Seguir o O MINHO

Vitória SC

Vitória e ex-direção absolvidos de crime de abuso de confiança fiscal

Liderada por Júlio Mendes

em

Foto: DR/Arquivo

O Vitória SC e a ex-direção liderada por Júlio Mendes foi hoje absolvida do crime de abuso de confiança fiscal qualificado, relativo à apropriação de 219.259 euros de IRS.

“Pelos depoimentos das testemunhas, sempre dados de forma isenta, credível e objetiva, não é possível fazer prova da acusação. Assim sendo, absolve-se todos eles [arguidos], sem custas”, referiu a juiz do Juízo Local Cível de Guimarães, ao proferir a sentença do processo.

A acusação do Ministério Público, divulgada em 10 de julho de 2016, pela Procuradoria-Geral Distrital do Porto, fazia referência a uma prestação de IRS relativa a dezembro de 2011, data em que Emílio Macedo da Silva presidia ainda o clube, antes de se ter demitido, em fevereiro de 2012.

Empossada em 10 de abril de 2012, a direção composta pelo presidente Júlio Mendes e pelos vice-presidentes Armando Marques, Hugo Freitas, Francisco Príncipe e Luís Cirilo não liquidou essa prestação em dívida à Autoridade Tributária (AT) em 30 de abril de 2012, dia em que pagou aos futebolistas os salários de dezembro de 2011, então em atraso, salientou ainda a acusação.

Na sentença, a juiz disse ter ficado provado que a então recém-eleita direção “não cometeu dolo e fez tudo de acordo com as diligências que deveria ter feito”.

“Esta não é uma absolvição formal, como acontece num crime que prescreveu, ou prévia. Aqui, fez-se prova de que os arguidos não cometeram nenhum crime”, reiterou.

À saída do tribunal, o antigo presidente vitoriano realçou o “cuidado do tribunal” em “frisar que nunca existiu dolo” naquilo que a sua direção fez, tendo reparado “um conjunto de equívocos” que o “assolou” nos últimos sete anos – Júlio Mendes foi presidente do Vitória entre 2012 e 2019, ano em que se demitiu.

O ex-dirigente lembrou ainda que o processo começou devido aos incumprimentos da direção que antecedeu os seus mandatos – em julho de 2016, Emílio Macedo da Silva e o Vitória SC foram condenados a pagar outras prestações de IRS e de IVA em dívida, relativas ao período entre julho de 2011 e fevereiro de 2012.

Júlio Mendes sublinhou ainda que os 219.259 euros relativos a dezembro de 2011 foram incluídos no Procedimento Extrajudicial de Consolidação (PEC) em que acordou pagar as dívidas do clube à AT num prazo de 12 anos (no final da época 2011/12, esse valor inserido no PEC era de cerca de 2,8 milhões de euros).

Anúncio

Futebol

Welthon para “algumas semanas” devido a entorse no joelho direito

Avançado do Paços de Ferreira emprestado pelo Vitória

em

Foto: Twitter

O avançado Welthon, que representa o Paços de Ferreira por empréstimo do Vitória SC, sofreu uma entorse no joelho direito e vai parar “algumas semanas”, confirmou hoje fonte ligada ao clube da I Liga de futebol.

Welthon foi substituído ao intervalo do jogo em que o Paços acabaria venceu o Tondela (1-0), na última jornada do campeonato, com problemas no joelho direito, confirmando-se que as queixas que motivaram a assistência ainda em campo, em duas ocasiões, resultaram de uma entorse.

Fonte do clube pacense disse à agência Lusa que o jogador vai ser sujeito a uma ressonância para avaliar a extensão da lesão, adiantando que o tempo de paragem deverá ser “prolongado”, estimando que se prolongue por “algumas semanas”.

Os centrais André Micael e Marco Baixinho, também aos cuidados do departamento médico, continuam em tratamento às lesões musculares que os têm mantido afastados da competição, embora o regresso de Baixinho esteja mais perto, prevendo-se a sua reintegração nos trabalhos da equipa na próxima semana.

A paragem nos campeonatos para dar lugar aos trabalhos das seleções também acabou por desfalcar o plantel pacense, com Oleg e Dadashov a integrarem as seleções da Moldávia e do Azerbaijão, respetivamente. Matchoi está ao serviço dos sub-17 de Portugal.

Continuar a ler

I Liga

Ivo Vieira antecipa Dérbi do Minho com “bom futebol” e quer Vitória “equilibrado”

11.ª jornada

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

O treinador do Vitória SC, Ivo Vieira, disse hoje esperar momentos de “bom futebol” frente ao SC Braga, no domingo, na 11.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, e pediu equilíbrio aos seus jogadores.

“O Vitória é uma equipa que cria bom futebol e o Braga também procura jogar bem, [exibir] um futebol de ataque. Nós e o Braga estamos nesse lote das cinco ou seis equipas que mais procuram a baliza do adversário e dar qualidade do jogo, pelo menos nesta fase do campeonato”, reiterou o técnico, na conferência de imprensa de antevisão ao encontro marcado para as 20:00, em Guimarães.

https://twitter.com/VitoriaSC1922/status/1193157589766475776

Atual quinta classificada, com 16 pontos, a formação vitoriana tem quatro de vantagem para o rival minhoto, 11.º da tabela, mas o técnico madeirense afirmou que o seu plantel precisa de conjugar a organização em campo com a vontade de vencer para somar os três pontos e alcançar um “conforto” de sete pontos sobre um “adversário direto” na luta pelos lugares cimeiros.

“O cerne da questão é sermos equilibrados dentro do jogo e querermos tanto vencer como os nossos adeptos. Vamos querer tanto como eles, mas isso, dentro do jogo, não pode ultrapassar a nossa organização e os nossos equilíbrios. A intensidade e a vontade vão lá estar, mas o discernimento também tem de estar”, frisou.

O Vitória SC, prometeu Ivo Vieira, vai “procurar a baliza do adversário o mais possível”, à semelhança de outras partidas já disputadas nesta época, mas também apresentar-se ciente do poderio bracarense no ataque organizado, com “jogadores rápidos e possantes”, quer no contra-ataque, momento, a seu ver, “bem trabalhado” pelo conjunto treinado por Ricardo Sá Pinto.

O treinador dos vimaranenses concordou ainda que a sua equipa tem “tido grandes desempenhos em jogos de grande dimensão”, até porque os jogadores costumam aí ter mais tempo para decidir face aos encontros em que têm de ultrapassar formações recuadas, mas admitiu que os resultados não têm correspondido.

O duelo entre vitorianos e ‘arsenalistas’ em Guimarães mobilizou pelo menos 20.000 adeptos nas últimas três épocas, com Ivo Vieira a reconhecer que o jogo é “diferente” pelo “entusiasmo” com que se vive.

“Independentemente do número de pontos [das equipas], seria sempre um jogo fundamental para os vitorianos ganharem”, observou.

Habituado a mudar o ‘onze’ face ao número de jogos a que o Vitória está sujeito desde o início da época – já realizou 22, repartidos por I Liga, Taça de Portugal, Taça da Liga e Liga Europa -, o técnico vai fazê-lo novamente devido à suspensão de Mikel Agu (cinco amarelos), mas considerou que o rendimento não tem oscilado face à “qualidade dos jogadores” e ao trabalho durante a semana.

Continuar a ler

I Liga

Sá Pinto quer ir a Guimarães vencer para o Braga começar a subir

11.ª jornada

em

Foto: Facebook de SC Braga

O treinador Ricardo Sá Pinto disse hoje que o SC Braga quer ir a Guimarães vencer o Vitória, no domingo, na 11.ª jornada da I Liga de futebol, para começar a subir na tabela classificativa.

“É um grande jogo, um dérbi, no qual vamos querer lutar arduamente pelos três pontos porque é a nossa forma de estar em todos os jogos e porque sentimos que temos de subir definitivamente na tabela e, para isso, precisamos de pontos. Na 11.ª jornada não se decide nada, mas, sem dúvida, era importante conseguir estes três pontos”, frisou na conferência de imprensa de antevisão da partida.

O técnico considerou ainda que a exigência é maior no SC Braga do que no Vitória SC.

“Nesta altura é, temos objetivos e responsabilidades diferentes do que o Vitória SC, que está bem no campeonato, mas nas outras competições não está ao nosso nível. O Braga, nos últimos anos, tem estado sempre nos quatro primeiros lugares, é considerado já um dos ‘grandes’ e a pressão é diferente”, disse.

No campeonato, os ‘arsenalistas’ vêm de uma derrota com o Boavista (2-0) e empate caseiro com o Famalicão (2-2), o que motivou mesmo uma intervenção crítica do presidente, António Salvador, mas Sá Pinto preferiu destacar que, nos últimos 10 jogos, em todas as competições, a equipa somou sete vitórias, dois empates e apenas uma “derrota injusta”.

Apesar de estar há pouco tempo em Braga, o treinador disse estar ciente da “grande importância” que os adeptos dão ao ‘clássico’ minhoto.

“É um jogo que todos os adeptos querem que o Braga ganhe e tudo iremos fazer para que isso aconteça. Vai ser um jogo difícil, muito competitivo e de grande emocionalidade, de grande paixão dos nossos adeptos e, também, de máxima exigência a todos os níveis, sobretudo na concentração e nos detalhes, que podem fazer a diferença”, disse.

Sá Pinto elogiou o Vitória SC, “uma boa equipa, que está a jogar em casa e ambiciona também os lugares europeus”.

“Está recheada de jogadores de qualidade, como o Lucas Evangelista, o João Carlos Teixeira, o Edwards, o Davidson ou o Bonatini. São jogadores muito criativos ofensivamente e temos de ter cuidado porque, tendo espaço, podem desequilibrar”, avisou.

O técnico, contudo, disse discordar da opinião dos treinadores do Tondela, Natxo González, e do Vitória, Ivo Vieira, que consideraram recentemente que a equipa de Guimarães é a que melhor futebol pratica em Portugal.

“Tenho de respeitar a opinião dos colegas, mas tenho uma opinião diferente”, disse apenas.

Hassan é baixa certa para o desafio de domingo por ter sofrido uma lesão meniscal no joelho direito o que obrigou a uma intervenção cirúrgica e a uma paragem entre quatro a seis semanas.

SC Braga, 11.º classificado, com 12 pontos, e Vitória SC, quinto, com 16, defrontam-se a partir das 20:00 de domingo, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares