Seguir o O MINHO

Futebol

Vitória segue em frente nas competições europeias

Liga Conferência

em

Foto: VSC

O Vitória de Guimarães apurou-se hoje para a terceira pré-eliminatória da Liga Conferência Europa de futebol, após empatar com a Puskás Akadémia no jogo de segunda mão da segunda pré-eliminatória (0-0), de ‘gestão’ e de escassas ocasiões.

Depois do triunfo por 3-0 na primeira mão, disputada em Guimarães, a formação vimaranense ‘segurou’ esse resultado num embate em que a formação húngara até teve a supremacia territorial, mas raramente incomodou a baliza de Bruno Varela, com os lances de perigo a repartirem-se.

Ultrapassada a segunda pré-eliminatória da competição europeia, os portugueses vão defrontar o Hajduk Split na ronda seguinte, estando a primeira mão agendada para 04 de agosto, na Croácia, e a segunda marcada para 11 de agosto, na cidade minhota.

Em desvantagem à partida para o segundo jogo da eliminatória, a formação húngara apareceu com cinco ‘novidades’ entre os titulares face ao duelo de Guimarães e teve quase toda a iniciativa ofensiva na primeira meia hora de jogo, perante um Vitória recuado, que perdia rapidamente a bola quando a recuperava.

Superiores na ‘batalha’ do meio-campo e ‘ágeis’ nas faixas, sobretudo na esquerda, com o avançado Shahab Zahebi a descair para ‘incomodar’ o lateral Miguel Maga, os magiares ‘empurraram’ o jogo para as imediações da área vitoriana, mas sem perigo, à exceção de um pontapé e de um cabeceamento por cima do médio Artem Fedorov, ambos na sequência de bolas paradas.

Com André Amaro e Dani Silva em vez dos lesionados Jorge Fernandes e André Almeida, titulares na primeira mão, a equipa treinada por Moreno Teixeira começou a vislumbrar ‘rotas’ para a baliza húngara no último quarto de hora, tendo ameaçado o golo em tentativas de Rúben Lameiras, por cima, aos 34 minutos, e de Tiago Silva, centímetros ao lado do poste esquerdo, aos 43.

Apesar das perdas dos internacionais húngaros Zsolt Nagy e Roland Szolnoki, defesas que se lesionaram na segunda parte, a Puskás Akadémia continuou a assumir as ‘despesas’ da partida e quase inaugurou o marcador aos 56 minutos, num cabeceamento de Patrizio Stronati a rasar o poste direito.

Com as substituições de um lado e de outro a partir do minuto 63, o ‘ímpeto’ anfitrião diluiu-se e os vimaranenses reapareceram nas imediações da área adversária, cabendo a Tiago Silva novo remate para golo, travado pelo guarda-redes Tamás Markek, ao minuto 69.

O encontro ‘partiu-se’ nos 20 minutos finais, com Anderson, substituto de André Silva no eixo do ataque minhoto, a ‘ensaiar’ o remate por duas vezes, e Jakov Puljic a cabecear por cima aos 90, num lance que poderia ter valido a vitória aos magiares.

Ficha de Jogo

Jogo na Pancho Arena, em Felcsút.

Puskás Akadémia – Vitória SC, 0-0.

Equipas:

– Puskás Akadémia: Tamás Markek, Roland Szolnoki (Youëll van Nieff, 45+1), Patrizio Stronati, Csaba Spandler, Zsolt Nagy (Mohamed Mezghrani, 21), Artem Favorov, Josef Urblik, Tamás Kiss (Jevhenyij Kicsun, 64), Marius Corbu (Alexandru Baluta, 63), Gyorgy Komáromi e Shahab Zahedi (Jakov Puljic, 63).

(Suplentes: Balázs Tóth, Ármin Pécsi, Mohamed Mezghrani, Patrik Posztobányi, Jevhenyij Kicsun, Yoëll van Nieff, Balázs Bakti, Marcell Major, Alen Skribek, Jakov Puljic Alexandru Baluta e Colley Lamin).

Treinador: Zsolt Hornyák.

– Vitória de Guimarães: Bruno Varela, Miguel Maga, André Amaro, Abdul Mumin, Ogawa (Hélder Sá, 82), Alfa Semedo, Tiago Silva, Dani Silva (Ibrahima Bamba, 82), Rúben Lameiras (Jota Pereira, 76), Jota Silva (Nelson da Luz, 64) e André Silva (Anderson, 64).

(Suplentes: Celton Biai, Antal Bencze, Alberto Costa, Mikel Villanueva, Hélder Sá, Ibrahima Bamba, Matheus Índio, Nélson da Luz, Jota Pereira, Anderson e Herculano).

Treinador: Moreno Teixeira.

Árbitro: Jacob Alexander Sundberg (Dinamarca).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Gyorgy Komáromi (26), Miguel Maga (28), Roland Szolnoki (36), André Amaro (70), Yoëll van Nieff (72), Josef Urblik (78) e Alexandru Baluta (90+2).

Assistência: cerca de 1.500 espetadores.

Populares