Seguir o O MINHO

Desporto

Vitória SC perde final da Taça de Portugal em basquetebol feminino

Resultado final 49-40

em

Foto: Vitória SC

O Olivais Coimbra conquistou hoje pela terceira vez a Taça de Portugal de basquetebol feminino, ao vencer o Vitória de Guimarães, por 49-40, na final disputada em Cascais.

Em embate disputado no Pavilhão da Escola Secundária de Manique, Norianna Haynes foi a melhor jogadora do encontro, com 20 pontos marcados e nove ressaltos, acompanhada por Inês Viana, com 14 pontos, dez ressaltos e quatro assistências.

Do lado do Vitória de Guimarães, Emilie Hesseldal e Leah Sommerfield, ambas com 12 pontos, foram as jogadoras em destaque, mantendo as vimaranenses na luta pelo resultado até ao final.

As jogadoras do emblema de Coimbra, que também lideram o campeonato nacional, estiveram sempre por cima no encontro e, apesar do equilíbrio do primeiro e terceiro períodos, controlaram uma partida em que o Vitória de Guimarães conseguiu dar boa réplica.

O encontro começou muito equilibrado e com as duas equipas com dificuldades em concretizar muitas das jogadas que foram construindo. Por isso, no fim do primeiro período, o resultado era apenas de 10-11, favorável à equipa do Olivais.

No segundo período, o Olivais Coimbra, com a norte-americana Norianna Haynes em destaque, disparou no marcador e distanciou-se do Vitória, que apenas marcou quatro pontos. A base fez oito pontos, Inês Viana sete e o intervalo chegou com a formação de Coimbra a vencer por 29-14.

Na entrada para o segundo tempo, o Vitória de Guimarães apareceu com energias renovadas, muito graças ao acerto de Emilie Hesseldal e Sara Dickey, e venceu mesmo o terceiro período por 16-9, encurtando distâncias para o Olivais, que ainda assim chegou à última parte do jogo a vencer por 38-30.

No quarto e último período, o Olivais entrou melhor, marcou nove pontos de ‘rajada’ e praticamente selou o triunfo, tornando infrutífera a boa reação das minhotas nos instantes finais.

O Olivais Coimbra reconquistou o troféu, após ter perdido a final na época passada frente à AD Vagos, reeditando os êxitos de 2008/09 e 2009/10.

Anúncio

Futebol

SC Braga: Aposta em Custódio pode ter soado a improviso, mas foi preparada com método

Diz o clube

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

A aposta em Custódio Castro para treinador da equipa principal de futebol começou “bem antes” de ter sido chamado para adjunto da equipa B, em 2017, revelou hoje o SC Braga.

“A opção por Custódio foi uma aposta que poderá ter soado a muitos como um improviso, mas que, numa análise mais cuidada, reflete uma preparação longa e metódica, que começou bem antes daqueles primeiros meses de 2017, quando o SC Braga o convenceu a concluir a carreira de jogador e a abraçar a estrutura técnica do clube”, pode ler-se no sítio oficial dos minhotos, no lançamento de uma entrevista ao treinador dividida em três partes (hoje, sábado e domingo).

Depois de duas épocas como treinador adjunto da equipa B, Custódio Castro passou esta temporada a técnico principal dos sub-17 do Sporting de Braga e, no início de março, foi chamado a substituir Rúben Amorim, transferido para o Sporting.

O técnico, de 36 anos, revelou que desde “muito cedo” se apercebeu que seria treinador após concluir a carreira de jogador.

“Eu diria que muito cedo [nasce o Custódio treinador], porque sempre me fascinou a razão do que fazíamos. Já com 22/23 anos eu sentia que tinha de perceber muito bem as coisas, mais do que muitos dos meus colegas, que porventura tinham uma competência e uma sensibilidade enormes para o jogo, mas não refletiam sobre ele, pelo que o que faziam era automático e vinha da grande aptidão que tinham enquanto jogadores”, explicou.

Revelando que “não gostava de fazer as coisas por fazer, gostava de saber porque é que as fazia”, Custódio Castro assume-se como “um apaixonado pelo jogo”.

“O futebol sempre foi muito mais do que a minha atividade profissional. Eu sei que, hoje em dia, o futebol nos abre imensos caminhos, seja no agenciamento, seja em muitas outras tarefas que eu sei que podia seguir para continuar ligado ao futebol, mas a mim nunca me fascinou outra coisa que não fosse o campo e percebi muito cedo que seria assim”, afirmou.

Considerando que “os jogadores, hoje, são muito reservados perante o treinador”, o antigo internacional português defende a importância da discussão de ideias.

“Gosto de os pôr a falar, porque a minha forma de compreender o jogo era questionar, falar, procurar compreender. Como treinador, vou sempre puxar os jogadores para o diálogo e para a compreensão daquilo que fazemos, porque entendo que isso é fundamental. No Sporting de Braga, por exemplo, gostava de discutir com o Sérgio Conceição, gostava de lhe pôr problemas. O Paulo Bento, que foi meu colega e depois meu treinador [no Sporting], também era alguém que estimulava esse debate”, lembra.

Custódio Castro, que só orientou um jogo na I Liga antes da interrupção devida à pandemia de Covid-19 (vitória caseira sobre o Portimonense por 3-1), destacou também algumas referências como treinadores.

“José Mourinho, Jorge Jesus, Paulo Fonseca, Fernando Santos, por quem tenho muita estima, mas também Manuel José, pela sua liderança e pela sua frontalidade, e Vítor Oliveira, de quem aprecio muito a forma simples de comunicar e os bons trabalhos que tem feito”, elencou.

Custódio Castro disse ainda ter “bebido muito e de muitas fontes”.

“Para mim, foi um privilégio ter estado perto do Abel [Ferreira] quando fui adjunto do Sporting de Braga B e ele estava na equipa principal. Nessa fase, que foi importante para a organização das minhas ideias, percebi que há várias coisas que partilhamos. Não sei se está tudo inventado, a verdade é que o jogo não para de evoluir e ninguém vai longe se quiser apenas copiar alguém. Nós, treinadores, estamos sempre à procura de fazer melhor e diferente e eu não sou, nem serei, exceção”, disse.

Continuar a ler

Futebol

Avançado do Aves rescinde unilateralmente

Welinton Júnior

em

Foto: DR / Arquivo

O avançado brasileiro Welinton Júnior rescindiu na segunda-feira de forma unilateral o contrato com o Desportivo das Aves por salários em atraso, confirmou hoje à agência Lusa fonte do último classificado da I Liga de futebol.

Além do incumprimento de ordenados, o extremo, de 26 anos, alega ainda que ainda estará por pagar o prémio de assinatura quando chegou ao emblema do concelho de Santo Tirso em julho, proveniente do Coritiba, então na Série B do futebol brasileiro.

Welinton Júnior era o elemento mais concretizador do Desportivo das Aves, com 10 golos em 25 encontros, sete dos quais no campeonato, e estava vinculado até junho de 2022, mas abandonou a Vila das Aves evocando os últimos três meses de salários em atraso.

O guarda-redes francês Quentin Beunardeau optou pelo mesmo desfecho um dia depois e a SAD só foi notificada da rescisão na quinta-feira, num diferendo que pode acabar com as duas partes a esgrimir argumentos nas instâncias judiciais.

O dono da baliza está a contas com um processo disciplinar instaurado pelo departamento jurídico avense, ao invocar a infração do regulamento interno, que inviabiliza declarações à comunicação social sem autorização do clube, tal como o médio Estrela.

Em 22 de março, Beunardeau garantiu à Radio Monte Carlo que as dívidas sobre o iraniano Mohammadi e o brasileiro Welinton Júnior foram repostas pela diretora executiva Estrela Costa antes da derrota com o Sporting (2-0), em 08 de março, da 24.ª jornada.

​​​​​​​O Desportivo das Aves começou a acertar os salários em atraso dos futebolistas dos plantéis principal e sub-23 na quarta-feira, incluindo o pagamento dos dois primeiros meses do ano aos dois jogadores que rescindiram com o lanterna-vermelha da I Liga.

Os nortenhos tinham falhado em 02 de abril a regularização dos ordenados referentes ao período entre dezembro de 2019 e fevereiro de 2020, após um prazo adicional de 15 dias indicado pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional.

A administração liderada pelo chinês Wei Zhao justificou as dívidas com a paralisação da atividade económica na China, motivada pela pandemia de covid-19, tendo o processo sido encaminhado para o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol.

De acordo com os regulamentos, os nortenhos podem perder dois a cinco pontos, face aos 13 que somaram em 24 jornadas, nove abaixo da zona de salvação, numa altura em que a I Liga está suspensa por tempo indeterminado, devido ao novo coronavírus.

Para atenuar os efeitos financeiros da paragem, o Desportivo das Aves ainda aguarda que seja definido um acordo generalizado entre os primodivisionários, pelo que continuará pendente a regularização dos ordenados de março, que venceram no domingo.

Os pupilos de Nuno Manta Santos estão de férias até 27 de abril, numa decisão acordada na terça-feira entre o plantel e a administração da SAD, antecipando uma possível conclusão da temporada no verão e mudanças no calendário da próxima época.

Continuar a ler

Desporto

Europeu de basquetebol adiado para 2022 para ‘fugir’ aos Jogos Olímpicos

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

O Europeu masculino de basquetebol de 2021 foi adiado para 2022, devido à proximidade dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, que foram adiados por um ano devido à pandemia de covid-19, anunciou hoje a federação internacional da modalidade.

A prova, que deveria realizar-se entre 17 de agosto e 01 de setembro de 2021, em quatro países (Alemanha, Itália, Geórgia e República Checa), está agora agendada para o período compreendido entre 01 e 18 de setembro de 2022.

A pandemia de covid-19, motivada pelo novo coronavírus, levou ao adiamento ou cancelamento da maioria das competições a nível mundial, entre as quais os Jogos Olímpicos Tóquio2020, que se vão disputar entre 23 de julho e 08 de agosto de 2021, na capital japonesa.

O novo coronavírus já infetou mais de 1,5 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram quase 89 mil. Dos casos de infeção, mais de 312 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia, e o continente europeu é neste momento o mais atingido, com cerca de 787 mil infetados e de 62 mil mortos.

Em Portugal, que está em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 17 de abril, registaram-se 409 mortes e 13.956 casos de infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde.

Continuar a ler

Populares