braga, em meados de abril, onde ficou internado durante um mês.

Quanto aos restantes elementos, já todos testaram negativo à doença, depois de um mês conturbado no quartel, onde decorreram algumas homenagens de amigos e familiares de todo o corpo ativo, assim como de civis. Este bombeiro foi o único a necessitar de internamento hospitalar e padecia de comorbidade.

Continuar a ler

Ave

Bombeiros resgatam gatos bebé deixados para morrer num ecoponto em Famalicão

Resgate animal

em

Foto: Facebook de Bombeiros Famalicenses

Quatro gatos foram resgatados por bombeiros, na segunda-feira, de dentro de um ecoponto na cidade de Famalicão, após alerta popular que dava conta de miados vindos de um dos depósitos de armazenamento de resíduos.

Segundo contou fonte dos Bombeiros Famalicenses a O MINHO, os serviços municipais do centro de acolhimento de animais deslocaram-se ao quartel para dar o alerta da situação, que ocorria no parque de estacionamento de um hipermercado situado no centro da cidade, e que a corporação não quis identificar.

Foto: Facebook de Bombeiros Famalicenses

Foi necessário mobilizar um camião grua que fosse capaz de subir o ecoponto de forma a retirar de lá os animais, contou a fonte, dando conta ainda da deslocação de três operacionais que estiveram envolvidos no resgate em conjunto com os serviços camarários.

Uma vez removida a parte superior do ecoponto, os operacionais encontraram quatro gatos bebé dentro de uma caixa, “três com vida mas um já morto”, disse a fonte.

Foto: Facebook de Bombeiros Famalicenses

“Foram levados pelos serviços camarários para o centro de recolha animal da cidade e encontram-se bem”, acrescentou. Os animais vão, em breve, ficar disponíveis para adoção.

Foto: Facebook de Bombeiros Famalicenses

Através das redes sociais, a corporação famalicense deixa um apelo: “Se tiver algum problema com animais, procure ajuda, não os deite ao lixo”.

Continuar a ler

Populares