Seguir o O MINHO

Região

Viseu passa a integrar Turismo do Porto e Norte

em

O presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP), Melchior Moreira, classificou hoje de “visão estratégica assertiva” a decisão do município de Viseu de passar a integrar a rede nortenha.

“O senhor presidente da Câmara Municipal de Viseu tem uma visão estratégica assertiva na promoção e no desenvolvimento turístico para o seu concelho. Atendendo aos excelentes resultados que temos obtido no Porto e Norte de Portugal, à infraestrutura de sucesso que é o Aeroporto Francisco Sá Carneiro que trouxe mais de sete milhões de passageiros à região, à proximidade do Douro à cidade de Viseu, as excelentes acessibilidades de proximidade com o Porto e o Norte, é natural esta decisão e entendi esta vontade e este desejo sufragado pelo executivo municipal”, disse Melchior Moreira.

O município de Viseu aprovou esta quinta-feira um protocolo, por unanimidade, na reunião do executivo que visa passar a integrar a rede do Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP).

O distrito de Viseu passa assim a integrar a plataforma de promoção turística do TPNP, assim como o “Porto e Norte passará a estar também em Viseu, cidade milenar onde o património, a natureza e a gastronomia e os vinhos são produtos fortes de promoção turística”, acrescentou o presidente da TPNP.

Segundo o presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques, “grande parte do crescimento” que tem sido verificado atualmente em Viseu, ao nível do turismo, deve-se a “turistas que vêm do Norte, do Aeroporto Francisco Sá Carneiro”.

Viseu vai ser o primeiro município do País a pertencer a duas entidades regionais de turismo diferentes, uma situação que é legal, explica o autarca, salvaguardando, todavia, que integrar a rede da TPNP, não significa que deixem de “participar e colaborar com o Turismo Centro de Portugal, haverá aqui uma lógica complementar”, informou o autarca.

“Os nossos turistas entram pelo (aeroporto) Francisco Sá Carneiro. Seria um desperdício que não entrássemos nesta dinâmica do Norte, para Viseu também ser promovido ao mesmo tempo de Braga e Guimarães”, explicou.

Almeida Henriques lembrou que, por outro lado, há destinos, como o Porto, que “começam a estar sobrecarregados”.

“A existência de cidades alternativas vai ser cada vez mais uma realidade. Não faria sentido que nós não estivéssemos nesta dinâmica do Norte, se é por lá que estão a entrar oito milhões de pessoas por ano”, sublinhou.

Eleito em 2013, Almeida Henriques tem lamentado que o Turismo Centro de Portugal não se envolva mais na promoção de Viseu enquanto destino, sobretudo no que respeita aos eventos relacionados com o vinho do Dão.

“O nosso capital de queixa é na falta de apoio. Achamos que o Turismo de Centro não tem dado a atenção devida ao destino Viseu”, afirmou, reconhecendo que o município vai continuar a dialogar com o Turismo Centro de Portugal na expectativa de que algumas das suas pretensões mereçam acolhimento, como, por exemplo, os eventos do vinho do Dão, a Feira de S. Mateus.

logo Facebook Fique a par das Notícias de Turismo. Siga O MINHO no Facebook. Clique aqui

Populares