Seguir o O MINHO

Ave

Vizela implementa transporte escolar gratuito e 50% de desconto no passe sénior

Investimento municipal chega quase aos 51 mil euros

em

Foto: DR

680 alunos do concelho de Vizela vão ter transporte escolar gratuito e 190 idosos irão ver o valor dos seus passes reduzidos para metade.

A Câmara apresentou o Programa de Transportes do Concelho de Vizela “para aumentar a mobilidade no concelho” e que assenta essencialmente nestas duas medidas.

A primeira, o transporte escolar gratuito, abrangendo um total de 680 alunos, 5 freguesias, três ciclos de ensino, num investimento de 32 mil euros. A segunda, a atribuição de 50% de desconto no passe sénior, num total de 190 seniores abrangidos, com mais de 60 anos, em cinco freguesias, num investimento de 29 mil euros

Segundo comunicado municipal a implementação deste novo Programa de Transportes do Concelho de Vizela “vai traduzir-se em mais-valias municipais como a constituição da autoridade municipal, reorganização da rede de transportes, envolvendo cerca de 770 pessoas, num investimento global de 61 mil euros”.

A implementação deste programa vai permitir uma “reorganização da rede de transportes, criando condições para um aumento do número de autocarros a circular no Concelho, estando prevista a criação de dois novos circuitos”.

O Presidente da Câmara de Vizela, Victor Hugo Salgado, salientou que estas medidas “se traduzem em mais-valias claras, objetivas e numa realidade indubitável, com o objetivo de criar um Concelho mais inclusivo e cada vez com mais e melhores condições para viver”

O Programa de Transportes do Concelho de Vizela terá uma dotação de 50.908 mil euros e inicia já no próximo mês de maio.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Famalicão

Alunos de externato de Famalicão insolvente “espalhados” por vários concelhos

Cerca de 180 jovens

em

Foto: DR/Arquivo

Os cerca de 180 alunos do insolvente Externato Delfim Ferreira, em Famalicão, vão cumprir o terceiro período letivo “espalhados” por escolas de vários concelhos, depois de “completamente inviabilizada” a hipótese de conclusão do ano naquele estabelecimento.

Segundo Nelson Costa, encarregado de educação de um dos alunos, há estudantes que vão para outras escolas de Famalicão, mas há também quem tenha escolhido outros concelhos, como Guimarães, Santo Tirso e Vizela.

Uns vão continuar no ensino particular, outros optaram por escolas públicas.

“Alguns ainda estão à procura de escola, porque as entidades responsáveis andaram a enredar-nos durante duas semanas, deixando pairar a esperança de que o ano pudesse ser cumprido no externato”, acrescentou.

A sociedade proprietária do Externato Delfim Ferreira foi declarada insolvente em março, depois de ter sido recusado o Processo Especial de Revitalização (PER) que apresentou.

O PER foi apresentado devido a dívidas que, no total, ascendiam a 4,1 milhões de euros, a repartir por 163 credores.

Daquele montante, 1,5 milhões dizem respeito aos créditos dos 23 trabalhadores (professores e funcionários) alvo de despedimento coletivo, na sequência do corte nos contratos de associação.

O PER foi homologado em junho de 2018, pelo Tribunal de Famalicão, mas uma trabalhadora interpôs recurso para a Relação, que revogou a decisão, recusando a homologação.

A direção recorreu mas o recurso foi indeferido, em fevereiro, o que levou à declaração da insolvência.

Os trabalhadores alegavam “claro estado de insolvência” do externato e consideravam que se a insolvência fosse decretada receberiam “de imediato a totalidade dos seus créditos”.

O PER, por seu lado, previa que os créditos aos trabalhadores fossem pagos em 100 prestações mensais, a primeira das quais a vencer 18 meses após a aprovação do programa.

Os trabalhadores também não receberiam os juros vencidos e vincendos.

Já o Estado receberia a primeira prestação logo após a aprovação do PER, tendo também direito aos juros.

Para o tribunal, era “evidente o desfavorecimento” dos trabalhadores, sem que se vislumbrem “razões objetivas e relevantes” para esse tratamento desigual entre credores.

Continuar a ler

Guimarães

Prisão preventiva para homem que esfaqueou quatro pessoas em Guimarães

Ocorrência em Fermentões

em

Foto: DR/Arquivo

Um juiz de instrução criminal no Tribunal de Guimarães aplicou hoje prisão preventiva a um homem que na noite de sábado esfaqueou quatro pessoas em Fermentões, naquele concelho, provocando a morte a uma delas, disse fonte policial.

Segundo a fonte, o homem, de 52 anos, está indiciado de quatro crimes de homicídio, três deles na forma tentada.

A vítima mortal é uma mulher de 46 anos.

Fonte médica do Hospital de Guimarães disse à Lusa que a mulher morreu no bloco operatório daquela unidade, vítima de feridas “profundas no abdómen” e “laceração de múltiplos órgãos”.

O filho da vítima mortal, de 26 anos, também ficou ferido com gravidade, tendo entrado no hospital com uma “ferida penetrante no tórax”, mas está “estável” e a evoluir favoravelmente.

Do “ataque”, resultaram ainda dois feridos ligeiros, um homem e uma mulher, que foram atingidos nos membros superiores mas que já tiveram alta hospitalar.

O alegado agressor entregou-se entretanto na PSP, tendo o caso passado para a alçada da Polícia Judiciária.

O alerta para o caso foi dado pelas 22:15 de sábado, tendo as agressões sido registadas junto a um café.

Continuar a ler

Desporto

João Sousa de regresso ao top 50 do ranking ATP

Novak Djokovic é o líder

em

Foto: DR/Arquivo

O português João Sousa subiu hoje um lugar para o 50.º posto do ‘ranking’ mundial de ténis, que é liderado pelo sérvio Novak Djokovic e que conta, pela primeira vez, com o italiano Fabio Fognini na 12.ª posição.

‘Djoko’ permanece no primeiro lugar desta classificação, à frente do espanhol Rafael Nadal, do alemão Alexander Zverev e do suíço Roger Federer, enquanto, aos 31 anos, Fognini, um dia depois de vencer o Masters 1.000 de Monte Carlo, chegou à mais alta posição da carreira, ao subir seis lugares, na semana anterior a disputar o Estoril Open.

O sul-africano Kevin Anderson, que também vai participar no torneio português, a disputar no Clube de Ténis de Estoril, entre 27 de abril e 05 de maio, protagonizou a única subida no ‘top-10’, chegando ao sexto lugar, por troca com o japonês Kei Nishikori.

O grego Stefanos Tsitsipas, o francês Gael Monfils e o norte-americano Frances Tiafoe, finalista vencido do Estoril Open em 2018, mantiveram hoje os lugares na hierarquia, oitavo, 19.º e 30.º, respetivamente.

Abaixo de João Sousa, que vai defender o título no Estoril Open, Pedro Sousa desceu um lugar e ocupa o 107.º posto, enquanto João Domingues, que perdeu no domingo a final do ‘challenger’ de Tunes, subiu sete posições (214.º) e Gonçalo Oliveira ascendeu 33 (262.º), após chegar às meias-finais do também ‘challenger’ de Anning.

Na atualização de hoje, o francês Jo-Wilfried Tsonga, antigo número cinco do mundo, regressou ao ‘top-100’, do qual esteve afastado desde outubro de 2018.

No setor feminino, também não houve alterações no topo da hierarquia, com a liderança a continuar a pertencer à japonesa Naomi Osaka, com a romena Simona Halep a checa Petra Kivtova, nas segunda e terceira posições, respetivamente.

Francisca Jorge assumiu o estatuto de número um portuguesa, ao subir 30 lugares para a 618.ª posição, ultrapassando Inês Murta, agora 625.ª.

Continuar a ler

Populares