Seguir o O MINHO

Futebol

Vitoria vence Boavista com reviravolta e não deixa fugir lugares europeus

I Liga

em

O Vitória SC regressou hoje aos triunfos na I Liga portuguesa de futebol, na receção ao Boavista, por 2-1, ao ‘virar’ uma desvantagem num jogo, da 21.ª jornada, em que foi superior.

Depois de cinco jogos sem triunfos, a equipa vimaranense esteve a perder, na sequência de um golo de Ricardo Mangas, ao minuto 17, mas manteve a atitude ofensiva e empatou na primeira parte, por Rochinha, aos 39, operando a reviravolta de penálti, por André André, aos 63, tendo ainda falhado algumas ocasiões para dilatar o resultado.

Depois do jogo 130 entre dois rivais do futebol nacional, aberto e dinâmico, a equipa de Guimarães passou a somar 35 pontos, mantendo o sexto lugar, enquanto a formação do Porto, que enviou uma bola ao poste por Javi Garcia, ao minuto 90+1, ocupa o 17.º e penúltimo lugar, com 18 pontos.

Com André Almeida de regresso ao ‘onze’ e Zié Ouattara no lugar de Sacko, no lado direito da defesa, os vitorianos tiveram mais bola na primeira parte (67%), circulando-a por vários períodos no meio-campo adversário, e enviaram os primeiros sinais de perigo à baliza de Léo Jardim em remates de Marcus Edwards (sete minutos) e Estupiñán (11).

Os ‘axadrezados’ surgiram em Guimarães com Adil Rami no lugar de Reggie Cannon, com as linhas defensiva e média recuadas, à procura de saírem em velocidade para o ataque, algo que fizeram com perigo num lance concluído com um remate ao lado de Gustavo Sauer, ao minuto oito, antes de ‘inaugurarem o marcador’.

Na sequência de um pontapé de canto da esquerda, ao minuto 17, a bola sobrou para a pequena área, onde apareceu o boavisteiro Ricardo Mangas, mais lesto do que os adversários, a encostar para o fundo das redes.

O conjunto anfitrião baixou momentaneamente de rendimento, perdendo velocidade nos movimentos e nas trocas de bola perante um opositor ainda mais compacto na hora de defender, mas voltou a criar perigo ao minuto 26, quando o guardião Léo Jardim negou o golo a Oscar Estupiñán com uma saída muito rápida da baliza.

A insistência vimaranense, com maior ou menor ‘critério’, deu frutos ao minuto 39, no momento mais inspirado da primeira metade, da autoria de Rochinha: o ala esquerdo enquadrou-se com a baliza, após jogada de André Almeida e de Estupiñán, e marcou o terceiro golo no campeonato com um remate em arco, que ainda tabelou no poste.

Os pupilos de Jesualdo Ferreira tentaram inverter a ‘corrente’ da primeira parte, quase sempre favorável aos vitorianos, com mais agressividade nas bolas divididas antes de sair para o ataque, mas a formação treinada por João Henriques repôs o seu domínio aos poucos.

Depois de André Almeida ameaçar a reviravolta, aos 59 minutos, o Vitória beneficiou de um penálti um minuto volvido, a punir mão de Ricardo Mangas, e André André aproveitou o ‘castigo máximo’ para marcar pela sexta vez no campeonato, apesar de Léo Jardim quase ter tocado na bola.

A feição do jogo alterou-se, com os ‘axadrezados’ a pegarem mais na bola, mas as melhores oportunidades continuaram a pertencer aos minhotos, com Oscar Estupiñán a ter duas ‘perdidas’ isolado, aos minutos 76 e 82, e Rúben Lameiras a obrigar Léo Jardim a defesa difícil, aos 86.

O curso da partida não se alterou por centímetros no primeiro minuto de compensação, quando Javi Garcia cabeceou ao poste, na sequência de um livre.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

Vitória SC – Boavista, 2-1.

Ao intervalo: 1-1.

Marcadores:

0-1, Ricardo Mangas, 17 minutos.

1-1, Rochinha, 39.

2-1, André André, 63 (grande penalidade).

Equipas:

– Vitória SC: Bruno Varela, Zié Ouattara, Jorge Fernandes, Abdul Mumin, Gideon Mensah, Pepelu, André André (Miguel Luís, 90), André Almeida, Marcus Edwards (Rúben Lameiras, 74), Rochinha (Mikel Agu, 83) e Oscar Estupiñán (Noah Holm, 90).

(Suplentes: Matous Trmal, Sacko, Suliman, Wakaso, Mikel Agu, Miguel Luís, Rúben Lameiras, Bruno Duarte e Noah Holm).

Treinador: João Henriques.

– Boavista: Léo Jardim, Cristian Devenish, Adil Rami, Chidozie, Paulinho (Yusupha, 73), Javi García, Nuno Santos (Yanis Hamache, 64), Ricardo Mangas, Angel Gomes (Sebastián Pérez, 81), Gustavo Sauer (Show, 64) e Alberth Elis.

(Suplentes: Rafael Bracali, Reggie Cannon, Jackson Porozo, Yanis Hamache, Show, Sebastián Pérez, Tiago Morais, Yusupha e Jorge Benguché).

Treinador: Jesualdo Ferreira.

Árbitro: Fábio Veríssimo (Associação de Futebol de Leiria).

Ação disciplinar: cartão amarelo para André André (57), Ricardo Mangas (62), Angel Gomes (80), Pepelu (84), Sebastián Pérez (85) e Cristian Devenish (90+6).

Cartão vermelho por acumulação de cartões amarelos para Fary Faye, delegado do Boavista (79).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

Notícia atualizada às 23h02.

Populares