Seguir o O MINHO

Futebol

Vizela quer “superar” ano transato, mantendo permanência como objetivo principal

I Liga

em

Foto: DR / Arquivo

O Vizela quer “melhorar” o 14.º lugar alcançado na edição 2021/22 da I Liga portuguesa de futebol, embora fixando a “manutenção” como principal objetivo, afirmaram hoje o treinador e o presidente dos minhotos.

Após liderar o Vizela desde o Campeonato de Portugal até à elite do futebol nacional, nas épocas 2019/20 e 2020/21, o treinador Álvaro Pacheco estreou-se no principal campeonato luso na época transata, aquela em que “evoluiu mais” e em que teve de “arranjar soluções para as quais não estava preparado”, pelo que se sente “mais capaz” de levar o plantel rumo a um lugar melhor.

“Para esta época, queremos melhorar em todos os aspetos. Isso tem a ver com a filosofia deste clube, de ser melhor todos os dias. Queremos ser capazes de nos superar: não só sermos melhores na classificação, mas também como equipa, sendo capazes de, no ataque, fazer mais golos e de, na defesa, sermos mais equilibrados, compactos e irmos crescendo”, disse aos jornalistas, antes do primeiro treino de 2022/23, no Estádio do Futebol Clube de Vizela.

Convencido de que a temporada 2021/22 foi como um ‘primeiro ano da universidade’ para o Vizela, o ‘timoneiro’ realçou que o clube é “ambicioso”, mas o presidente da SAD, Diogo Godinho, lembrou que os minhotos voltaram a competir na I Liga após 37 anos sem competirem ao mais alto nível em Portugal, pelo que voltou a fixar a permanência como meta.

“Há uma meta clara, a manutenção. O Futebol Clube de Vizela é um clube historicamente do terceiro escalão. Temos de aproveitar tudo o que aprendemos no ano passado para fazer uma época mais tranquila”, vincou.

Sem revelar valores, o dirigente adiantou que o orçamento vizelense para 2022/23 é “idêntico” ao da época anterior e que é, pelo menos, necessário contratar um guarda-redes, um lateral-esquerdo, um médio e um avançado, para colmatar as saídas de Charles, Ofori, Marcos Paulo e Schettine.

Apesar de “tranquilo” quanto ao plantel, até pela “base de 20 jogadores” que transitou da época passada, Diogo Godinho reconheceu que haverá “eventualmente” mais saídas, tendo assumido o “interesse de vários clubes” no avançado Cassiano, autor de nove golos em 2021/22.

Apesar de ser um treinador que se “liga afetivamente” aos seus jogadores, Álvaro Pacheco realçou que o Vizela está a preparar a temporada com “calma e serenidade”, à procura de jogadores que possam ajudar o plantel “a crescer e a ser mais competitivo”.

“Temos um projeto e uma equipa em que transitam muitos jogadores do ano passado. Como treinador, isso dá-me muita segurança e estabilidade (…) Como há jogadores que saem, também haverá jogadores que entram. Como treinador, cabe-me arranjar soluções para sermos mais fortes”, especificou.

Convencido de que a próxima edição da I Liga vai ser “muito mais exigente”, até porque vê “projetos ambiciosos” nas formações que subiram, o técnico enalteceu ainda a realização da fase de grupos da Taça da Liga em novembro e em dezembro, aquando da realização do Mundial Qatar2022, para que as equipas continuem ativas e possam até “aprimorar algumas coisas”.

Autor de quatro golos e quatro assistências na época transata, o médio Samu também se mostrou convicto de que a equipa minhota pode “fazer melhor do que na época passada”, com o “máximo possível de pontos”, lutando pela vitória “em qualquer lado”.

EM FOCO

Populares