Seguir o O MINHO

Futebol

“Vimos os últimos jogos e, com o Sporting, o Braga mostrou um futebol muito bom”

Primeira mão do playoff da Liga Europa: SC Braga-Spartak de Moscovo

em

Spartak a caminho de Braga. O alemão Schurrle é um dos jogadores mais conhecidos dos russos. Foto: Facebook

O treinador do Spartak de Moscovo disse hoje que “o que importa é o resultado”, na antevisão ao jogo com o SC Braga, na quinta-feira, da primeira mão do ‘play-off’ de acesso à Liga Europa de futebol.

“Queremos fazer um jogo muito sério com um adversário com muita experiência nas competições europeias e, por isso, estamos a preparar-nos da forma mais séria possível”, afirmou Oleg Kononov, na conferência de imprensa para o jogo de quinta-feira.

Oleg Kononov disse ter “um grupo muito bom mentalmente” e “focado em jogar futebol”, tendo relativizado as questões táticas: “o que importa é o resultado, pensamos sempre em ganhar.”

O Spartak de Moscovo vem de uma vitória caseira no campeonato sobre o rival CSKA de Moscovo (2-1), na segunda-feira, e o técnico lembrou ter menos um dia para recuperar do que o SC Braga, garantindo, ainda assim, “estar tudo a postos”.

Dada a importância dos golos fora nas competições europeias, o treinador foi questionado sobre se se pode esperar uma equipa russa a querer marcar em Braga, mas Oleg Kononov disse que o Spartak quer primeiro não sofrer, mas também marcar se possível.

O treinador considerou o Braga uma equipa “bem equilibrada, com jogadores experientes, mas também com jovens, que joga bom futebol, com boas transições ofensivas”.

“Vimos os últimos jogos e, com o Sporting, o Braga mostrou um futebol muito bom”, afirmou.

O médio Roman Zobnin desvalorizou o facto de a equipa ter jogado na segunda-feira e ter menos um dia de descanso.

“Temos trabalhado muito intensamente nas últimas semanas e não vai ser fácil amanhã [quinta-feira], principalmente depois do jogo com o CSKA, mas é possível encontrar forças dentro de cada um para fazer um bom jogo. Estamos acostumados a trabalhar neste ritmo físico e a estatística comprova isso”, disse.

O médio holandês Gus Til e o avançado sueco Jordan Larsson são baixas no Spartak de Moscovo, porque já jogaram esta época por outros clubes nas provas europeias.

SC Braga e Spartak de Moscovo defrontam-se a partir das 19:45 de quinta-feira, na primeira mão do ‘play-off’ da Liga Europa, no Estádio Municipal de Braga, jogo que será arbitrado pelo espanhol Xavier Estrada Fernandez.

Anúncio

Futebol

Portugal com maioria de quatro clubes na fase de grupos da Liga Europa

Ranking

em

Foto: DR

Portugal tem pela primeira vez quatro equipas na fase de grupos da Liga Europa em futebol e é o país mais representado entre os 26 com clubes na segunda competição da UEFA.

O recorde luso era de três equipas, por quatro vezes, na edição inaugural, em 2009/10, com Benfica, Nacional e Sporting, em 2012/13, com Académica, Marítimo e os leões, em 2013/14, com Estoril Praia, Paços de Ferreira e Vitória Sport Club (SC), e ainda em 2015/16, com Belenenses, Sporting  e Sporting Clube (SC) de Braga.

Em 2019/20, o futebol luso conta com quatro formações e só uma teve entrada direta, o Sporting, na qualidade de vencedor da edição 2018/19 da Taça de Portugal – superou na final o FC Porto por 5-4, nos penáltis, depois de 2-2 nos 120 minutos.

Por seu lado, os dragões estão na fase de grupos da Liga Europa nove anos depois da última presença, que acabou por resultar na vitória na competição, porque tombaram, de forma inesperada, na terceira pré-eliminatória da Champions.

Ao contrário dos portistas – eliminados com surpresa pelo Krasnodar (1-0 fora e 2-3), depois esmagado pelo Olympiacos -, SC Braga e Vitória ultrapassaram duas e três pré-eliminatórias, respetivamente.

Os arsenalistas eliminaram Brondby (4-2 fora e 3-1 em casa) e Spartak Moscovo (1-0 em casa e 2-1 fora), enquanto o Vitória despachou Jeunesse Esch (1-0 fora e 4-0 em casa), Ventspils (3-0 fora e 6-0 em casa) e FCSB (0-0 fora e 1-1 em casa).

Face ao desastre portista e ao sucesso dos minhotos, Portugal é o único país com quatro equipas na fase de grupos, secundado por seis, todos com três representantes: Alemanha, Espanha, Holanda, Inglaterra, Suíça e Turquia.

Por seu lado, Áustria, Bélgica, Escócia, França, Itália, Rússia e Ucrânia têm todos duas equipas e Azerbaijão, Bulgária, Cazaquistão, Chipre, Dinamarca, Eslováquia, Hungria, Luxemburgo, Noruega, Roménia, Sérvia e Suécia apenas uma.

Ranking de presenças na fase de grupos por país:

1. Portugal 4 equipas

2. Alemanha 3

. Espanha 3

. Holanda 3

. Inglaterra 3

. Suíça 3

. Turquia 3

8. Áustria 2

. Bélgica 2

. Escócia 2

. França 2

. Itália 2

. Rússia 2

. Ucrânia 2

15. Azerbaijão 1

. Bulgária 1

. Cazaquistão 1

. Chipre 1

. Dinamarca 1

. Eslováquia 1

. Hungria 1

. Luxemburgo 1

. Noruega 1

. Roménia 1

. Sérvia 1

. Suécia 1

– Presenças de equipas portuguesas na fase de grupos:

2019/20 4 (FC Porto, Sporting, Sporting de Braga e Vitória de Guimarães)

2018/19 1 (Sporting)

2017/18 2 (Sporting de Braga e Vitória de Guimarães)

2016/17 1 (Sporting de Braga)

2015/16 3 (Belenenses, Sporting e Sporting de Braga)

2014/15 2 (Estoril Praia e Rio Ave)

2013/14 3 (Estoril Praia, Paços de Ferreira e Vitória de Guimarães)

2012/13 3 (Académica, Marítimo e Sporting)

2011/12 2 (Sporting e Sporting de Braga)

2010/11 2 (FC Porto e Sporting)

2009/10 3 (Benfica, Nacional e Sporting)

Continuar a ler

Futebol

Clubes portugueses conhecem árbitros para o arranque nos grupos da Liga Europa

Árbitro dinamarquês no Braga-Wolverhampton e russo no Vitória-Liége

em

O árbitro dinamarquês Jakob Kehlet estará na quinta-feira na receção do Sporting Clube (SC) de Braga aos ingleses do Wolverhampton (20:00 na hora portuguesa), e o russo Sergey Ivanov na receção do Vitória Sport Club (SC) aos belgas do Standard Liége (17:55 na hora portuguesa), em jogos dos grupos K e F da Liga Europa, informou a UEFA.

Do grupo dos bracarenses, além do ‘wolves’, treinado pelo português Nuno Espírito Santo e que conta com Rui Patrício, Rúben Vinagre, Rúben Neves, João Moutinho, Pedro Neto, Bruno Jordão e Diogo Jota, fazem também parte o Besiktas e o Slovan Bratislava.

Já os vimaranenses, além dos belgas do Standard Liège, terão a oposição no grupo F dos ingleses do Arsenal e dos alemães do Eintracht Frankfurt, emblema do português Gonçalo Paciência.

Também na quinta-feira, árbitro letão Andris Treimanis estará na receção do FC Porto aos suíços do Young Boys, e o eslovaco Ivan Kružliak na visita do Sporting ao PSV Eindhoven.

O FC Porto inicia a participação no grupo G da Liga Europa, competição em que terá como adversários Young Boys, Feyenoord e Rangers, e para a qual foi relegado com a eliminação na terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões.

O jogo de quinta-feira tem início às 20:00, pouco depois da entrada em cena do Sporting, que visita o PSV Eindhoven às 17:55 (18:55 locais), em jogo do grupo D, que conta também com LASK Linz e Rosenborg.

Também na Liga Europa, o árbitro português Fábio Veríssimo foi nomeado para o jogo do grupo B entre o Copenhaga e o Lugano, na Dinamarca.

Já Artur Soares Dias é o único árbitro luso na Liga dos Campeões, indicado para a receção na quarta-feira dos ucranianos do Shakhtar Donetsk, treinado por Luís Castro, aos ingleses do Manchester City, de Bernardo Silva.

Continuar a ler

Futebol

“Os resultados são todos justos”

5.ª jornada da I Liga

em

Foto: DR / Arquivo

Declarações após o jogo Santa Clara-Moreirense (2-0), da quinta jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado no estádio de São Miguel, em Ponta Delgada.

Vítor Campelos (treinador do Moreirense): “Na primeira parte, não entrámos como é de costume. Estávamos muito mais reativos do que ativos. Temos de ser muito mais decididos e agressivos em determinados lances.

Na primeira parte, o Santa Clara esteve por cima. Adotou um sistema diferente, foi a ideia do treinador e, de certa forma, em alguns momentos surpreendeu-nos apesar de trabalharmos vários sistemas de jogo para estarmos preparados para desmanchar qualquer sistema.

Uma segunda parte totalmente diferente da primeira, retificámos algumas coisas ao intervalo. Fomos muito mais agressivos, tivemos mais ação em vez de reação, entrámos muito melhor, tivemos algumas situações em que podíamos ter marcado. No momento em que colocámos o Nenê, para arriscar mais, sofremos o segundo golo.

Duas partes distintas, na primeira foi melhor o Santa Clara, na segunda penso que estivemos melhor. O jogo tem 90 minutos e temos de começar desde o primeiro minuto a ser muito mais corajosos, a ter mais bola, a ser mais agressivos e muito mais ativos.

Os resultados são todos justos. O Santa Clara conseguiu marcar dois golos, por isso é um justo vencedor, porque marcou dois golos e nós não”.

João Henriques (treinador do Santa Clara): “Todas as vitórias trazem tranquilidade e confiança e é isso que nós pretendemos sempre. Acima de tudo, queríamos voltar às vitorias em São Miguel, era importante, até porque vamos entrar num ciclo de jogos difíceis em que queremos ir continuando a somar pontos, porque é isso que nos vai dar a mesma tranquilidade.

Após termos feito uma exibição negativa na última jornada, era uma questão de orgulho. O grupo queria limpar a imagem de um jogo menos conseguido, apesar de não termos perdido. Era muito importante hoje fazermos isso.

A questão dos golos é uma questão de naturalidade. Nós estávamos a criar situações para finalizar, hoje voltámos a criar várias situações que não concretizámos. Sabíamos que mais cedo ou mais tarde a bola ia entrar e aí as coisas iam tornar-se muito mais fáceis, porque saem os fantasmas todos da cabeça. Hoje, fizemos dois e ficaram mais alguns por fazer, mas acima de tudo, queremos sentir esta vitória, com dois golos marcados e sem sofrer. É esse o caminho que queremos.

A revolução no ‘onze’ é uma revolução normal. Temos 27 jogadores, são todos úteis, vão ser todos utilizados durante a época e vão demonstrar aquilo que demonstraram hoje os que entraram pela primeira vez: qualidade e confiança. Não vamos ficar confinados a 11 jogadores, de certeza, até porque o calendário vai exigir.”

Continuar a ler

Populares