Vila Verde quer combater pobreza

“Tarefa prioritária”

O combate à pobreza e exclusão social é “uma tarefa prioritária” que tem de ser concretizada com um “trabalho de proximidade e em rede, envolvendo diferentes parceiros e agentes dos diversos setores da sociedade”. A presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, Júlia Rodrigues Fernandes, deixou hoje um apelo para “que ninguém se exclua nem se sinta excluído desta causa”.

“Só com todos, num esforço pela defesa da dignidade humana e dos valores humanistas, podemos alterar a realidade e os números que a todos nos envergonham”, disse Júlia Rodrigues Fernandes, na abertura do seminário “Pobreza e exclusão social em Portugal: desafios para a intervenção e políticas públicas” que a EAPN – Rede Europeia Anti Pobreza promoveu hoje em Vila Verde.

A autarca apontou como referência o “trabalho de proximidade e em rede” que o Município de Vila Verde tem desenvolvido e incentivado, permitindo aos diferentes meios e instituições disponíveis “atuarem de forma articulada e integrada no terreno”.

Encarando os dados estatísticos, Júlia Rodrigues Fernandes lamentou que Portugal continue sem conseguir baixar a barreira dos 2 milhões de portugueses a viver em situação de risco de pobreza e exclusão social, afetando mais as mulheres e as pessoas com baixa escolaridade.

Segundo os números do Instituto Nacional de Estatística mais recentes, a taxa de pobreza ou exclusão social em Portugal foi de 20,1% em 2023, mantendo-se o valor do ano anterior. O problema atinge 2 milhões e 104 mil pessoas, sendo que os fenómenos das migrações e dos conflitos armados aumentam os riscos de agravamento da situação.

Os relatórios mostram que o risco é ainda maior em territórios desfavorecidos ou áreas pouco povoadas, onde a taxa de pobreza atinge os 26,4%, chegando a ser 1,6 vezes mais elevada do que nas áreas densamente povoadas. A situação agrava-se ao nível da pobreza monetária, que se cifra nos 22,7% da população, enquanto nas áreas densamente povoadas é de 12,8%.

Nesse contexto, a presidente da Câmara de Vila Verde reforçou que, associada às estratégias europeia e nacional, a prioridade no combate à pobreza tem de ser concretizada com políticas que efetivamente privilegiem a coesão social, económica e territorial.

No salão nobre da Câmara Municipal de Vila Verde juntaram-se dirigentes de diferentes entidades ligadas à luta contra a pobreza em Portugal, com o objetivo de contribuir para um maior conhecimento sobre novos fenómenos sociais associados à pobreza e exclusão social e debater as políticas públicas neste âmbito, no atual contexto nacional e internacional.

Os participantes no seminário enfatizaram a convicção de que esta é uma causa transversal na sociedade que atinge e tem de merecer a atenção não apenas da área social, mas antes dos diferentes setores, como a economia, a educação e a cultura.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

"Mini-tornado" registado em Ponte de Lima

Próximo Artigo

Avic tem de ser compensada por transportes públicos no Alto Minho, diz AMT

Artigos Relacionados
x