Vila-verdense ganhou raspadinha com cinco mil euros mas Santa Casa diz que “não vale”

Célia Esteves, de Vila Verde, deu saltos de alegria ao ver que tinha vencido prémio de cinco mil euros em raspadinha. Mas os sorrisos transformaram-se em pesadelo, pois a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa diz que “o prémio não é válido por causa de rasgo na raspadinha“.

http://www.cmjornal.pt/sociedade/detalhe/rasgo-na-raspadinha-suspende-5-mil-euros

“Vou até às últimas consequências”, afirmou ao O MINHO Célia Esteves, de 41 anos, que comprou a raspadinha em maio.

“Foi uma alegria quando vi o prémio”, diz Célia, empregada numa ótica, que viu a Santa Casa, quando se deslocou ao Porto, apontar rasgo de dois centímetros que transformaram o momento em pesadelo.

No entanto, e apesar da decisão da Santa Casa, Célia vai ter hipótese de recorrer da decisão.

“A apostadora foi informada que a decisão é passível de recurso mediante apresentação do bilhete original”, confirmou fonte da Santa Casa.

Foto: CMtv

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Caminho Português da Costa une cinco municípios do Minho para valorizar região

Próximo Artigo

Senhora do Amparo "castigou" dois traficantes de droga na Póvoa de Lanhoso com "detenção"

Artigos Relacionados
x