Seguir o O MINHO

Desporto

Vitória SC perde (1-0) frente ao Belenenses

em

Um livre direto superiormente executado por Tandjigora permitiu neste domingo ao Belenenses vencer o Vitória SC por 1-0, em jogo da oitava jornada, e somar a terceira vitória seguida na I Liga portuguesa de futebol.

O médio gabonês estreou-se a marcar com a camisola da ‘Cruz de Cristo’ aos 26 minutos, aumentando a sequência positiva da formação de Belém, que vinha de triunfos sobre Estoril-Praia (2-1) e Feirense (4-1), e, assim, mantém-se próxima dos lugares europeus.

Já o Vitória SC continua sem saber o que é vencer fora de casa neste campeonato e, depois do desaire com o Konyaspor (2-1), voltou a não ter capacidade para fazer face aos problemas que o oponente lhe colocou.

Sem a habitual dupla de centrais (Pedro Henrique e Jubal), Pedro Martins operou seis alterações depois do desaire europeu, o que certamente terá sido uma das razões para a falta de acutilância ofensiva dos minhotos, sobretudo, na primeira parte.

Por seu lado, os ‘azuis’ apresentaram-se com o mesmo ‘onze’ que arrancou a goleada ao Feirense (4-1) e, ao quarto de hora, Tiago Caeiro só não festejou o golo porque Miguel Silva fez uma intervenção de grande nível, opondo-se ao cabeceamento do avançado.

A resposta dos vitorianos foi pronta e, nem um minuto volvido, Raphinha aproveitou uma má reposição de Muriel e desmarcou Heldon, mas o guarda-redes dos ‘azuis’ redimiu-se do erro e evitou um golo que parecia certo.

Além de ser o ‘dínamo’ da equipa do Belenenses, pressionando, conduzindo e criando, o ‘baixinho’ Tandjigora (1,72 metros) mostrou igualmente valências na marcação de livres diretos e, pouco antes da meia hora, inaugurou o marcador com um golo de belo efeito, perante o voo infrutífero de Miguel Silva.

Em vantagem, os ‘azuis’ baixaram as linhas e passaram a defender em 35/40 metros, dificultando ainda mais a tarefa de um adversário que continuou sem encontrar soluções ofensivas até ao intervalo.

As muitas interrupções no arranque da segunda parte foram diminuindo um ritmo de jogo já de si baixo. Ainda assim, o Vitória procurou o empate, com Raphinha e Tallo Jr a tentarem a sorte de longe, em remates que pouco incomodaram Muriel.

A 15 minutos do final, Fábio Sturgeon teve nos pés a ocasião mais flagrante dos vitorianos, mas falhou completamente na bola, quando tinha tudo para concluir da melhor forma um cruzamento em esforço de Heldon e marcar à antiga equipa.

Com o aproximar do final, o conjunto de Guimarães pressionou ainda mais o Belenenses – que não criou qualquer situação na etapa complementar – mas nem Moreno nem Tallo Jr conseguiram capitalizar o ascendente dos visitantes, que saíram derrotados do Restelo e ouviram os adeptos manifestar a insatisfação com cânticos de “palhaços, joguem à bola”.

FICHA DO JOGO
Belenenses: Muriel, André Geraldes, Gonçalo Silva, Nuno Tomás, Florent, Bouba Saré, Tandjigora (Cleylton 82), André Sousa (Miguel Rosa, 71), Yebda, Maurides e Tiago Caeiro (Benny, 64). Treinador: Domingos Paciência.

Vitória SC: Miguel Silva, Victor Garcia, Moreno, Marcos Valente, Konan, Wakaso, Rafael Miranda (Rafael Martins, 82), Rincón (Tallo Jr, 46), Francisco Ramos (Fábio Sturgeon, 60), Raphinha e Heldon. Treinador: Pedro Martins.

Marcador: 1-0, Tandjigora, 26 minutos.

Árbitro: Vasco Santos (AF Porto).
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Moreno (52), André Sousa (52), Nuno Tomás (55), André Geraldes (59) e Tandjigora (61).
Assistência: Cerca de 1.000 espetadores.

Anúncio

Futebol

UEFA: É “prematuro” e “injustificado” terminar campeonatos

Covid-19

em

Foto: UEFA (Arquivo)

A UEFA considera ser “prematura” e “injustificada” a decisão de suspender em definitivo qualquer liga nacional, cuja esmagadora maioria está suspensa provisoriamente devido à pandemia da covid-19.

Em carta dirigida a federações, ligas e clubes, a que a AFP teve acesso, a UEFA diz-se “confiante” no regresso à atividade das provas nacionais “nos próximos meses”, em contraponto com o que foi decidido pela Liga belga, que recomendou o fim do campeonato principal da época 2019/20.

A mensagem da UEFA, assinada pelo presidente Aleksander Ceferin, é apresentada conjuntamente com a Associação Europeia de Clubes e a Associação de Ligas Europeias.

“Pensamos que qualquer decisão de abandonar as competições domésticas é, neste momento, prematura e injustificada”, refere a carta, com a UEFA a esperar que os campeonatos se possam concluir, mas também as competições europeias, em julho ou agosto.

A Liga belga decidiu na quinta-feira recomendar o fim da época 2019/20 com a classificação atual – o que fará do Club Brugge campeão -, uma decisão que terá ainda que ser ratificada em assembleia geral, em 15 de abril.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de um milhão de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 51 mil. Dos casos de infeção, cerca de 190.000 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia, e o continente europeu é neste momento o mais atingido, acima de 525 mil infetados e de 37 mil mortos.

Em Portugal, que está em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 17 de abril, registaram-se 209 mortes e 9.034 casos de infeções confirmadas, segundo o balanço feito na quinta-feira pela Direção-Geral da Saúde.

Continuar a ler

Desporto

Braga melhor que Porto e Sporting na formação de jogadores, diz diretor

SC Braga

em

Foto: Divulgação / SC Braga (Arquivo)

O SC Braga é o segundo clube de futebol em Portugal na formação, só atrás do Benfica, defendeu hoje Hugo Vieira, diretor executivo dessa área do clube minhoto.

“Com toda a honestidade, e porque conheço todas as realidades a nível nacional e algumas internacionais, por aquilo que o SC Braga tem feito, o que temos à disposição em termos de infraestruturas e de recursos humanos, o SC Braga é, neste momento, o segundo clube em Portugal [na formação]”, afirmou o dirigente em videoconferência com a comunicação social.

Para Hugo Vieira, os bracarenses estão à frente de Sporting e FC Porto e só perdem para as ‘águias’.

“O Benfica lidera neste momento a formação. Vivemos com objetividade e, neste momento, é o clube com melhores condições em Portugal”, afirmou.

Segundo dados de Hugo Vieira, o SC Braga tem 15 equipas de competição e 230 atletas, mais as escolinhas em vários polos, que movimentam mais cerca de 800 crianças.

Entre funcionários, colaboradores, técnicos, médicos e fisioterapeutas, a cidade desportiva, casa da formação ‘arsenalista’, alberga 116 pessoas.

O antigo jogador (defesa-central que passou por Braga, italianos da Sampdoria, Sporting, Vitória de Setúbal e Beira-Mar) afirmou que a aposta na formação pelo clube liderado por António Salvador é cada vez maior e “por convicção, não por necessidade”.

A intenção passa por ter uma base alargada de jogadores de qualidade e contratados cada vez mais cedo.

“Temos investido fortemente no ‘scouting’ para termos a tal base maior e mais forte, mas a nossa estratégia é só a pensar em nós. Há quem pense em contratar o máximo de miúdos possível para secarem o que está à volta, mas nós optamos por contratar só os que precisamos”, disse.

Hugo Vieira destacou a crescente chamada de atletas dos vários escalões às seleções nacionais respetivas e revelou que os próximos talentos a “dar cartas” na equipa principal, como Pedro Neto (hoje no Wolverhampton) ou Trincão (FC Barcelona na próxima época), constam de “um documento interno”.

O diretor executivo da formação disse ainda ser “um orgulho imenso para toda a estrutura ver os ‘Trincões’ da vida singrarem e seguirem o seu caminho: os campeonatos serão bem-vindos, mas essas são as nossas grandes vitórias”, disse numa alusão à transferência de Trincão, em janeiro, por 31 milhões de euros, para o colosso catalão.

A formação alimentar a equipa principal “é claramente um objetivo do clube” e o seu treinador “deve estar dentro desse pensamento”, frisou.

“Porque podemos fazer um ótimo trabalho desde os petizes até à equipa B, mas depois, se as portas não estiverem abertas, não faria sentido algum, mas isso não tem acontecido”, disse.

Hugo Vieira disse ainda concordar com a decisão da Federação Portuguesa de Futebol em terminar todos os campeonatos dos escalões mais jovens.

“A nossa vontade é que isso não tivesse acontecido, mas foi a decisão mais sensata e tivemos que acatar. Tudo vamos fazer para que [os jogadores] percam o menos possível e, sem nunca pôr em causa a saúde de ninguém, estaremos preparados para podermos reatar os treinos”, disse.

Considerou ainda que o confinamento provocado pela covid-19 “vai trazer um novo futebol”, considerando que outros clubes passarão a apostar mais na formação, e lamentou a situação vivida em Itália por causa da pandemia, país onde jogou durante três temporadas (1997-2000), na Sampdoria.

“É uma situação que me preocupa. As pessoas transmitem-me que estão a viver um cenário de guerra. Tenho um amigo em Bergamo, um dos sítios mais fustigados, e ele só me diz que espera que nós não passemos o que eles estão a passar”, disse.

Continuar a ler

Desporto

Braga apoia com 515 mil euros equipas de formação

Reunião de câmara

em

Foto: DR / Arquivo

São cerca de 515 mil euros. A Câmara de Braga vota segunda-feira, em reunião do Executivo, uma proposta do pelouro do Desporto de assinatura de um contrato-programa com o Sporting Clube de Braga para a época desportiva 2019/2020 de 349.500 euros.

A minuta do acordo, da autoria da vice-presidente Sameiro Araújo, refere que o contributo municipal se destina a um plano de formação de atletas de várias modalidades, integrando, ainda, a cedência de espaços desportivos municipais, caso da piscina grande do Complexo da Rodovia, do Campo da Ponte, do estádio 1.º de maio, e do polidesportivo da Rodovia. Este apoio, se fosse pago, através de aluguer, correspondia a uma verba de 385 mil euros.

Já o subsídio monetário de 349 mil, será pago em cinco prestações. O contrato estipula que a verba não pode ser utilizada para outros fins.

Na ocasião, os vereadores da coligação PDS/CDS, bem como os da oposição, PS e CDU, nalisam uma proposta idêntica de apoio à Associação de Futebol de Braga, de 150 mil euros, neste caso para o pagamento dos custos de inscrição, seguros e cartões dos atletas dos escalões de formação (juniores, juvenis, iniciados, infantis e benjamins). Para apoio à formação, são propostos, ainda, 15 mil euros para o Arsenal Clube da Deveza.

Continuar a ler

Populares