Seguir o O MINHO

Futebol

Vitória SC poderá ser castigado em “milhares de euros” no ‘caso Marega’

Decisão será divulgada dentro “de duas semanas”

em

Foto: DR / Arquivo

O processo aberto pela Autoridade para a Prevenção e Combate à Violência no Desporto (APCVD) ao Vitória SC, após insultos racistas de adeptos a Moussa Marega (FC Porto), será decidido “em duas semanas”, explicou hoje o presidente.


Segundo Rodrigo Cavaleiro, o “processo contraordenacional”, relativo “às responsabilidades do promotor do espetáculo desportivo”, no caso o clube da casa, devido a “questões relacionadas com deveres e obrigações do clube” terá uma decisão final divulgada “em cerca de duas semanas”.

“Estamos a falar da possibilidade de jogos à porta fechada, também consoante as diversas infrações. [Este processo] não versa apenas o ‘caso Marega’, versa outras infrações que tiveram lugar naquele jogo. Há um cúmulo jurídico. E falamos de algo na ordem dos milhares de euros” em sanções, frisou Rodrigo Cavaleiro, em entrevista à Lusa, quando questionado sobre o quadro punitivo que enfrentam os vimaranenses.

Depois de o processo ter arrancado em março, sucedeu-se uma “interrupção legal de prazos” decorrente da declaração do estado de emergência no país, devido à pandemia de covid-19, com o prazo para apresentação de defesa por parte do Vitória a ser retomado até julho.

“Depois tivemos de fazer diligências de inquirição de testemunhas, e outras instrutórias solicitadas pela defesa, e estamos em fase de conclusão do processo, estando para breve a redação da decisão final”, apontou.

Ao lado do processo da APCVD, sobre os insultos racistas ao maliano Marega decorrem outros três processos, um judicial, movido pelo Ministério Público (MP), que constituiu três arguidos e prossegue no Tribunal de Guimarães, e outro por parte da Liga.

Em 25 de setembro, um juiz de instrução criminal no Tribunal de Guimarães começou a ouvir os três adeptos do Vitória constituídos arguidos por cânticos e insultos racistas, explicou à Lusa fonte judicial.

Os arguidos estão indiciados pelo crime de discriminação e incitamento ao ódio e à violência, punido com pena de prisão de seis meses a cinco anos.

Neste momento, estão com termo de identidade e residência, uma medida de coação que pode ser agravada pelo juiz de instrução criminal, designadamente com a proibição de frequência de recintos desportivos.

O caso remonta a 16 de fevereiro último, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, durante o jogo de futebol entre o Vitória SC e o FC do Porto, a contar para a 21.ª jornada da I Liga de futebol.

Por volta do minuto 70, pouco depois de ter marcado um golo, Marega pediu para ser substituído e acabou mesmo por abandonar o relvado, agastado com cânticos de natureza racista que lhe estavam a ser dirigidos por adeptos do Vitória, com sons a imitar macacos.

Anúncio

Futebol

Fransérgio com teste inconclusivo

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

Duas semanas depois de ter testado positivo ao novo coronavírus, Fransérgio realizou um teste com resultado inconclusivo e fará outro rastreio na quarta-feira, informou hoje o SC Braga, segundo classificado da I Liga de futebol.

O médio brasileiro teve um resultado positivo em 02 de novembro, tendo falhado, três dias depois, a deslocação ao terreno dos ingleses do Leicester, a contar para a Liga Europa.

Segundo fonte dos ‘arsenalistas’, o jogador fará novo teste na quarta-feira e, até lá, o seu plano de trabalho, assim como o isolamento social, mantém-se inalterado.

Devido a castigo, Fransérgio não poderia ser opção para o jogo no reduto do Trofense, líder da Série C do Campeonato de Portugal, no sábado (19:30), da terceira eliminatória da Taça de Portugal.

Continuar a ler

Futebol

Tribunal rejeita nova perícia ao material informático de Rui Pinto

Football Leaks

em

Foto: DR / Arquivo

O Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa rejeitou a realização de nova perícia ao material informático apreendido a Rui Pinto, pedida pelo arguido do processo Football Leaks, segundo um despacho proferido hoje, a que a Lusa teve acesso.

“(…) Entende o tribunal que a realização da perícia requerida pelo arguido Rui Pedro Gonçalves Pinto não se afigura útil, uma vez que a análise que iria ser efetuada incidiria sempre sobre as mesmas imagens/conteúdo já analisadas pela PJ, vertido no relatório digital junto aos autos”, indica o despacho.

No requerimento apresentado ao coletivo de juízes que está a julgar o processo, a defesa de Rui Pinto suscitou “a eventual quebra da genuinidade do material analisado” pela Polícia Judiciária (PJ), mas o tribunal não encontrou “qualquer utilidade/interesse para a descoberta da verdade material na realização de nova perícia”.

“Da informação coligida nos presentes autos não há evidências de que a perícia efetuada pela PJ padeça de contradições, tenha partido de pressupostos de facto incorretos ou tenha sido realizada sem observação das melhores práticas técnicas”, refere o despacho.

Rui Pinto, de 31 anos, responde por um total de 90 crimes: 68 de acesso indevido, 14 de violação de correspondência, seis de acesso ilegítimo, visando entidades como o Sporting, a Doyen, a sociedade de advogados PLMJ, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e a Procuradoria-Geral da República (PGR), e ainda por sabotagem informática à SAD do Sporting e por extorsão, na forma tentada. Este último crime diz respeito à Doyen e foi o que levou também à pronúncia do advogado Aníbal Pinto.

O criador do Football Leaks encontra-se em liberdade desde 07 de agosto, “devido à sua colaboração” com a PJ e ao seu “sentido crítico”, mas está, por questões de segurança, inserido no programa de proteção de testemunhas em local não revelado e sob proteção policial.

Continuar a ler

Futebol

Portugal realiza único treino em Split antes do jogo com a Croácia

Liga das Nações

em

Foto: DR / Arquivo

A seleção portuguesa de futebol realiza hoje o primeiro e único treino em Split, onde na terça-feira vai disputar o jogo com a Croácia, que encerra a participação lusa na segunda edição da Liga das Nações.

Na derradeira sessão, que está marcada para as 16:30 (hora de Lisboa), no Estádio Poljud, o selecionador Fernando Santos deverá ter à disposição os 23 atletas que viajaram para a Croácia, depois de no domingo, ainda na Cidade do Futebol, os titulares com a França terem feito apenas trabalho de recuperação.

Fora das contas do treino e também do jogo da sexta e última jornada do Grupo 3 da Liga das Nações A está o lateral Raphael Guerreiro, que foi dispensado antes da viagem, devido a problemas físicos.

Antes do treino, a partir das 15:30, Fernando Santos e um jogador vão fazer a antevisão do encontro com os croatas.

No sábado, Portugal, que é o detentor do troféu, falhou a qualificação para a ‘final four’ da Liga das Nações, ao perder por 1-0 na receção à França, que, por seu lado, assegurou o primeiro lugar do grupo e a presença nas meias-finais.

Com um encontro por disputar no Grupo 3 da Liga das Nações A, a equipa das ‘quinas’ é segunda classificada, com 10 pontos, menos três do que os franceses. A Croácia e a Suécia, que visita a França, têm ambas três pontos e ainda lutam pela manutenção na Liga A da prova.

A partida entre Portugal e Croácia está marcada para terça-feira, às 19:45, no Estádio Poljud, em Split, e será dirigida pelo inglês Michael Oliver.

Continuar a ler

Populares