Seguir o O MINHO

Futebol

Goleada no primeiro triunfo do Vitória na Liga

Contra o Aves

em

O Vitória Sport Club (SC) estreou-se hoje a vencer na I Liga portuguesa de futebol, ao golear o Desportivo das Aves por 5-1, numa partida da quinta jornada em que foi melhor na segunda parte, após uma primeira equilibrada.

Após ter chegado à vantagem com um golo de André Pereira, aos 11 minutos, a equipa de Guimarães sofreu o empate aos 18, por Enzo, mas adiantou-se novamente por Tapsoba (40), dilatando o resultado na segunda parte, com golos de Beunardeau (69, na própria baliza), Pêpê (77) e Guedes (90+4), frente a um Aves perigoso no ataque, mas frágil na defesa.

Com este triunfo caseiro, a formação de Ivo Vieira ascendeu à oitava posição, com seis pontos, enquanto a formação avense, a defesa mais batida da prova, com 16 golos sofridos, ocupa o 16.º lugar, com três pontos.

Os vimaranenses apresentaram o quinto ‘onze’ diferente para outros tantos jogos na I Liga, com o avançado Léo Bonatini a cumprir a estreia absoluta, e tentou logo instalar-se no meio-campo adversário, com trocas de bola rápidas.

Acostumado a jogar com quatro defesas nas rondas anteriores, o Aves começou a partida num sistema tático 5x3x2, e, apesar da atitude defensiva, até criou a primeira ocasião, num canto direto de Mato Milos que Mikel Agu cortou em cima da linha de baliza, ao minuto oito.

Na resposta, a equipa anfitriã inaugurou o marcador: depois de alguma confusão na área avense, Mikel ganhou de cabeça e a bola sobrou para André Pereira rematar certeiro, de primeira, para o fundo das redes.

A formação de Ivo Vieira tentou segurar a bola a um ritmo mais baixo para manter o controlo da partida, mas viu as suas intenções frustradas ao minuto 18, quando Douglas falhou a interceção da bola na sequência de um canto e Enzo limitou-se a cabecear para a baliza deserta.

Com o empate, os pupilos de Augusto Inácio começaram a jogar mais tempo no meio-campo contrário, mas, até ao final da primeira parte, os lances de perigo dividiram-se.

Depois de um remate de Denis Poha para defesa de Beunardeau, ao minuto 31, a equipa vimaranense recolocou-se em vantagem aos 40, num cabeceamento de Tapsoba, após canto de Rochinha.

O Aves também ameaçou a baliza de Douglas, num remate de Mohammadi, aos 37 minutos, e num desvio de Enzo por cima, junto à pequena área, aos 43.

O Vitória melhorou após o reatamento e, nos primeiros 20 minutos do segundo tempo, desperdiçou quatro ocasiões para dilatar o resultado: remate de Lucas Evangelista travado por Beunardeau (50 minutos), remate de André Pereira ao lado (53), cabeceamento de Tapsoba por cima (57) e remate de Léo Bonatini ao lado (65).

À quinta tentativa, a equipa de Guimarães marcou mesmo, com Rochinha a entrar na área pelo lado esquerdo e a desferir, junto à linha final, um remate que bateu na mão do guardião avense e se encaminhou para dentro da baliza, aos 69 minutos.

A equipa de Augusto Inácio lançou-se definitivamente no ataque, mas sofreu mais dois golos, pelo recém-entrado Pêpê, aos 77 minutos, e por Guedes, aos 90+4, em remates próximos da baliza.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

Vitória de Guimarães – Desportivo das Aves, 5-1.

Ao intervalo: 2-1.

Marcadores:

1-0, André Pereira, 11 minutos.

1-1, Enzo Zidane, 18.

2-1, Tapsoba, 40.

3-1, Beunardeau, 69 (própria baliza).

4-1, Pêpê, 77.

5-1, Guedes, 90+4.

Equipas:

– Vitória de Guimarães: Douglas, Sacko, Tapsoba, Pedro Henrique, Florent, Mikel Agu, Rochinha, Dénis Poha (Pêpê, 76), André Pereira (Rafa Soares, 81), Lucas Evangelista e Léo Bonatini (Alexandre Guedes, 66).

(Suplentes: Miguel Silva, Bondarenko, Rafa Soares, Pêpê, André Almeida, Bruno Duarte e Alexandre Guedes).

Treinador: Ivo Vieira.

– Desportivo das Aves: Beunardeau, Mato Milos, Simunec, Dzwigala, Hélder Balde, Bruninho (Miguel Tavares, 57), Luiz Fernando (Rúben Macedo, 62), Falcão, Enzo Zidane, Welinton (Kahraba, 75) e Mehrdad Mohammadi.

(Suplentes: Szymonek, Jaílson, Estrela, Bruno Xavier, Kahraba, Rúben Macedo e Miguel Tavares).

Treinador: Augusto Inácio.

Árbitro: Nuno Almeida (AF Algarve).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Enzo Zidane (10), Falcão (26), André Pereira (54), Luiz Fernando (62), Alexandre Guedes (75) e Dénis Poha (76).

Assistência: 14.529 espetadores.

Anúncio

Futebol

“Realizámos um jogo muito bom”

3.ª eliminatória da Taça de Portugal

em

Declarações após o jogo Casa Pia-Vizela (1-3), da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, realizado hoje no Campo Engenheiro Carlos Salema, em Marvila, Lisboa:

Álvaro Pacheco (treinador do Vizela): “A vitória é inteiramente justa. Realizámos um jogo muito bom e fomos uma equipa muito inteligente. Conhecíamos o Casa Pia, sabíamos que tínhamos de os colocar numa zona de desconforto e termos bola. O ritmo foi elevado e bom de se ver, com duas equipas sempre à procura do golo, mas o Vizela foi superior em todos os momentos. Tivemos imensas oportunidades para dilatar ainda mais o marcador.

O resultado espelha aquilo que se passou. Acreditamos em todos os jogos que somos capazes de lutar pela vitória. Se formos fiéis ao que treinamos e acreditamos, estaremos sempre mais perto de ganhar. O nosso foco é esse. O estado emocional do adversário não era tão bom como o nosso. Temos de ter sempre esta ambição de, em qualquer lado, nos impormos.

Quem trabalha com este grupo diariamente vê o empenho e a dedicação deles. No final do jogo, reconheci o trabalho que eles têm vindo a fazer. Nós, treinadores, somos aquilo que os jogadores nos dão. Têm-me feito um bom treinador.”

Rui Duarte (treinador do Casa Pia): “O Vizela foi muito melhor que nós e só temos de lhes dar os parabéns. Temos de rever e mudar comportamentos. Tem a ver com compromisso, sentir o que estamos a fazer como equipa. Estamos numa liga profissional, somos uma equipa profissional e temos de fazer por isso. Passam-se aqui coisas inacreditáveis. Ou mudamos a nossa ideia de como levamos a vida, ou então obviamente vai ser muito difícil. Não basta chegar ao balneário, tomar banho e está feito. São coisas que vão ser discutidas internamente.

Continuo a acreditar nos jogadores e que temos uma boa ideia de jogo. É possível atingir o objetivo. Vou dedicar-me cada vez mais para que isso aconteça, mas preciso que alguém me acompanhe. O futebol é compromisso, espírito de sacrifício e sentimento. É muito mais do que um jogo, é preciso ter coração e alma. Se não a temos, torna-se difícil ultrapassar obstáculos.

Andar com a casa às costas não ajuda, mas temos de viver com isso. Temos de ser ainda mais profissionais e conscientes daquilo que temos pela frente. Temos de ser mais unidos, no sentido de poder, dentro desses problemas ao redor da equipa, ir para cada treino ou jogo construir uma identidade. Esta equipa não tem identidade e precisa de uma identidade. Precisamos de homens que sintam e que sofram, que pensem no que vai mal e corrigir no próximo jogo aquilo que correu mal. Não pode ser só a equipa técnica a trabalhar nisso.

Vamos agora concentrar-nos naquilo que é mais importante no clube, mas era um objetivo seguir em frente. É uma prova bonita, com um carisma muito grande.”

Continuar a ler

Futebol

Famalicão elimina Lourosa no desempate por grandes penalidades

3.ª eliminatória da Taça de Portugal

em

Foto: Facebook de FC Famalicão

O Famalicão venceu hoje o Lourosa por 6-5 no desempate por grandes penalidades, em jogo da 3ª eliminatória da Taça de Portugal, disputado no Estádio do Lusitânia, após um empate sem golos no tempo regulamentar e no prolongamento.

Anderson, aos 69 minutos, colocou o Famalicão em vantagem, mas Goba Zakpa aproveitou uma falha do guarda-redes Vaná (90+1)para assegurar a igualdade para a equipa do Campeonato de Portugal, levando o jogo para prolongamento, período em que se registou uma igualdade sem golos.

No desempate por grandes penalidades, o Famalicão foi mais forte, vencendo por 6-5 e garantindo a presença na 4.ª eliminatória da Taça de Portugal.

Depois de um início prometedor do Famalicão, exercendo pressão na frente de ataque, foi o Lourosa quem dispôs da primeira oportunidade perigosa, com uma remate potente de Serginho que parou nas mãos de Vaná, aos 12 minutos.

O Famalicão manteve o seu caudal ofensivo e aos 27 minutos Guga rematou colocado dentro da área para uma boa defesa de Wilson Soares (27), com a resposta do Lourosa a surgir dos pés de Léo, que rematou por cima da barra entre os centrais do Familicão (36).

A fechar a primeira parte, o Famalicão desperdiçou uma grande oportunidade para se colocar em vantagem, quando Toni Martinez, já dentro da pequena área e com a baliza à sua mercê, rematou ao lado (45).

A equipa de João Pedro Silva teve uma entrada forte na segunda parte e esteve perto de inaugurar o marcador quando Diogo Gonçalves aproveitou um ressalto para surgir isolado na área, com Wilson Soares a defender por instinto o cabeceamento do avançado, aos 54 minutos.

O Famalicão acabou por chegar à vantagem aos 69 minutos, depois de a bola ter sofrido um desvio num livre apontado por Patrick William, e com Anderson a surgir isolado à entrada da pequena área para bater Wilson Soares.

A perder, o Lourosa apostou tudo no ataque e esteve perto de empatar aos 80 minutos, quando Jaime Poulson rematou ao lado do poste da baliza de Vaná.

Já em período de compensação, o Lourosa chegou à igualdade quando Goba Zakpa aproveitou uma saída em falso do guarda-redes Vaná, que dominou mal o esférico (90+1).

No prolongamento, o equilíbrio foi a nota dominante, mas o Famalicão foi mais audaz na fase inicial, com Fábio Martins a dispor de uma oportunidade para marcar, ao rematar contra um adversário à entrada da pequena área, com a bola a sair ao lado da baliza de Wilson Soares (95).

Perto do final do prolongamento, Anderson falhou o remate quando surgiu isolado na área após uma desatenção da defesa do Lourosa (117), com o Lourosa a ficar reduzido a dez unidades pouco depois, após expulsão de Carvalho (102+1).

No desempate por grandes penalidades o Famalicão foi mais forte, com Lionn a confirmar o triunfo por 6-5.

Ficha de Jogo

Jogo disputado no Estádio do Lusitânia, em Lourosa.

Feirense – Lusitânia de Lourosa: 1-1.

Ao intervalo: 0-0.

Final tempo regulamentar: 1-1.

Pimeira parte prolongamento: 1-1.

Prolongamento: 0-0.

Marcadores:

0-1, Anderson, 69 minutos.

1-1, Goba Zakpa, 90+1.

Marcadores no desempate por grandes penalidades:

1-0, Ministro.

1-0, Fábio Martins (defesa do guarda-redes).

2-0, Gil Dias.

2-1, Anderson.

3-1, Paulo Tavares.

3-2, Pedro Gonçalves.

4-2, Jaime Poulson.

4-3, Patrick William.

4-3, Hélder Castro (defesa do guarda-redes).

4-4, Ruben Lameiras.

5-4, Goba Zakpa.

5-5, Guga.

5-5, Paulo Grilo (ao lado).

6-5, Lionn.

Equipas:

– Lusitânia de Lourosa: Wilson Soares, Vitinha, Gil Dias, Carvalho, Serginho (Hélder Castro, 86), Ministro, Paulo Grilo, Diogo Cunha (Paulo Tavares, 69), Júlio Alves (Jaime Poulson, 63), Léo (Dinis, 112) e Goba Zakpa.

(Suplentes: Leonardo, Paulo Tavares, Hélder Castro, Dinis, Jaime Poulson, Fellipe Andrade e João).

Treinador: Rui Quinta.

– Famalicão: Vaná, Lionn, Nehuen, Riccieli (Patrick William, 46), Tymon, Gustavo Assunção, Racic (Pedro Gonçalves, 83), Guga, Diogo Gonçalves (Ruben Lameiras, 91), Fábio Martins e Toni Martinez (Anderson, 67).

(Suplentes: Defendi, Walterson, Ruben Lameiras, Pedro Gonçalves, Alex Centelles, Anderson e Patrick William).

Treinador: João Pedro Silva.

Árbitro: Carlos Xistra (AF Castelo Branco).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Riccieli (02), Júlio Alves (09), Diogo Cunha (21), Gil Dias (48), Fábio Martins (48), Diogo Gonçalves (76), Patrick William (80), Vitinha (90+3), Dinis (115) e Carvalho (118 e 120+1). Cartão vermelho por acumulação de amarelos para Carvalho (120+1).

Assistência: Cerca de 3.500 espetadores.

Continuar a ler

Futebol

Vizela muito superior derrota Casa Pia e segue em frente na Taça de Portugal

3.ª eliminatória

em

Foto: DR / Arquivo

O Vizela derrotou hoje o Casa Pia, por 3-1, na terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, num jogo em que os lisboetas nunca conseguiram contrariar a intensidade dos visitantes, que seguem justamente para a quarta ronda.

Francis Okoli, aos 20 minutos, Samu, aos 52, e Diogo Ribeiro, aos 81, foram os autores dos golos vizelenses, que permitiram ao líder da série A do Campeonato de Portugal surpreender o Casa Pia, último classificado da II Liga, em jogo disputado em casa ‘emprestada’ pelo Oriental. Wilson Kenidy reduziu para os ‘gansos’, já perto do fim, aos 88.

A equipa minhota chegou rapidamente ao golo inaugural, aos 20 minutos, por intermédio de Francis Okoli, que atirou forte e de primeira para o fundo das redes, após assistência de Kiko Bondoso no corredor esquerdo.

Na segunda parte, um remate cruzado de Samu, aos 52, ampliou a vantagem para os nortenhos, que continuaram a demonstrar superioridade perante uma equipa de escalão superior.

Aos 76 minutos, o guarda-redes do Vizela Cajó foi chamado a intervir pela primeira vez, em resposta a um grande remate de Wilson Kenidy, mas foi mesmo o Vizela a aumentar para 3-0, aos 81, por Diogo Ribeiro que surgiu ao segundo poste a encostar, após uma incursão rápida de Koffi Kouao pela direita.

O Casa Pia teve direito ao golo de ‘honra’ nos instantes finais, aos 88, numa recarga de Wilson Kenidy após grande defesa de Cajó a um cabeceamento de Mateus Fonseca, numa altura em que a eliminação dos lisboetas era já uma realidade.

Já na entrada para a compensação, um livre direto de Landinho quase surpreendia Rafael Marques, que, com reflexos rápidos, impediu o quarto golo ao Vizela.

Ficha de Jogo

Jogo realizado no Campo Engenheiro Carlos Salema, em Lisboa.

Casa Pia – Vizela, 1-3.

Ao intervalo: 0-1.

Marcadores:

0-1, Francis Okoli, 20 minutos.

0-2, Samu, 52.

0-3, Diogo Ribeiro, 81.

1-3, Wilson Kenidy, 88.

Equipas:

– Casa Pia: Rafael Marques, Joel Monteiro, Lucas Castilho (João Coito, 75), Caio Marcelo, Jorge Ribeiro, Jean Victor (Rodrigo Dantas, 56), Sávio Roberto (Wilson Kenidy, 67), David Rosa, Ousmane Sountoura, Mateus Fonseca e Evandro Roncatto.

(Suplentes: Rafael van der Laan, Pedro Machado, João Coito, Rodrigo Dantas, Wilson Kenidy Jeka e Tharcysio).

Treinador: Rui Duarte.

– Vizela: Cajó, Koffi Kouao, Mohamed Aidara, João Faria, Kaká, Francis Okoli (André Soares, 63), Ericson, Samu (Landinho, 73), João Mendes (Francis Cann, 80), Kiko Bondoso e Diogo Ribeiro.

(Suplentes: Rafa, João Pedro, Kiki Afonso, Landinho, André Soares, Francis Cann e Alioune Fall).

Treinador: Álvaro Pacheco.

Árbitro: Sérgio Guelho (AF Guarda).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Ousmane Sountoura (27), Diogo Ribeiro (43), Lucas Castilho (48), David Rosa (67), Evandro Roncatto (84) e Kiko Bondoso (90+5).

Assistência: cerca de 300 espetadores.

Continuar a ler

Populares