Seguir o O MINHO

Futebol

Vizela goleado pelo Porto B

II Liga

em

Foto: DR

FC Porto estreou-se esta sexta-feira a vencer na II Liga portuguesa de futebol, com uma goleada, por 4-1, frente ao Vizela, na segunda jornada da prova.


Os portistas, que no primeiro jogo não conseguiram ir além de uma derrota em casa do Varzim, por 1-0, somam assim a primeira vitória na prova, apresentando uma exibição bem conseguida e com muitos momentos de golo.

O Vizela, por outro lado, no primeiro jogo recebeu e venceu a Oliveirense, por 2-1, não conseguindo agora contrariar a supremacia da equipa ‘azul e branca’.

As ameaças à baliza de Ivo começaram muito cedo, mas o golo só surgiu aos 25 minutos, por intermédio de Rodrigo Valente. A jogada começou no lado direito, nos pés do reforço Danny Loader, que lançou Francisco Conceição, acabando por fazer o trabalho quase todo. O avançado, de 17 anos, filho de Sérgio Conceição, deixou a bola para Rodrigo Valente, que apenas teve que encostar.

Pouco passava da meia hora e Matheus travou em falta Danny Loader dentro da grande área. O árbitro prontamente assinalou a marcação de grande penalidade e mostrou o segundo amarelo ao jogador do Vizela, ficando a equipa a jogar com 10.

O jogador inglês do FC Porto B foi chamado a marcar o castigo e não desperdiçou a oportunidade, fazendo o segundo dos ‘dragões’.

Ainda antes do intervalo, Johan Gómez praticamente ‘carimbou’ a vitória portista, ao fazer o terceiro golo do FC Porto B.

Na segunda parte manteve-se a pressão dos portistas, no entanto, e depois das saídas de Francisco e Rodrigo Conceição, a equipa ressentiu-se e permitiu ao Vizela subir no terreno. Aos 73 minutos, Koffi Kouao reduziu.

Mas a formação comandada por Rui Barros não desistiu e voltou a marcar. Igor Cássio, que havia entrado na segunda parte, aproveitou da melhor forma um passe de Mor N’diaye e fez o quarto dos portistas.

Ficha de Jogo

Jogo disputado no Estádio Municipal Dr. Jorge Sampaio, em Vila Nova de Gaia.

FC Porto B – Vizela, 4-1

Ao intervalo: 3-0.

Marcadores:

1-0, Rodrigo Valente, 25 minutos.

2-0, Danny Loader, 33 (grande penalidade).

3-0, Johan Gómez, 37.

3-1, Koffi Kouao, 73.

4-1, Igor Cássio, 85.

Equipas:

– FC Porto B: Ricardo Silva, Rodrigo Conceição (Rodrigo Pinheiro, 71), Pedro Justiniano, João Marcelo, Diogo Bessa, Francisco Conceição (Angel Torres, 71), Mor N’diaye, Rodrigo Valente, Johan Gómez (Diogo Ressurreição, 81), Boateng (Igor Cássio, 59) e Danny Loader (Gonçalo Borges, 81).

(Suplentes: Ivan Cardoso, Tiago Matos, Angel Torres, Gonçalo Borges, Rodrigo Pinheiro, Carlos Gabriel, Diogo Ressurreição, Gonçalo Brandão e Igor Cássio.

Treinador: Rui Barros.

– Vizela: Ivo Gonçalves, Ofori (Kiki, 46), Matheus, Aidara, Koffi Kouao, Marcos Paulo, Samu, Zag (Ericson, 46), João Pais (Marcelo, 34), Diogo Ribeiro (Cassiano, 56) e André Soares (Tavinho, 46).

(Suplentes: Pedro Silva, Tavinho, Cassiano, Cardoso, Marcelo, Ericson, Kiki, João Pedro e Francis Cann).

Treinador: Álvaro Pacheco.

Árbitro: Flávio Lima (AF Algarve).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Ofori (12), Francisco Conceição (14), Matheus (21 e 32), Zag (27), Tavinho (54), Rodrigo Conceição (63). Cartão vermelho por acumulação de amarelos para Matheus (32)

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

Anúncio

Futebol

Vitória e Braga encontram-se este domingo no dérbi do Minho

Futebol

em

Foto: DR

Vitória SC e SC Braga enfrentam-se hoje no sempre ‘quente’ dérbi minhoto, em jogo da quinta jornada da I Liga de futebol, com os vimaranenses a tentarem manter-se no grupo de perseguidores do líder Benfica.

Quinta classificada, com sete pontos, a equipa de João Henriques quer conquistar o triunfo para igualar novamente a pontuação de FC Porto e Sporting, respetivamente segundo e terceiro, a dois pontos dos ‘encarnados’ que só recebem o Belenenses SAD na segunda-feira, e prolongar o bom momento, após a vitória por 1-0 frente ao Boavista, no Bessa, na última ronda.

Já o Sporting de Braga, que soma seis pontos e está na sexta posição, vai ao Estádio D. Afonso Henriques à procura do terceiro triunfo consecutivo e de deixar definitivamente para trás o mau começo da temporada.

Ainda hoje, o Rio Ave joga na casa do Farense, lanterna-vermelha, o Marítimo em Moreira de Cónegos e o Boavista, com o treinador Vasco Seabra já ‘tremido’, em Famalicão.

Programa e resultados da quinta jornada

– Sexta-feira, 23 outubro:

Tondela – Portimonense, 1-0

– Sábado, 24 outubro:

Nacional – Paços de Ferreira, 1-1

Santa Clara – Sporting, 1-2

FC Porto – Gil Vicente, 1-0

– Domingo, 25 outubro:

Farense – Rio Ave, 15:00

Moreirense – Marítimo, 15:00

Famalicão – Boavista, 17:30

Vitória de Guimarães – Braga, 20:00

– Segunda-feira, 26 outubro:

Benfica – Belenenses SAD, 20:15

Continuar a ler

Futebol

“Chegámos a casa do campeão nacional e não mudámos a forma de jogar”

Rui Almeida

em

Foto: DR

Declarações dos treinadores do FC Porto e do Gil Vicente, Sérgio Conceição e Rui Almeida, no final da partida da quinta jornada da I Liga portuguesa de futebol, que os ‘dragões’ venceram por 1-0.

Rui Almeida (treinador Gil Vicente): “Mesmo com quatro jogos oficiais disputados, ficou claro que chegámos a casa do campeão nacional e não mudámos o nosso processo, a nossa forma de jogar, e conseguimos, em certos momentos, impor-nos e estar por cima do jogo.

Na primeira parte, houve oportunidades para ambas as equipas, mas a ineficácia custou-nos caro. Entrámos bem no jogo, e mesmo nos momentos em que o FC Porto nos obrigou a baixar, estivemos coesos. Tivemos boas ocasiões, mas temos de ter mais eficácia para matar o jogo no momento certo.

Não estou contente, porque perdi o jogo, mas sendo apenas a quarta partida que fazemos, penso que demos respostas para vários problemas que o adversário nos criou, o que me deixa orgulhoso.

No golo sofrido, foi uma questão de maturidade. Devíamos ter parado a jogada do Corona. Mas sei que os jogadores vão perceber que são os pequenos detalhes que muitas vezes fazem a diferença”.

Sérgio Conceição (treinador do FC Porto) “Chegámos de Manchester na quinta-feira, às 6:00 da manhã, sexta recuperámos, e hoje já foi o jogo. Tinha de encontrar gente fresca para enfrentar um adversário que sabíamos que vinha defender num bloco mais baixo, e que nos competia desmontar essa organização defensiva.

Hoje, jogámos com três defesas e sete jogadores na frente. Mais ousado era impossível, mas não nos adaptamos a nenhum adversário. Sabíamos que toda a despesa do jogo era nossa, não do Gil Vicente.

A forma com entrámos no jogo não foi a melhor, e até aos 25 minutos não criámos perigo, mas, depois, além do golo, tivemos mais duas situações em que podíamos ter aumentado a vantagem.

O Gil Vicente também criou algum perigo, mas na segunda parte retificamos e tivemos cinco ocasiões claras, incluindo o penálti, para marcar.

Não conseguimos fazer, e depois da expulsão é normal que o adversário ganhe alguns metros, e tente meter bolas de forma mais direta. Mas não me lembra uma situação de perigo.

(sobre o esquema com três defesas) Todos os treinadores têm esquemas alternativos, dependendo se queremos ser mais ou menos ofensivos. Temos trabalhado o que viram hoje.

(sobre Evanilson) É um jovem, tal como Toni Martínez, que chegam com ambição e vontade de apreender. Tem de se dar algum tempo, mesmo não o tendo, porque temos jogos de três em três dias. Vamos dando minutos e fazendo com que tenham uma evolução natural”.

Continuar a ler

Futebol

‘Autocarro’ nos minutos finais confirmou derrota do Gil Vicente no Dragão

I Liga

em

Foto: DR

O Gil Vicente perdeu este sábado no Estádio do Dragão, frente ao campeão nacional FC Porto, por 1-0.

Os ‘galos’, que têm menos um jogo, e sofreram a primeira derrota no campeonato, seguem agora no 12.º posto , com cinco pontos.

Já o FC Porto mantém o segundo lugar, com dez pontos, menos dois do que o líder Benfica, que só recebe o Belenenses SAD na segunda-feira, e os mesmos que o Sporting, que tem menos um jogo,

O Gil Vicente fazia da coesão defensiva o seu maior trunfo, mas sempre que podia tentava explorar o contra-ataque, acabando mesmo por criar a primeira grande oportunidade do desafio, numa arrancada de Samuel Lino, que pecou na altura da finalização, sendo anulado pela defesa ‘portista’.

Apesar da pequena ‘revolução’ na equipa, os ‘azuis e brancos’ cedo impuseram um ascendente, instalando-se no meio-campo contrário, embora num domínio praticamente inconsequente durante a meia hora inicial, na qual as dificuldades no último passe não propiciaram um único remate à baliza barcelense.

O lance acabou por servir de alerta para o FC Porto, que aos 30 minutos desenhou o seu primeiro lance digno de registo, num excelente trabalho de Corona no flanco, deixando três adversários pelo caminho, e cruzando para Toni Martínez, que cabeceou para defesa atenta do guarda-redes gilista.

Mais galvanizados, os ‘azuis e brancos’ mantiveram o embalo, e, dois minutos depois, foi Evanilson, também em estreia como titular, a levar novo perigo à baliza barcelense, desviando de cabeça um pontapé de canto, que acabou por ser devolvido pela trave.

Os minhotos, apesar destes dois calafrios, não mudaram a estratégia, continuaram e espreitar os contra-golpes, e aos 34 Samuel Lino voltou a ser protagonista, com um remate de longe, que saiu um pouco por cima da baliza de Marchesín.

No entanto, este novo atrevimento dos ‘galos’ não fez o FC Porto abdicar da pressão alta, acabando por corporizar o ascendente em golo, já aos 41, num desvio certeiro de Evanilson, após assistência de Nakajima, que fixou o 1-0 ao intervalo.

No regresso do descanso, o técnico dos dragões deixou o pouco produtivo Toni Martínez nos balneários, lançando Romário Baró no jogo e desfazendo um pouco usual esquema com três defesas utilizado na etapa inicial.

A aposta no jovem médio deu frutos aos 57 minutos, quando Baró tentou o remate à entrada da área, com a bola a desviar no braço de Ygor Nogueira, num lance para grande penalidade, após recurso às imagens do videoárbitro.

No entanto, na marcação do castigo, já aos 59, Uribe desperdiçou a benesse, rematando denunciado para defesa do guardião gilista Denis.

O desaproveitamento do médio colombiano não afetou a equipa da casa, que 10 minutos depois teve, num só lance, três soberanas oportunidades para ampliar vantagem, com Evanilson e rematar à barra, e Nakajima e Fábio Vieira, em dupla recarga, a não conseguiram superar a defesa adversária.

Aos 74, contrariedade para o FC Porto, com expulsão de Zaidu, por acumulação de amarelos, levando a um novo acreditar do Gil Vicente, que nos momentos seguintes subiu no terreno, e, por intermédio do recém-entrado Lucas Mineiro, ainda ameaçou o empate.

Ficha de Jogo

Jogo disputado no Estádio do Dragão, no Porto.

FC Porto – Gil Vicente, 1-0.

Ao intervalo: 1-0.

Marcador:

1-0, Evanilson, 41 minutos.

Equipas:

– FC Porto: Marchesín, Mbemba, Pepe, Zaidu, Corona (Marega, 90+2), Manafá, Uribe, Nakajima (Sarr, 78), Fábio Vieira (Sérgio Oliveira, 83), Toni Martinez (Romário Baró, 46) e Evanilson (Taremi, 78).

(Suplentes: Diogo Costa, Marega, Taremi, Grujic, Romário Baró, João Mário, Sérgio Oliveira, Felipe Anderson e Sarr).

Treinador: Sérgio Conceição.

– Gil Vicente: Denis, Joel (Kanya, 85), Rodrigo, João Afonso, Talocha, Samuel Lino, Lourency (Baraye, 62), Gonçalves (Renan, 69), Ruben Fernandes, Leautey (Lucas Mineiro, 69) e Nogueira.

(Suplentes: Daniel Fuzato, Souley, Renan, Kanya, Vítor Carvalho, Baraye, Lucas Mineiro, Leandrinho e Ahmed).

Treinador: Rui Almeida.

Árbitro: Hélder Malheiro (AF Lisboa).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Zaidu (27 e 74), Uribe (30), Nogueira (58), Nakajima (74), Pepe (74), João Afonso (85).

Cartão vermelho por acumulação de amarelos para Zaidu (74).

Assistência: jogo disputado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

(notícia atualizada às 23h37)

Continuar a ler

Populares