Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Visita ao interior do primeiro navio oceânico 100% construído em Viana do Castelo

Fotogaleria

em

Fotos: Facebook de Mário Ferreira

Custou 70 milhões de euros e é o primeiro navio oceânico construído a 100% nos estaleiros de Viana do Castelo. No dia anterior a zarpar da capital do Alto Minho rumo à Islândia, de onde hoje o MS World Explorer deu início à sua primeira viagem comercial, pelos mares do Norte, rumo à Gronelândia, Mário Ferreira, proprietário da empresa que mandou construir a embarcação, partilhou algumas imagens do seu interior nas redes sociais.

Tem capacidade para 200 passageiros e 112 tripulantes. Vai operar, principalmente, com os mercados “alemão, inglês, suíço e austríaco”.

Observation Lounge. Foto: Facebook de Mário Ferreira

Sala Observation Lounge. Foto: Facebook de Mário Ferreira

Cigar Room, com cinzeiros Vista Alegre. Foto: Facebook de Mário Ferreira

Auditório. Foto: Facebook de Mário Ferreira

Bar Lounge / Piano Bar. Foto: Facebook de Mário Ferreira

Sala. Foto: Facebook de Mário Ferreira

Restaurante. Foto: Facebook de Mário Ferreira

Restaurante. Foto: Facebook de Mário Ferreira

Pormenor da receção (entrada principal). Foto: Facebook de Mário Ferreira

Quarto. Foto: Facebook de Mário Ferreira

Pormenor do exterior. Foto: Facebook de Mário Ferreira

Running Sport and Track. Foto: Facebook de Mário Ferreira

Varanda Yatch Style. Foto: Facebook de Mário Ferreira

Pormenor do interior. Foto: Facebook de Mário Ferreira

Aspeto exterior. Foto: Facebook de Mário Ferreira

O navio MS World Explorer, um investimento de 70 milhões de euros da Mystic Invest de Mário Ferreira, é o primeiro de uma série de três já encomendados. Foi batizado em abril nos estaleiros da WestSea e deveria ter zarpado em maio, mas a partida aconteceu a 01 de agosto.

Hoje partiu de Reiquiavique, Islândia, para uma viagem de 13 dias, com 180 passageiros alemães a bordo para uma viagem aos mares do Norte até à Gronelândia.

Anúncio

Viana do Castelo

Politécnico de Viana oferece consoada a alunos e funcionários que não vão passar o Natal a casa

Iniciativa acontece às 19:00 no Centro Académico do SAS IPVC

em

Foto: DR

O Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) promove este ano, pela primeira vez em 33 anos, uma ceia de Natal para alunos nacionais, internacionais e do programa Erasmus que vão passar a época natalícia longe da família.

Em declarações hoje, à agência Lusa, o administrador dos Serviços de Ação Social (SAS) do IPVC, Luís Ceia, explicou que a iniciativa destina-se também “a docentes e pessoal não docente deslocados das famílias”.

“As inscrições abriram na segunda-feira e temos 15 pessoas inscritas. Este ano, por ser a primeira ceia de Natal que promovemos, se reunirmos entre 30 a 40 pessoas na ceia de Natal já será muito bom. O importante é celebrar o espírito de Natal”, referiu Luís Ceia.

Com seis escolas superiores espalhadas pelo distrito de Viana do Castelo, o IPVC tem, este ano letivo, “260 alunos de 31 nacionalidades”.

Segundo dados hoje divulgados pela instituição, estudam no IPVC estudantes oriundos da Guiné-Bissau, Cabo Verde, França, Moçambique, Espanha, Angola, Mônaco, Brasil, Lituânia, Roménia, Itália, Alemanha, Polónia, Itália, São Tomé e Príncipe, República Checa, Turquia, Luxemburgo, Índia, Timor Leste, Equador, Marrocos, Eslovénia, Arábia Saudita, Suíça, Egipto, Letónia, Ucrânia, Áustria, Bielorrússia, Uruguai, China e Venezuela.

O aumento do número de alunos estrangeiros a estudar na instituição esteve na origem da iniciativa, explicou Luís Ceia, sublinhando que o objetivo passa também por “proporcionar uma tradicional consoada portuguesa, com bacalhau, batatas e couves assim como as sobremesas típicas desta época aos estudantes e funcionários que se encontram deslocados do seu país e familiares”.

“O objetivo é assegurar um bom acolhimento em Viana do Castelo não só a alunos estrangeiros como a todos os que estão deslocados da família e que até podem ser cidadãos nacionais”, reforçou, explicando que os custos da refeição serão suportados pelo SAS do IPVC.

A ceia de Natal do IPVC vai decorrer no dia 24, a partir das 19:00, no centro académico do SAS, no centro de Viana do Castelo.

A primeira ceia de Natal do IPVC pretende ainda “dar a conhecer as tradições da consoada portuguesa, em particular a do Alto Minho”.

“O IPVC quer proporcionar e promover uma noite de convívio e de troca de experiências e tradições”, disse.

Com cerca de cinco mil alunos, o IPVC tem seis escolas – de Educação, Tecnologia e Gestão, Agrária, Enfermagem, Ciências Empresariais, Desporto e Lazer -, ministrando 28 licenciaturas, 40 mestrados, 34 Cursos de Técnicos Superiores Profissionais (CTESP) e outras formações de caráter profissionalizante.

Além das escolas superiores de saúde, educação e tecnologia e gestão, situadas em Viana do Castelo, o IPVC tem escolas superiores instaladas em Ponte de Lima (Agrária), Valença (Ciências Empresariais) e Melgaço (Desporto e Lazer).

Continuar a ler

Viana do Castelo

Cinquenta toneladas de lenha mantêm fogueira em convívio de Natal em Viana

No largo das Neves, comum a três freguesias

em

Foto: Divulgação / Arquivo

Mais de 50 toneladas de lenha vão manter acesa, durante cinco dias, a fogueira de Natal num largo comum a três freguesias de Viana do Castelo, para promover o convívio natalício das populações do Vale do Neiva.

“Entre lenha e cepos conseguimos reunir 50 toneladas para a edição 2019 da fogueira de Natal. As árvores abatidas resultam de corte seletivo, árvores que estavam doentes ou que estavam a impedir o crescimento de outras”, disse hoje à agência Lusa, o porta-voz do grupo Lenhadores do Largo, que organiza o convívio, Joel Monteiro.

Joel Monteiro, do movimento cívico que organiza a fogueira de Natal no largo das Neves, comum às freguesias de Barroselas, Mujães e Vila de Punhe, adiantou que “na época própria serão plantadas mais de uma centena de árvores” na zona onde agora foi realizado o corte seletivo.

Além daquela plantação, o grupo Lenhadores do Largo “vai oferecer à comissão de baldios de Carvoeiro 120 pés de azevinho”.

Além da vertente “ambiental e de sustentabilidade”, a fogueira de Natal do Largo das Neves, iniciada há três anos por um grupo de cidadãos do Vale do Neiva, pretende promover o convívio próprio da época.

No dia 21 de dezembro, a partir das 16:00, “dia e noite” a fogueira de Natal “aquecerá as conversas entre conterrâneos, amigos, vizinhos”.

“Com o pretexto do calor e da luz do fogo conviverão, confraternizando e reencontrando velhos amigos”, adianta a organização.

A lenha, que começou a ser recolhida em outubro, encheu oito tratores e vai manter a fogueira do Largo das Neves a arder entre os dias 21 e 25 de dezembro.

“O fogo, que durante imensos séculos e milénios serviu para proteger, guiar e reunir as pessoas e definir famílias, comunidades e sociedades, será novamente um motivo para a reunião, diálogo, convívio e reflexão numa quadra festiva de encontros e reencontros”, sublinhou o grupo de Lenhadores do Largo.

O largo das Neves, tem um “pedaço” das freguesias de Barroselas, Mujães e Vila de Punhe. É naquele espaço que foi construída, no início do século XVII, a Mesa dos Três Abades, iniciativa dos párocos para assinalar o fim das discórdias em relação aos limites das três freguesias.

Ao longo dos anos, e numa altura em que eram os párocos quem mais ordenavam, a Mesa dos Três Abades assumiu-se como uma espécie de fórum popular, já que era ali que eram discutidos e tratados os assuntos de interesse da comunidade, do foro eclesiástico e do civil.

Além da fogueira, “haverá animação e petiscos, entre eles, chouriças feitas pelos próprios lenhadores”.

No recinto estará disponível o “novo mobiliário produzido pelo grupo com tábuas de madeira para proporcionar conforto a todos os que participarem no convívio”.

“Os Lenhadores do Largo procuram através desta iniciativa contribuir para a dinamização, promoção e envolvência das três comunidades que se encontram no Largo das Neves”, destaca o movimento cívico.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Estudante de Viana vence prémio nacional “Jovem Talento em Gastronomia”

Com o prato “Tradição com Arroz Bom Sucesso”

em

Foto: Divulgação

André Rodrigues, aluno finalista do curso de Gestão e Produção de Cozinha, na Escola de Hotelaria e Turismo de Viana do Castelo, venceu o concurso nacional “Jovem Talento em Gasronomia”, que decorreu entre 04 e 05 de dezembro, em Fátima.

O jovem estudante de Viana do Castelo passou por três etapas regionais, disputando a final da oitava edição destes prémios, que decorreu na Escola de Hotelaria de Fátima.

“Tradição com Arroz Bom Sucesso” foi o prato confecionado pelo jovem chef, com “Arroz de Miúdos, Robalo em Sous-vide, Emulsão de Gordura de Frango/Cristas de Galo e Crocante de Coentros”.

O júri foi composto por Andreia Moutinho, Constança Cordeiro, Fernando Cardoso, Fernão Gonçalves, Gabriel Campino, Gonçalo Costa, Jaime Montgomery, Louis Anjos, Luís Gaspar, Mateus Freire, Nicu Iastremschii, Nuno Castro, Paulo Carvalho, Pedro Braga, Samuel Mota, Sara Soares, Vítor Adão, William Melo e Wilson Pires.

Continuar a ler

Populares