Seguir o O MINHO

Futebol

Vitória está “saudável em termos mentais e físicos”

Vitória recebe oBoavista, em Guimarães, na estreia no campeonato

em

O treinador do Vitória SC, Ivo Vieira, afirmou hoje que a sua equipa precisa de “empenho e dedicação” para derrotar o Boavista, no domingo, em partida da segunda jornada da I Liga portuguesa de futebol.


Após cinco triunfos em cinco jogos oficiais, para a Liga Europa e para a Taça da Liga, com um registo de 15 golos marcados e nenhum sofrido, a turma vitoriana vai estrear-se no campeonato com a intenção de superar um rival que, teoricamente, apresenta um “grau de dificuldade” superior ao dos encontros anteriores.

“Vamos encontrar uma equipa competitiva, com um grau de dificuldade que poderá aumentar pela capacidade do adversário. Mas isso pode também aumentar o nosso empenho e a nossa dedicação. Vamos tentar ser mais competentes dentro do jogo”, disse, na antevisão ao encontro agendado para as 18:30, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

O treinador considerou que a formação ‘axadrezada’ vai ser mais difícil do que Jeunesse Esch (Luxemburgo), Feirense, da II Liga, e Ventspils (Letónia), por “conhecer melhor a estrutura e os atletas do Vitória”, mas prometeu um Vitória sempre de ‘olhos’ na baliza adversária, independentemente da postura mais defensiva ou ofensiva do adversário.

“A nossa paciência é procurar a baliza do adversário, procurar fazer golo. Faz todo o sentido que seja assim, porque eu não consigo ver o jogo de outra forma. Se não o conseguirmos fazer, é por mérito do adversário e nunca por iniciativa nossa. Em termos estratégicos, não me cabe a mim o que o Boavista vai fazer”, reiterou.

Questionado sobre o maior ritmo competitivo da sua equipa e as vantagens que daí podem surgir, Ivo Vieira afirmou que só o desempenho dentro de campo poderá dar a resposta a essa questão, tendo ainda revelado que vai escolher os 11 jogadores que considerar mais aptos.

Apesar de ter dito que escolhe sempre os jogadores que “ganham espaço na equipa pelo que fazem à semana e por mérito próprio”, o ‘timoneiro’ vitoriano admitiu que a gestão do plantel pode influenciar a escolha do ‘onze’ para domingo, até porque se segue a primeira mão do ‘play-off’ da Liga Europa, na Roménia, com o FCSB [ex-Steaua de Bucareste], na quinta-feira.

“Se os jogadores fizeram três jogos numa semana, os que não fizeram vão estar mais capazes em termos físicos. Escolho os melhores para cada jogo. Mas há a questão da gestão, por causa do número de jogos e da condição física”, explicou.

O treinador frisou ainda que a equipa está “saudável em termos mentais e físicos” pelos resultados anteriores e também pela expetativa de ter muito apoio nas bancadas.

Ivo Vieira falou também sobre a contratação de Bruno Duarte, um ponta de lança brasileiro que jogava no Lviv, da Ucrânia, tendo dito que a equipa necessitava de “um jogador com outras características nessa posição” para continuar a ser competitiva no último terço do terreno.

O Vitória SC, que ainda não se estreou na prova devido ao adiamento do seu jogo da primeira jornada frente ao Rio Ave, recebe o Boavista, quarto classificado da I Liga de futebol, com três pontos, em jogo agendado para as 18:30 de domingo, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

Anúncio

Futebol

Benfica regressa com exames médicos no sábado e já treina na segunda-feira

Futebol

em

Foto: Twitter / Benfica

A equipa de futebol do Benfica regressa ao trabalho para a época 2020/21 no sábado, uma semana depois de terminar a anterior época, com a derrota na final da Taça de Portugal, confirmou hoje o clube da Luz.

Na ‘newsletter’ diária, é confirmado que o plantel ‘encarnado’ realizará exames médicos no sábado, testes físicos no domingo e que os treinos arrancam na segunda-feira, já às ordens do treinador Jorge Jesus, oficializado por dois anos há dois dias.

A necessidade de iniciar trabalho mais cedo surge em resultado do segundo lugar na I Liga, com o Benfica a ter de disputar a terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões, no que será o primeiro jogo da época, em 15 ou 16 de setembro.

Desta vez, e face às restrições de calendário impostas pela covid-19, a terceira pré-eliminatória será a um único jogo e o sorteio acontecerá em 31 de agosto, um dia antes do sorteio do ‘play-off’.

Caso ultrapasse a terceira ronda preliminar, o Benfica chegará então ao ‘play-off’, já a duas mãos (15 ou 16 de setembro e 22 ou 23 de setembro), numa época em que já está definido que o início da I Liga será no fim de semana de 20 de setembro.

Os russos do Krasnodar, ‘carrascos’ na mesma fase do FC Porto em 2019/20, e os franceses do Rennes são dois dos possíveis adversários do Benfica na terceira pré-eliminatória.

Jorge Jesus regressa a um cargo que ocupou entre 2009/10 e 2014/15, período em que conquistou 10 títulos, nomeadamente, três campeonatos, uma Taça de Portugal, uma Supertaça e cinco edições da Taça da Liga.

Continuar a ler

Futebol

Wellington Luís abandona Gil Vicente

I Liga

em

Foto: DR

O guarda-redes brasileiro Wellington Luís abandonou o Gil Vicente, terminando uma ligação de duas temporadas à formação de Barcelos, confirmou hoje à Lusa fonte do clube que alinha na I Liga de futebol.

O guardião, de 25 anos, jogou duas vezes para a Taça da Liga e foi um dos quatro elementos que sobraram da estrutura de transição montada pelos minhotos em 2018/19, temporada em que competiram, sem contar para a classificação, no Campeonato de Portugal, antecedendo o regresso administrativo ao escalão principal, após o ‘caso Mateus’.

Com formação repartida entre os brasileiros do Internacional e do Novo Hamburgo, Wellington Luís assinou pelo Marítimo em 2014, evoluindo ao serviço da equipa B dos insulares, antes de transitar para o Salgueiros, há três anos.

Ainda sem reforços anunciados para 2020/21, os ‘galos’ já tinham confirmado o fim dos empréstimos do guarda-redes Bruno Diniz, do defesa Arthur Henrique, do médio Bozhidar Kraev e dos avançados Sandro Lima, Yves Baraye e Zakaria Naidji.

O Gil Vicente oficializou na segunda-feira Rui Almeida como sucessor de Vítor Oliveira, que conduziu os ‘galos’ a uma campanha tranquila na I Liga em 2019/20, culminada na 10.ª posição, com 43 pontos, 10 acima da zona de despromoção.

Continuar a ler

Futebol

Rui Almeida fixa “objetivo primário” de consolidar Gil Vicente na I Liga

I Liga

em

Foto: Imagem Gil Vicente TV

O treinador Rui Almeida desejou hoje um Gil Vicente capaz de consolidar uma posição estável na próxima edição da I Liga de futebol, assente numa equipa “preparada para disputar sempre a vitória” em qualquer estádio.

“Depois de uma época fantástica, tenho essa responsabilidade. O objetivo primário é consolidar a estabilidade do clube e não andar apenas a lutar pela manutenção. Vamos ser competitivos e disciplinados, mas com grande coração, para emocionar e atrair o adepto”, apontou o técnico, numa conversa promovida pelos minhotos nas redes sociais.

Após cinco anos nos dois principais escalões franceses, Rui Almeida admitiu ser “um orgulho” regressar ao futebol português, no qual irá abraçar a primeira experiência como treinador principal, tendo revelado uma “enorme atração” pelo projeto do Gil Vicente, que aporta um “crescendo natural” motivado por um “campeonato meritório” em 2019/20.

“Fiquei muito feliz, mas não surpreendido. Há que aproveitar essa base feita de pessoas competentes e acrescentar alguma coisa. Importa que todos os jogadores encaixem e percebam as definições de família deste clube. As questões técnicas são fundamentais, mas a expressão individual vai assentar sempre numa dimensão coletiva”, frisou.

O antigo adjunto de Jesualdo Ferreira substitui o conceituado Vítor Oliveira, que conduziu os ‘galos’ a uma a uma campanha tranquila na I Liga, culminada na 10.ª posição, com 43 pontos, 10 acima da zona de despromoção, numa temporada assinalada pelo regresso administrativo à elite, a partir do Campeonato de Portugal, após o ‘caso Mateus’.

“É uma prova competitiva e com um nível elevado de treinadores e jogadores. É preciso estarmos preparados para essa dificuldade, sabendo que temos valor. Quando saem alguns jogadores, naturalmente precisamos de qualidade. Buscamos sempre qualidade no perfil humano, sendo que uma das obrigações é valorizar os atletas”, observou.

Ultrapassada uma “época longa, desgastaste e incerta” devido à pandemia de covid-19, Rui Almeida espera que os atletas aproveitem as férias para fomentar o “descanso emocional”, recomendando uma atitude “responsável e tranquila” perante uma “realidade incontornável e nova a vários níveis”, que implica a ausência de público nos estádios.

“Espero que isto seja ultrapassado rapidamente, mas não depende só de nós. Tenho alguma experiência de jogos à porta fechada. No Zamalek, vivi muito essa realidade em virtude da situação no Egito. Sei bem que não é fácil para ninguém. Na ausência de adeptos, os jogadores e os treinadores têm de ser o gatilho da emoção do jogo”, alertou.

O técnico, de 50 anos, antecipa uma temporada de “emoções fortes” em Barcelos, onde quer seduzir a massa associativa através da “entrega excecional” dos jogadores, traduzindo em resultados “aquela máxima de ganhar sem ser de qualquer maneira”.

“Acima de tudo, vou tentar que os adeptos saiam do estádio no final de um jogo e estejam geralmente ansiosos pelo próximo. Se conseguirmos fazer isso, fico imensamente feliz e significa que fizemos bem o nosso trabalho. Ninguém foge à parte racional da vitória, mas muitos adoram o futebol pela forma emocional como estamos em campo”, concluiu.

Continuar a ler

Populares